Em O jogo do amor e da morte cada um escolhe o seu jogador quando bebê, e quando chega o tempo certo eles combinam as regras e o tempo de jogo. O amor tem perdido desde que começaram e até mesmo Romeu e Julieta, um casal que tentou vencer as regras sociais que separavam suas famílias com um amor imenso, pereceram diante da morte. Pela primeira vez em muito tempo, o amor está realmente confiante porque a morte está amedrontada. Henry e Flora são os novos jogadores.

O jogo do amor e da morte - Martha Brockenbrough

Nos Estados Unidos, década de trinta, eles enfrentarão muito para conseguirem qualquer coisa. Flora é negra, cantora e aviadora. Não poderia ser um insulto maior Às damas daquela época porque além de linda e talentosa ainda é capaz de fazer coisas que os homens fazem – só que ainda melhor. Henry é órfão, e vive de favor com uma família rica que o adotou, mas que não o vê como filho e muito menos o apoia em sua carreira musical, embora saibam que ele seja talentosíssimo. Numa sociedade preconceituosa e com a mente tão restrita como aquela, será que o amor conseguirá finalmente vencer a morte?

Nesse livro o amor e a morte são personificados. Eles podem mudar de forma, então não são personagens específicos na história. A autora narra de uma forma muito lenta (pro meu gosto) a história de amor – ou de morte? – do casal, e como os preconceitos daquela época impactavam a vida dos dois. A narrativa dramática e até um pouco poética geralmente me agrada, mas mesmo gostando do mocinho, a autora não conseguiu prender a minha atenção completamente. Acredito que isso seja em parte pela ressaca literária de Um milhão de mundos com você, então talvez seja algo mais pessoal.

“Sua decisão de viajar disfarçado como alguém de meia idade tinha sido um reflexo do cansaço que ele (o amor) sentia pela própria sorte. Passar uma eternidade perdendo era suficiente para deixar qualquer um arrasado pelo tempo. E, quanto mais novo ele se sentia, mais acreditava que a Morte era passível de ser derrotada. Ele precisava se lembrar disso.”
RESENHA DE LIVRO: O jogo do amor e da morte - Martha Brockenbrough

O que eu mais gosto no livro é o tom da narrativa da autora que apesar de nos levar completamente para a atmosfera daquele ano, não é descritivo ao extremo. Além do foco do casal principal, ela mostra uma série de minorias discriminadas, tratando esse assunto de forma muito delicada.

A capa é lindíssima com o título em alto relevo e elementos que representam perfeitamente a história, demonstrando um capricho muito grande da Verus Editora para com essa obra. Para quem gosta de um romance um pouco mais dramático e cheio de questões sociais esse livro com certeza é uma boa pedida.

_______________________________________________________________________________________________________________
Título: O jogo do amor e da morte
Autora: Martha Brockenbrough
Ano: 2017
Páginas: 304
Editora: Verus Editora
Gênero: romance, YA
Onde comprar: AMAZON