Stephen King é um renomado escritor que teve diversos dos seus livros transformados em séries (A Redoma. O Nevoeiro) e filmes (A Espera de Um Milagre. A Torre Negra…). Todo mundo sabe ( ou deveria saber) que It –  a coisa é mais um sucesso de King adaptado para as telonas há alguns anos atras, mas o que só quem viu o filme (ou leu o livro sabe) é que os fatos assustadores narrados em It acontecem em um intervalo de 27 anos, como o primeiro filme foi lançado em 1990 e estamos em 2017 … Entenderam porque este ano foi escolhido para o remake? E acreditem se quiser, este fato é apenas uma gota que torna It tão interessante, ao longo da resenha tentarei te mostrar o oceano. 

Resenha: It. A coisa - Stephen King

Vocês acreditam em maldição? Vocês acreditam que exista o mal, mas o mal canalizado, profundo? Vocês acreditam que é possível uma cidade inteira ser palco de fatos assustadores em um mesmo intervalo de tempo desde que os moradores se entendem por gente? Vocês acreditam em um mal que com hora e data marcada? Pois a cidade fictícia de Derry localizada no interior de Maine tem uma maldição, é o palco de fatos apavorantes e é o lar de uma entidade maligna chamada Pennywise, que pode assumir diversas formas, mas é mais comumente vista em forma de palhaço, com o doce intuito de atrair crianças para a morte.

It: A Coisa se passa em dois anos diferentes, no passado em 1958 quando os personagens principais, o grupo de amigos conhecidos como Clube dos Otários, composto por Bill Denbrough, Richard Tozier, Stan Uris, Michael Hanlow, Eddie Kaspbrak, Ben Hanscom e Beverly March são crianças curtindo as férias de verão, e em 1985, quando eles já são adultos, por este motivo a trama é narrada de maneira não linear.

Com um pouco mais de 1.000 paginas, é comum ouvir comentários a respeito de que o livro poderia ser cortado pela metade, se deixasse de explorar tramas e personagens secundários.

Todos os moradores da pequena Derry simplesmente ignoraram que algo realmente estranho se alimenta dos pesadelos e medo das pessoas em um intervalo de 27 anos, fazendo com que crianças desapareçam ou sejam assassinadas. Ninguém comenta sobre o assunto ou tenta resolver, apenas esperam que passe, porém naquele ano é diferente, um grupo comum de crianças que possuem medos e obstáculos individuais (como qualquer pessoa), mas que quando estão juntos, graças ao poder do amor, da amizade e confiança, conseguem superar qualquer adversidade, tomam conhecimento do mal que assombra Derry e resolvem se unir com o intuito de derrotar A Coisa.

 It. A coisa

Até este momento no livro os personagens principais (e o leitor) sabem pouco do que tao sobrenatural e perverso acontece na cidade, porém uma única coisa é certa, a promessa de que quando It: A Coisa  voltar, o Clube dos Otários irá se unir novamente, para acabar com ela de uma vez por todas.

Quase 30 anos se passaram, as crianças de 11 anos se tornaram adultos, quase todos morando em outra cidade e levando suas vidas sem pensar (ou lembrar direito) daquele verão, menos Mike o único deles que continua morando em Derry e que mantém todas as memorias daqueles dias tão vivas como se tivessem acontecido semana passada.

Mike é quem ficou de vigia e quem se incube de reunir o antigo clube quando descobre que A Coisa está de volta a cidade, apesar de ninguém recordar ao certo daquele verão, todos estão disposto a cumprir com a promessa e por um fim naquele pesadelo.

Porém eles nem imaginarem o quão forte a maldição é e se esqueceram de que quando se olha para um abismo, o abismo olha para você e é este um dos maiores poderes de A Coisa, ela te olha profundamente para descobrir exatamente qual o seu medo mais oculto e fazer uso dele, pois é disso que ela vem se alimentando ao longo dos anos e não pretende parar agora.

King faz uso de uma narrativa diferenciada e perigosa, pois ao mesmo tempo que aprisiona algumas pessoas, pode perder outras pelo caminho depende do quão focado ela esta. O leitor tem as mesmas limitações dos personagens narrados, ou seja, só sabe do que ele se lembra, por isso o começo é meio perdido, os fatos, as mortes, ficam soltas e só vão se encaixando a medida que os personagens voltam para Derry e recordam de tudo em relação aquele verão.

Vale ressaltar que King não deixa a desejar e explica tudo que precisa saber a respeito do mal que assombra aquela cidade e vai além, fazendo com que o leitor conheça intimamente cada personagem desde seus medos, até seus segredos.

Resenha: It. A coisa - Stephen King
O livro não é apenas sobre medo e terror, é sobre amizade, sobre o verdadeiro sentido do amor entre amigos, sobre enfrentar as dificuldades e cumprir com a sua palavra, mesmo que isso te custe muito caro. Quando ouvimos sobre “A Coisa”, o que vem em nossa cabeça é a imagem de uma palhaço, isso fez até que o próprio King usasse sua conta em uma rede social para se desculpar com os palhaços que perderam consideravelmente seus empregos desde anunciaram o lançamento do filme, porém palhaço é uma das milhares formas que It pode adotar, essa é a apenas a mais conhecida, entretanto ele varia de forma de acordo com o medo de cada membro do Clube dos Otários.
Ouço muitas pessoas dizendo que este é um livro incrivelmente aterrorizante, o pior que King escreveu, e isso faz com que se crie toda uma aura sombria (e apavorante) entorno da história, o que não é inteiramente verdade. Se esquecem de dizer que o livro relata temores infantis, aqueles medos bobos que todos nós tivemos um dia e que perdemos quando tornamos adultos (por exemplo meu medo hoje é boleto bancário, sair da dieta.. não o escuro), dessa maneira, It não é visto por adultos (tirando quando o grupo reúne em Derry depois de mais velhos), só por crianças e é relatado de acordo com a visão delas.

________________________________________________________________________________________________________________

Título: It a coisa
Autor: Stephen King
Ano: 2014
Páginas: 1103
Editora: Suma de Letras
Gênero: 
Suspense e Mistério, Terror, Aventura,  / Crime, Fantasia, Ficção científica, Horror, Romance