As pessoas que de fato convivem com o mundo das penitenciárias costumam dizer que ninguém sabe como é de verdade a realidade de um presídio até entrar em um. Eu concordo com essa afirmação e felizmente o dia a dia do sistema prisional passa longe do meu convívio. O que sei sobre a rotina de uma prisão é somente o que imagino com base no que ouço, no que vejo em filmes ou no que leio. Agora que li Fellside posso dizer que o livro deu um pouco mais de asas a minha imaginação a respeito do tema.

Na história conhecemos Jessica Moulson (Jess), uma mulher que acorda super confusa em um hospital, descobre que parte do seu rosto está desfigurado e que sairá dali direto para uma prisão quando tiver alta. Já imaginou que situação bizarra?! Jess era usuária de drogas e foi acusada de atear fogo em seu apartamento após uma briga com o namorado. Acontece que o fogo além de causar graves danos ao rosto de Jess, chegou ao apartamento vizinho e matou Alex Beech, um garoto de dez anos que no momento dormia em seu quarto.

Coisas de Mineira

Toda essa história deixa Jess atordoada, Ela não se lembra do que aconteceu, estava muito drogada, mas acaba acreditando no que todos dizem e passa a se culpar pelo assassinato. É assim que a protagonista vai parar em Fellside (uma mega prisão de segurança máxima). Acompanhando a vida de Jess na prisão, vamos mergulhando com ela neste ambiente ameaçador, cercado de mulheres com histórias de vida bem complexas, capazes de inúmeras brutalidades.

Dá pra imaginar que em meio a tantas criminosas Jess vá presenciar e vivenciar momentos terríveis não é? E realmente um livro a é intenso, com bastante violência, tráfico de drogas, esquemas de corrupção… Não posso deixar de comentar a capa, cercada por arames farpados de textura áspera, tudo haver com a trama!

Fabrica 231

Dividido em quatro partes Fellside é um suspense com uma pitada de sobrenatural. A narração é feita em terceira pessoa e entre a narração e os diálogos vamos conhecendo o ponto de vista de personagens como o advogado, enfermeiras, o médico, um agente penitenciário, outras detentas e principalmente Jess. Todos esses personagens estão de alguma forma ligados a Jess, e ao esquema de corrupção e tráfico de drogas liderado por uma detenta (chefona interna) .

A princípio achei o texto um pouco confuso devido a quantidade de pessoas envolvidas na trama, mas com o tempo fui me familiarizando com os personagens e ligando os nomes (e sobrenomes) ás pessoas. Também achei a leitura um pouco arrastada por ser muito detalhada, mas do meio para o fim a história ganha ritmo e tive até a impressão de que tudo estava acontecendo rápido demais devido aos capítulos curtinhos e reveladores.

A essa altura da resenha você deve estar se perguntando onde está a tal pitada sobrenatural de que eu falei… Tô fazendo suspense uai!  É que o grande mistério da trama está justamente aí. Ao chegar em FellsideJess está tão imersa em sua culpa que deseja morrer e a partir de um momento de quase morte ela começa a ver e ter a companhia constante de uma criança morta.

É por essa criança e pelo objetivo de ajudá-la que Jess decide viver e buscar em si mesma, forças para enfrentar os desafios de sua nova realidade. Mas quem será a tal criança, essa estranha visitante? Será o espírito de Alex que teria voltado dos mortos para encontrá-la? O que a criança morta realmente quer de Jess? O que muito me chamou atenção na história foi a forma como o autor deu poder ao pensamento. Há momentos na trama em que o pensamento transforma, cria e distorce a realidade.

E aí gostou da resenha?

 

Esta resenha foi escrita pela Nathalia quando ainda estava no Blog.

_______________________________________________________________________________________________________________

Título : Fellside
Subtítulo: Estranhos Visitantes
Autor: M. R. Carey
Ano: 2016
Páginas: 464
Editora: Rocco 
Selo: Fabrica 231
Adicione ao Skoob
Onde comprar: AMAZON