Indicações de livros do “Mestre do Horror” é o que não falta aqui no Coisas de Mineira, uma vez que eu sou uma fã assumida e desesperada! Eu sou daquelas leitoras que gosta de ler, e depois de um tempo, reler as histórias que esse homem incessantemente apresenta ao mundo. É isso… ele simplesmente NÃO para de produzir. Obrigada por isso, Steve.

King publicou a primeira vez em 1974, o tão bem conhecido “Carrie”. Esse livro tem história para contar. Pois, King havia descartado o mesmo em uma lata de lixo. No entanto, dona Tabitha King, nossa rainha e grande incentivadora do marido, o resgatou do fim prematuro. Para a esposa do autor, o livro era material para ser enviado aos editores, com chances de ser publicado. E um mundo mágico começou através dessa adolescente com poderes telecinéticos.

Hoje, King tem publicados mais de 60 romances, quase duas dezenas de roteiros, e 5 livros de não-ficção. Dentro das minhas limitações, eu considero ele o autor com o maior número de adaptações para as telas. Porém, não posso afirmar essa máxima. Contudo, tenho certeza que você já assistiu a pelo menos um filme ou série que tem como base um de seus livros (mesmo que você nem saiba!).

Figuras icônicas criadas por essa mente frutífera povoam a cultura pop. Quem nunca ouviu falar de Pennywise, o Palhaço Dançarino? Jack Torrance, aquele pai de família que só queria terminar de escrever seu livro, você conhece? Ah, certeza que você sabe quem é a fã número 1 de Paul Sheldon, nossa enfermeira (e algo mais) Annie Wilkes! E poderemos passar um bom tempo falando de ícones que nasceram através da datilografia dos dedos de Stephen King.

O autor tem um estilo próprio de fazer terror. Ele mesmo já declarou não ter escolha própria quanto ao estilo de seus livros. O gênero horror só o chama, e ele responde. Seu suspense é do estilo que persiste após as páginas serem lidas. Às vezes, não lidamos com sustos, ou com medos consistentes propriamente ditos. Mas mesmo assim, sempre ficamos remoendo, sempre (“Os Estranhos” e “O Apanhador de Sonhos” que não me deixam mentir)!

A saber, King escreve outros formatos que não seja o terror/horror. Ele se dá muito bem escrevendo fantasia, e eu cito aqui um livro que é uma gracinha, em estilo contos de fada. “Os Olhos do Dragão” foi escrito para sua filha Naomi quando criança, porque ela não gostava das escritas costumeiras do papai. E não posso deixar de comentar a respeito da Magnus Opus do autor, que eu AMO de forma sobrenatural, que é a saga contendo 8 livros, a nossa “A Torre Negra”.

Junto com o Clube do Livro BH, realizamos em novembro e dezembro de 2020, uma Leitura Coletiva do livro “Novembro de 63”, que é uma obra onde King mescla ficção histórica com sci-fi. Novamente, ressalto o quanto sou suspeita nesse caso, pois este livro, das histórias individuais, é o meu livro eternamente preferido do mestre. Aqui em “Novembro” eu consegui encontrar lembranças e referências, teorias da conspiração, mistério, tristeza, e o romance mais lindo que eu poderia sequer imaginar. E isso faz com que ele seja para sempre meu maior amor, e uma indicação certeira.

Se você ainda não conhece a escrita de King, espero que através desse post, eu possa conseguir mostrar um pouco mais sobre esse universo. Muitas pessoas não aceitam ler o autor por terem ‘medo’ do gênero, por não gostarem de ler livros tão populares e famosos, ou só porque a capa com o nome KING já as fazem sentir coisas estranhas. Mas, o homem é bom no que faz e está aí, na ativa e consolidado, por mais de 45 anos. Ter esse espaço no mundo literário mundial não é para qualquer um. E eu prometo que você encontrará um livro (ou vários) que irá te dar essa noção de quem Stephen King é. Não tenha medo!