dica de livro: Tudo Aquilo que nos Separa- Rosie Walsh

Sabe aquele livro que quando você começa não quer mais parar de ler? Que chega uma hora que você se assusta porque já é de madrugada e já está na última página? “Tudo aquilo que nos separa” é esse tipo de livro. Imagina passar sete dias perfeitos com uma pessoa, ela prometer que tudo irá ficar bem e do nada sumir do mapa. Isso aconteceu com Sarah Mackey. Quando estava em Gloucestershire, cidade de seus pais, em uma de suas visitas a Inglaterra, Sarah conheceu Eddie David. Depois de passaram sete dias perfeitos e de se convencerem que a história deles poderia dar certo, mesmo ela morando em Los Angeles e ele na Inglaterra, os dois se separam com a promessa de se falarem por mensagem e telefone.

O problema é, depois de ela tê-lo deixado em sua casa, ele sumiu. Sem responder suas mensagens, seus telefones ou dar nenhum sinal de vida, Sarah começa a entrar em desespero pensando que alguma coisa muito grave aconteceu com o homem por quem ela se apaixonou em apenas sete dias. Com a ajuda dos amigos, ela tenta descobrir onde está Eddie David.

“Sem orgulho, sem vergonha. De algum modo, eu havia deixado isso para trás. Fiquei tocando a tela do celular a cada poucos segundos, esperando a notificação de entrega.“Entregue”, anunciou o aparelho, indiferente. Observei a tela, esperando um balãozinho de texto. O balãozinho de texto indicaria que ele estava respondendo. Nada de balãozinho de texto”

( Fotos do livro finalizado enviado posteriormente a leitura da prova pela editora)

Na dedicatória a autora coloca que ‘o livro é dedicado a todas as pessoas que já ficaram sem chão por falta de um telefone. Sobretudo àquelas que achavam que não se importariam’. Mas acredito que essa obra é dedicado também, a todos àqueles que acreditam que é possível sim se apaixonar e viver uma história em sete dias.

Tenho que confessar que essa leitura quase me deixou sem dormir, e quando terminei falei ‘obrigada editora, por ter trazido essa história maravilhosa para o Brasil’. Se você gosta de romances que não tenham um enredo óbvio e vai te deixando curioso para o que vai acontecer, essa é a escolha certa. Rosie Walsh escreveu de uma forma em que ela vai dando informações sobre a vida dos personagens sem te sobrecarregar, mesclando o presente, com o que aconteceu durante os sete dias e algumas cartas e mensagens. Vai fazendo o leitor criar teorias sobre o que aconteceu com Eddie. Afinal, os dois não são adolescentes, Eddie tem trinta e nove anos e Sarah trinta e sete.

Quase no final aconteceu uma coisa que me deixou ainda mais ligada na leitura: uma reviravolta daquelas. Gosta de obras que parecem seguir por um caminho óbvio e do nada te mostra que não era aquilo? Mais uma vez esse é o Tudo aquilo que nos separa. Sabe quando você está chegando ao final e começa a dar aquela desanimada porque você já sabe o que vai acontecer. Rosie Walsh conseguiu prender a minha atenção até a última linha do livro para entender o que ela iria aprontar com alguns personagens.

A maior parte da publicação é contada pelo ponto de vista de Sarah, apenas lá no final conseguimos ver uma participação de Eddie, e digo que, apenas um ponto de vista por tanto tempo não ficou cansativo, e o momento que ele apareceu como narrador foi perfeito para gerar uma ansiedade no leitor (se eu disser mais vou dar spoiler). Sabe uma coisa bacana? Apesar de ser um romance, conseguimos nos identificar com outros personagens e conhecer sua história, não apenas os protagonistas. Um exemplo disso é o Rudi, filho de Jo, melhor amiga de Sarah, que me divertiu bastante. Assim como a própria Jo e Tommy.

dica de livro: Tudo Aquilo que nos Separa - Rosie Walsh

O blog recebeu a edição de prova para leitura antecipada da história, na primeira página a editora traz uma mensagem falando que é apenas a prova e a previsão de lançamento do livro. Além disso, na mensagem eles disseram uma coisa bem interessante que gostaria de compartilhar. Segundo eles o título teve várias variações, e que nunca tinham visto algo assim, por exemplo, nos Estados Unidos saiu como “Ghosted”, na Inglaterra saiu como “The man who didn’t call”, na Finlândia algo como “Ele prometeu ligar”, na Alemanha “Sem uma única palavra”.

O nome “Tudo aquilo que nos separa” foi decidido por último, e segundo a editora, a autora confessou que gostou mais dele do que dos outros. E realmente, apesar de cada um ter algo que remetia ao enredo, o título do Brasil é o que melhor define. Além do nome, a editora também foi feliz na escolha da capa: simples, mas bonita e interpretativa.

“Então: Diga, pensei. Diga, mesmo que seja loucura, mesmo que vocês só se conheçam há uma semana. Diga! E ele disse. Apoiou-se no balaústre da escada, cruzou os braços e disse: – Sarah, acho que me apaixonei por você. Isso já é demais? Suspirei.- Não. É perfeito.”

 
Esse é o primeiro livro que a autora Rosie Walsh escreveu em seu próprio nome, com o pseudônimo Lucy Robinson ela já havia publicado outros quatros livros. Rosie é uma escritora e ex-produtora de televisão que mora em Bristol, no Reino Unido, com seu marido e seu filho. Segundo a autora, o romance possui muito do que ela viveu: como a rede isolada de vales ao redor de Stroud, Gloucestershire, onde ela cresceu; toques dos lugares que trabalhou; e é claro, a experiência de conhecer alguém e depois passar muito tempo olhando para o telefone, esperando uma ligação que nunca aconteceu.
________________________________________________________________________________________________________________
Título: Tudo Aquilo que nos Separa
Autora: Rosie Walsh
Ano: 2018
Páginas: 336
Editora: Record
Gênero: Romance, Suspense, Mistério
Adicione a sua lista do Skoob 
Onde comprar: Amazon