Existem dias em que a vida cobra da gente demais, não é mesmo? Trabalho, estudo, tarefas em casa… Parece que não vai sobrar tempo pra leituras, séries, filmes. Bom, foi em um momento assim que eu PRECISAVA encontrar alguma coisa pra distrair, mas tinha que ser especial: rápida, leve e divertida. E para o meu bem, encontrei aleatoriamente na Netflix a série The Good Place, que atualmente está com a segunda temporada finalizada e foi renovada para a terceira.

Resultado de imagem para THE GOOD PLACE.GIF

Trata-se da história de Eleanor Shellstrop, uma jovem de conduta duvidosa, que acabou de morrer. Porém, ao abrir os olhos do “outro lado” ela se dá conta de que foi enviada por engano para o Lado Bom e, confundida com uma mulher de grandes ações humanitárias, está recebendo tudo aquilo que seria designado à outra, inclusive sua perfeita alma gêmea (um professor de moral e ética).

Para piorar, os péssimos hábitos de Eleanor estão causando transtornos nunca vistos antes no Lado Bom, o que está gerando desconfiança e medo nos superiores sobre o que pode estar acontecendo de errado no local. Ela precisa urgentemente aprender a se comportar bem para não ser enviada para onde merece, o Lado Ruim, mas tudo à sua volta é estranho demais. E será que ela consegue melhorar ainda?

Essa série é hilária! Os atores escalados desempenham um excelente trabalho, a começar por Kristen Bell no papel principal, de quem já sou fã há bastante tempo, devido à sua carreira em musicais. Sua alma gêmea Chidi é um personagem conflitante e joga diversos dilemas éticos e morais aos telespectadores.

O monge Jiang é ótimo, só posso dizer isso sem dar nenhum spoiler. Mas com certeza meus 03 destaques são: Tahani, a vizinha britânica e carente; Michael, o arquiteto e criador do Lado Bom; e a MARAVILHOSA Janet, o sistema computacional de organização do Lado Bom. Fiquem de olho nesses personagens.

O cenário é colorido e alegre (como o famoso Lado Bom deve ser) e a série traz diversos questionamentos e reflexões através do humor, como por exemplo “Pra onde as suas ações atuais te levariam se valessem pontos, lado bom ou lado ruim?” e “Como o Lado Bom seria preparado para sua chegada?”. E como eu já disse aqui em outras oportunidades, essa ponte entre a ficção e o real, fazendo que você julgue o que está acontecendo se espelhando em suas atitudes, é algo bem interessante.

E apesar do humor ácido e crítico, o resultado é surpreendentemente leve (porém cheio de reviravoltas de cair o queixo!), com cuidados que você percebe ao nenhum palavrão poder ser pronunciado no Lado Bom e ser trocado por palavras comuns semelhantes e, surpreendentemente, por não incluírem em NENHUM momento qualquer referência à religiões.

Assista ao trailer:

Com episódios de 25min você consegue perfeitamente encaixar entre uma atividade e outra. As duas temporadas com 13 e 12 episódios em cada já estão liberadas na Netflix Com doses altas de comédia e grandes descobertas, apenas tome cuidado para não se ver preso em uma maratona (é bem possível).

______________________________________________________________________________________________________________

Título: O Bom lugar (The Good Place)
Gênero: Fantasia, Comédia 
Duração: 22 minutos 
Criadores: Michael Schur 
País de origem: Estados Unidos 
Idioma original: Inglês 
Elenco: Kristen Bell, William Jackson Harper, Jameela Jamil, D’Arcy Carden, Manny Jacinto, Ted Danson, Adam Scott