A capa de Esnobes não me chamou muita atenção e preciso admitir que o título me despertou, já desde o início, certa antipatia. A meu ver uma pessoa esnobe é bastante desagradável e imaginei que se a leitura se referisse a personagens assim “rançosos” provavelmente não iria me agradar.

Assim comecei a leitura sem muita expectativa e sem saber ao certo o que esperar. Na trama conheci Edith Lavery e Charles Broughton. Ele é um excelente partido, membro da alta sociedade. Ela uma interesseira que por conveniência adoraria fisgar um bom partido que lhe garantisse um bom futuro.

Eles se casam e Edith tem acesso a um mundo cobiçado por muitos. O matrimônio foi para ela uma oportunidade de ascensão social e fica claro o interesse dela em levar vantagem… Mas por mais que ela tente se encaixar em sua nova vida, não demora, as coisas começam a desandar.

Por traz de todo o prestigio das classes altas, os evento, o luxo e a influência há muita inveja, mentiras, omissões e hipocrisia. O sonho não é tão bonito e agradável quanto ela imaginava e Edith se vê cercada de uma realidade extremamente entediante que só piora a cada dia.

A história nos é narrada em terceira pessoa por um amigo de Edith que também é um dos personagens. Este narrador passa boa parte das páginas reforçando o quanto a vida da personagem está entediante, monótona e o quanto a mesmice a incomoda.  Achei o texto repetitivo e acabei ficando entediada também.

Outra característica bem marcante na trama é nos mostrar a todo o momento como é o estilo de vida dos ingleses. Suas convenções, seus comportamentos e suas regras de etiqueta… Uma série de condutas implícitas que são facilmente assimiladas pelos membros daquela cultura, principalmente classe média alta e alta.

“…Começava a entender
que, naquele mundo,

 era questão de honra não se surpreender com
qualquer

manifestação de opulência,
por mais impressionante que fosse.”

Não desenvolvi nenhuma simpatia pela personagem Edith e senti certa pena do personagem Charles que me pareceu bobo de tão compreensivo.  Além de se chatear bastante com a mesmice da vida de casada Edith achava o marido desinteressante e fica dividida entre a possibilidade de um romance mais quente ou a tranquilidade e o status.

O livro traz questões ligadas a casamento por interesse, valorização das aparências, busca por dinheiro e posição social. Não pretendo julgar tais comportamentos. Acho que todos são livres para fazer suas escolhas, mas tenho claro em minha mente que é preciso bem mais que dinheiro para que alguém se sinta feliz. Não foi a melhor leitura da minha vida, mas valeu ter lido.

“Embora quase todo mundo tenha sofrido muito por amor .Esse é o sentimento que o ser humano mais almeja.”
Gostou da resenha?
Essa matéria foi escrita por  Nathalia enquanto ainda era colunista do Coisas de Mineira.
________________________________________________________________________________________________________________
Título: Esnobes
Autora: Julian Fellowes
Ano: 2016
Páginas: 352
Editora: Fábrica 231
Gênero: Ficção
Onde comprar: AMAZON