Quando recebi o convite do autor Bruno em minha fanpage para conhecer o livro A Garota que tinha medo fiquei com um pé atrás, o livro abordava o transtorno de ansiedade (TAG) um tema muito sensível pra mim, pois enfrento o problema há cinco anos e até o momento todos os livros que li sobre o assunto não mostravam muito da perspectiva do paciente e sim de termos mais técnicos e isso acabava deixando-os bem cansativos.

Porém li algumas resenhas sobre o livro e o que é apresentando em A Garota que tinha Medo é totalmente diferente do que eu já tinha visto em qualquer livro com esse tema, existe uma sensibilidade incrível da parte do autor, que o escreveu em primeira pessoa dando ao leitor a ideia direta do que são as crises e de como elas podem começar.

“Primeiro minha personalidade e depois a síndrome do pânico cavaram um abismo entre mim e as pessoas que eu conhecia.”

Marina é uma jovem que acabou de passar no tão sonhado vestibular e quer ter oportunidade de curtir tudo que essa nova fase de sua vida oferece, já que ela deixou de aproveitar muita coisa que queria durante o ano anterior para se dedicar totalmente ao vestibular.

Porém o que Marina não imaginava era que sua dedicação excessiva a levaria a desenvolver um transtorno de Pânico preocupante e desestabilizador que poderia minar totalmente essa nova fase que prometia novos amores, novas amizades e várias aventuras, além da chance de se formar no curso dos seus sonhos.

“Mas por que sofremos? A felicidade que a maioria de nós espera é idealizada; e uma felicidade idealizada só existe no mundo das ideias, onde não vivemos. Eu, por exemplo, posso ser feliz apesar da síndrome do pânico (porque este é o mundo palpável em que vivo), mas negar a síndrome para ser feliz me levaria a um mundo ideal, onde não vivo.”

Estou impressionada até agora com a sensibilidade do autor na descrição da crises da Marina e nas reações dos personagem que convivem com ela e principalmente com o desenvolvimento de Marina no decorrer da história, onde desde os primeiro capitulo você entende que ela está tentando relatar tudo que aconteceu com ela nesse momento e como foi o tratamento, ao meu ver o autor foi bem fiel nas cenas do ataque de pânico, mostrando quais são os sintomas e o que eles fazem com a mente da pessoa.

Outro fato importante no texto é que o Bruno apresenta a reação de cada personagem em relação a doença e seus sintomas, desde a mãe da Marina com suas exigências ao extremos ao seu ex- namorado e as pessoas ao seu redor e tudo isso através da visão da Marina.

Fiquei muito feliz com o convite e a oportunidade de conhecer essa historia, muito obrigada Bruno!!!

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!   
_______________________________________________________________________________________________________________

Titulo: A garota que tinha medo 
Autora: Bruno Melo 
Ano : 2014
Paginas :  278
Editora: Chiado
Onde comprar: AMAZON