Se tem uma editora que tem virado minha queridinha, essa com certeza é a Faro Editorial. Seja por causa de seu cuidado com a edição, a beleza das capas, o design dos capítulos e a escolha por títulos realmente interessantes, ela com certeza atrai minha atenção quando anuncia algum lançamento. E o livro que vou falar hoje é do autor dono de uma grande parte da culpa do meu interesse pela Faro, pois Charlie Donlea é um hino no que diz respeito a suspense policial. Ouso dizer que “Não Confie em Ninguém” foi seu melhor livro escrito até agora, e olha que os dois anteriores foram ótimos!

“Só quero a oportunidade de contar o meu lado da história. Quando considerada apenas do ponto de vista da polícia, até eu me pergunto como podiam existir tantas provas contra mim.”

A história começa com um crime acontecido em 2007, em Santa Lúcia (uma ilha caribenha), onde após um golpe na cabeça que provocou sua queda de uma montanha, o jovem Julian Crist foi assassinado. A principal suspeita é sua namorada, Grace Seobold, com quem estava viajando para um casamento de amigos dela. A polícia local, com medo da repercussão do caso no turismo da ilha, correu com as investigações e apresentou diversas provas para a condenação da garota antes que o governo e mídia americanos fossem incluídos. Em pouquíssimo tempo Grace estava condenada e cumprindo pena no Presídio de Bordelais, em Santa Lúcia.

Após 10 anos, a jornalista Sidney Ryan se interessa pelo caso de Grace após várias cartas de apelo da jovem condenada. Sidney vem tendo bastante sucesso com documentários de TV que abordam pessoas que foram condenadas por crimes que não cometeram. A jornalista inicia um documentário em tempo real com o caso e, com grande sucesso de audiência, consegue rapidamente mostrar a lambança que foi a investigação. Grace é então libertada, porém, antes de concluir seu documentário a jornalista recebe uma carta falando que está cometendo um engano e a mulher que está defendendo não é tão inocente como diz.

A escrita de Donlea é algo impressionante. Ele consegue fazer com que o leitor se identifique, se interesse, se revolte… Tantas vezes e com tantos personagens que chega um momento em que você duvida se sabe mesmo a real história. Se você achar que sabe mesmo o que aconteceu, pode ter certeza que não sabe nada. Uma coisa curiosa me aconteceu durante essa leitura, pois ao marcar o progresso no meu Skoob uma pessoa havia acabado de publicar uma resenha sobre o livro com um super spoiler na primeira linha: quem era a(o) assassina(o). Esse comentário da leitora apareceu na página principal do livro e antes que eu pudesse ler uma página sequer. Eu fiquei arrasada, mas continuei. E sinceramente, apesar de me estragar algumas surpresas, eu ainda consegui ficar impressionada com vários acontecimentos e até questionei se tinha lido certo .

“Os episódios vão recontar os acontecimentos, como eu os entendo, numa mistura de recriações e também de filmagens ao vivo de minha investigação. A audiência descobrirá o que eu descobri no momento em que descobri.”

*ALERTA: Ao resenhar ou comentar sobre um livro lido no skoob, tome o cuidado de não colocar uma informação tão importante nas 02 primeiras linhas de seu texto, pois ele poderá aparecer como destaque para quem entrar na página em seguida, mesmo que você marque como spoiler. Não custa nada, né?!

Sobre a história, ela não poderia ser mais envolvente. Você mergulha no caso de Grace juntamente com Sidney e se torna um dos telespectadores fascinados por seu documentário. Se pega virando páginas sem parar esperando o que será apresentado no próximo episódio e vibra com cada avanço que ela consegue. É surreal ler todas as provas inegáveis contra a acusada serem desacreditadas uma a uma de forma tão convincente. Além disso, durante as investigações temos a participação mais que especial de uma personagem muito querida em “Deixada para Trás” (o livro anterior de Donlea), a Dra Lívia Cutty!

Os personagens do livro são muito bem  trabalhados, o autor faz questão de descrever personalidade, objetivos e possível motivação de cada um deles. A amiga inseparável Ellie Reiser, o amigo e ex-namorado Daniel Graves (que estava se casando no dia do assassinato), a amiga enciumada Charlotte (que se casou com Daniel), o irmão Marshall que apresenta uma deficiência neurológica progressiva após acidente de carro. Julian Crist era um desconhecido em meio a amigos e familiares de Grace Seobold, o que faz com que sua morte seja um mistério ainda maior. E a acusada não deixa de dizer a todo o momento que estava completamente apaixonada por ele, que para completar ia pedi-la em casamento no dia e local em que foi assassinado… Onde ela devia estar, mas não apareceu.

“De cara me escolheram como suspeita e depois procuraram provas para respaldar sua teoria.”

Como eu disse, acredito que seja o melhor livro de Charlie Donlea até o momento, e se seguir assim, teremos sempre histórias excelentes daqui pra frente. Não é fácil seguir interessada por uma trama quando se sabe a peça principal do desfecho, mas sua escrita é tão completa que o desenvolvimento se torna tão especial quanto o final, ou até mais. Então esta é uma leitura que indico fortemente a todos os fãs do gênero, e sigo com certeza aguardando os próximos lançamentos do autor!

_______________________________________________________________________________________________________________

Título:Não confie em ninguém 
Autor: Charlie Donlea
Páginas: 349
Editora: Faro Editorial
Gêneros: Suspense, Policial
Adicione a sua lista do Skoob
Onde comprar: Amazon