Como falei para vocês, estou fazendo uma maratona do Grishaverse, então vamos para a resenha do segundo livro “Sol e Tormenta”? Em “Sol e Tormenta” vemos como estão Alina e Maly, após os acontecimentos da dobra. Quando os dois acham que escaparam, o que tanto temiam acontece e eles acabam sendo encontrados pelo Darkling. O que eles não sabiam é que uma improvável aliança poderia ser formada, para a luta contra o Darkling.

Fui breve na sinopse, não fui? Mas não queria dar spoilers do livro e vou tentar falar sobre ele, sem dar spoiler. Confesso que vai ser difícil, massss, vamos lá. Por mais um livro, o começo foi puxado para mim, será que em alguma história a Leigh Bardugo vai fazer um começo que seja mais instigante? Estou esperando. Maly e Alina estão juntos em Cofton, vivendo uma vida bem precária, já que fugiram apenas com as roupas do corpo. Maly continua encantando a todos pelo caminho e Alina desperta o mesmo sentimento em mim (ainda não consigo gostar da personagem).

“A pior parte disso era saber que o Darkling tinha razão. Se eu continuasse me agarrando a Maly e às memórias do amor que sentia por ele, nunca teria dominado meu poder.”

A coisa toda começa a andar, quando o Darkling encontra os dois. Gente do céu, eu ainda estava apaixonada pelo homem, então me perdoem se ele realmente for o vilão (olha eu querendo uma redenção aqui!). Temos algumas mudanças no comportamento do Darkling, ele está mais imune a Alina e mais poderoso do que já era. Como falei na resenha anterior, pensava que teríamos um triângulo amoroso, mas nesse livro vemos como a relação dos três está balançada (Alina, Maly e Darkling).

SOL E TORMENTA - LEIGH BARDUGO

 

Além disso, temos a apresentação de uma quarta pessoa, um príncipe que ficou muito tempo longe de casa e que pode ser um aliado muito importante. Sinceramente, meu crush pelo Darkling diminuiu muito com a chegada do príncipe. Acho que ele é um personagem maravilhoso e com certeza tem muita coisa para contar ainda. Guardem o nome de Nikolai!

Eu disse na resenha anterior que queria muito que aparecesse uma Evangeline, para que eu pudesse amar. Acho que tenho uma forte candidata a esse papel, Zoya apareceu no primeiro livro já chamando a atenção de Maly e rivalizando com Alina. Na continuação, temos mais de Zoya e eu gostei ainda mais da personagem e da personalidade dela. Estou ansiosa para ver se ela vai continuar crescendo na saga, no próximo livro.

“Zoya não era o problema. Maly estava partindo. Eu o estava deixando partir. Não podia culpar mais ninguém pelo abismo entre nós.”

Apesar de não gostar muito de Alina, ao chegar mais para o fim do livro comecei a sentir mais uma empatia pela personagem. Sim, ela toma umas decisões bem ruins e vai por caminhos que eu não curti muito, mas ela faz algo no fim do livro que me faz gostar um pouquinho dela. Sinceramente? Isso não é um spoiler porque não sei o que acontece no fim da história, mas Alina é aquele tipo de personagem que acho que poderia morrer no fim. Salvando todo mundo, se redimido pelas decisões ruins e me fazendo gostar mais dela. Me julguem, massss. Quem sabe nesse terceiro livro ela consegue fazer com que eu goste mais dela, não é?

 

Um resumo para o que esse segundo livro é: a preparação para uma guerra. Todo o livro é uma preparação. Alina tem um papel fundamental nessa guerra, tanto dentro da corte, quanto fora. O Apparat conseguiu colocar a imagem de Alina como santa, então o exército de pessoas que acredita em Sankta Alina vem crescendo cada vez mais. Isso torna a garota uma arma forte, para unir o reino.

“Você sabe qual o problema com heróis e santos, Nikolai?”, perguntei, fechando o livro e andando em direção à porta. “Eles sempre acabam mortos.”

Nesse livro vemos muito mais das tramas políticas. Temos dois príncipes querendo poder, cada um com sua intenção, mas vemos as estratégias dos dois para conseguir esse poder. Vemos Alina sendo usada como uma peça crucial em jogos de poder, seja pelo Darkling, pelo Apparat, pelos príncipes ou por ela mesma. Afinal, ela tinha que saber como usar a influência que ela conseguiu a seu próprio favor.

Ao chegar ao fim de “Sol e Tormenta”, fiquei querendo mais da história. Leigh Bardugo conseguiu me deixar instigada e querendo mais. Na verdade, eu estou muito curiosa para saber como termina a jornada de Alina e se o final dela será o trágico que eu estou prevendo. Ou se ela vai ter um final feliz. Vamos esperar para ver.

 

Assim como o primeiro livro, “Sol e Tormenta” teve uma nova edição lançada pela editora Planeta de Livros Brasil, no selo Minotauro. Sinceramente, eu estou apaixonada pelas capas da nova edição. Ainda tenho os livros antigos, que foram lançados pela Gutenberg, massss. Pelo que eu entendi, os direitos da Trilogia Grisha foram para a editora Planeta, então, será que finalmente vamos ter “King of Scars”? Após esse segundo livro, vi muito sentido nessa nova série e estou bem ansiosa para ler ela, apesar de ainda nem ter terminado a primeira trilogia.

““Somos parecidos”, disse ele, “como ninguém mais é, como ninguém mais será.”
A verdade daquilo ecoou dentro de mim. Os similares se atraem.”

“Sol e Tormenta” é o segundo livro da Trilogia Grisha de Leigh Bardugo, e é precedido por “Sombra e Ossos” e seguido por “Ruína e Ascensão”. Mas, quando falamos de Grishaverse ainda temos uma duologia de spin-off para completar a coleção. A duologia “Six of Crows” é composta pelos livros “Six of Crows: Sangue e Mentiras” e “Crooked Kingdom: Vingança e Redenção”. Como disse na resenha do primeiro livro, ao que eu entendi, a série vai abordar tanto a Trilogia, quanto a Duologia (e vai pegar ainda os contos que foram lançados e uma outra série nesse mesmo universo “King of Scars”). Vou deixar o trailer da série aqui para quem quiser dar o play!

Leigh Bardugo nasceu em Jerusalém, cresceu no sul da Califórnia e se formou na Universidade de Yale. Além dos livros do Grishaverse, Bardugo tem no Brasil “Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra” e “Nona Casa” (que está sendo adaptado pela Amazon Studios). “Sol e Tormenta” é meu segundo contato com a autora, e estou querendo mais, então está sendo um contato positivo.

E aí, já leu “Sol e Tormenta”? O que achou da história e qual é a expectativa para a série?

“Por que um Grisha só pode ter um amplificador? Em vez desta pergunta, eu responderei outra: O que é infinito? O universo e a ambição dos homens.”

________________________________________________________________________________________________________________

Grishaverse:

Trilogia Grisha
1. Sombra e Ossos;
2. Sol e Tormenta;
3. Ruína e Ascensão.

Duologia Six of Crows:
1. Six of Crows: Sangue e Mentiras;
2. Crooked Kingdom: Vingança e Redenção

Autora: Leigh Bardugo
Ano: 2014 / 2021
Páginas: 365
Editora: Gutenberg / Minotauro
Gênero: Fantasia, Jovem Adulto, Romance, Aventura
Nota: 4/5
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: AMAZON