“O Inocente” (The Innocent) foi o sexto livro de história independente publicado pelo autor norte-americano Harlan Coben. Ele saiu nos Estados Unidos em 2005 – aqui no Brasil também. Contudo, hoje estou aqui para conversar um pouco sobre a mais nova minissérie liberada na plataforma de streaming Netflix. O Inocente (El Inocente, 2021) é uma produção original em 8 episódios, de origem espanhola e que foi inspirada no livro supracitado.

Como muitos já sabem, há algum tempo o autor fechou um contrato para 14 adaptações de livros seus, serem produzidas pela Netflix ao redor do globo. Isso mesmo. As histórias não se passarão nos Estados Unidos, como os livros do Coben. Já tivemos série que se passa na Polônia, por exemplo. E “O Inocente” ganhou a bela Espanha como lar. Mario Casas (de A Casa) vive o personagem principal, Mateo Vidal, o Mat. Achei interessante a escolha desse nome, bem próximo do personagem do livro, Matt Hunter.

Você pode estar se perguntando se vale a pena parar tudo o que está fazendo aí, e encarar esses 8 episódios de aproximadamente 60 minutos. Bom, na minha opinião, vale a pena demais! Eu sou sempre muito dedicada às produções que levam o nome do Coben. Mesmo que só como história inspiradora. E não me decepcionei mais uma vez. Talvez eu seja uma fã incondicional, ou talvez alguém fácil de se agradar… Quem sabe?

O Inocente - Netflix

Para me preparar para a maratona que fiz sexta-feira, dia que a série foi liberada pela Netflix, eu li durante a semana o livro novamente. Queria estar com a história bem fresca na mente, para também poder perceber as mudanças que invariavelmente acontecem quando se muda de mídia. A série homônima tem no elenco Aura Garrido como Olivia, Alexandra Jiménez como Lorena, e José Coronado como Teo Aguilar. Elenco bem pertinente para a obra.

Em “O Inocente” a premissa é a seguinte: Mat queria ir embora de uma festa bastante badalada. Estava com seu irmão Isma (Jordi Coll). Todavia, quando estava indo embora, uma garota o interpelou. Ela o convenceu a ficar mais um tempo por ali. Mat era estudante de Direito e tudo indica que ele era uma pessoa do bem, dedicado e inteligente. Só que a vida queria começar a lhe passar a primeira de uma série de situações complicadas. Começa a rolar uma briga. Vários caras contra seu irmão. Mat teve que entrar no meio da bagunça, ou seria um massacre.

Acontece que (e isso não é spoiler), Mat acaba por derrubar de maneira mais contundente, um rapaz chamado Daniel Vera (Eudald Font). Esse garoto bate a cabeça em umas pedras que estão amontoadas por ali e morre. Pronto! A vida como Mat conhecia se foi. Tudo agora é um borrão de acontecimentos, até o momento que ele se vê recebendo uma condenação de 4 anos por homicídio culposo. O inferno está começando. Será que Mat conseguirá se virar encarcerado?

Acredito que a adaptação não deixou nada da história original se perder ao longo dos episódios. Acostumados estamos com as alterações que são necessárias, ora para dar um tipo de emoção diferente (pois fazer uma leitura, e assistir uma série, são experiências muito distintas!), ora porque os roteiristas assim o quiseram. Porém, as mudanças que ocorreram na trama, para mim, não prejudicaram a obra. Muito pelo contrário… Deu um fôlego a mais. Foi uma espécie de ritmo a mais nos desdobramentos de todo mistério.

Porque, falando em mistério, pensa numa história cheia deles. Olivia (Aura Garrido), não entra em contato com Mat, seu marido, desde que ele a deixou no aeroporto para uma suposta viagem à trabalho, para Berlim. Depois disso, o rapaz começa a receber fotos de sua esposa com um homem que não conhece. Até mesmo um vídeo. E a situação era bastante comprometedora. Fazendo com que Mat começasse a investigar o que estaria acontecendo. Principalmente por não conseguir contato, de fato, com Olivia.

Olivia e Mat se conheceram em uma liberação que ele teve na prisão, para comparecer ao velório dos pais. Mas, ele não contou a ela que era presidiário. Deixou aquele encanto de uma noite perdurar. E ficar na memória (dos dois). Até que se reencontram anos mais tarde. E começam uma vida juntos. Hoje Olivia está gravida, e o casal busca uma nova casa para começar outra parte da história que estão construindo.

Mas, tudo começa a desandar após as mensagens que Mat recebe diretamente do celular de Olivia. E em “O Inocente” você fica o tempo todo buscando uma brecha no enredo, para ver se consegue descobrir algo pelos seus próprios poderes de dedução. LEDO ENGANO! As subtramas nos pegam desprevenidos. Nunca sabemos o que Coben quer de fato. Ainda assim, a série acompanha muito bem esse clima de mistério e dúvidas que o autor fez questão de ressaltar em seu livro.

Algo que foi mais explorado na série, do que no livro, foi a relação de Mat com a mãe de Dani, o rapaz que ele ‘assassinou’ há mais de 10 anos. Esse relacionamento acaba por ser uma forma de terapia para os dois. Sônia (Ana Wagener) utiliza-se de um método com a ajuda de Mat, para vencer ou sublimar a dor de ter perdido o filho. Funciona muito bem, e é importante para a trama principal. Gostei dessa alteração.

Aqui em “O Inocente” ficamos sempre em dúvida a respeito de quem cometeu qual crime. E quem está enganando o outro, ou quais os motivos de toda essa tramoia bem arquitetada. A verdade é que temos poucas chances de descobrir tudo ao longo dos episódios. Cada construção é valiosa, e o episódio final com pouco mais de 1h de duração vem com aquele fechamento que Coben sabe como fazer. Ou seja, a série acompanhou o ritmo do fim do livro, mas com a escolha dos produtores e roteiristas de seguir outro caminho. Ficou impecável, no meu gosto pessoal, claro.

 

Então, se prepare para lidar com vários tipos de assassinatos (cenas de corpos com rostos desfigurados não faltou…), histórias que envolvem desde um colégio católico, freiras, adoção, strippers, vidas devastadas, chantagens e abusos. Não são temáticas fáceis e simples de se lidar, mas que casaram com a narrativa de forma bastante fluída, fazendo todo sentido no fim das contas. Concluindo, para não deixar de ser aquela fã das histórias do Coben CHATA que sou, sobretudo recomendo muito a série! Espero que gostem tanto quanto eu.

 

_____________________________________________________________________________________________________________________

Lançamento: 30/04/2021
Gênero: Drama, Suspense, Crime
Título original: El Inocente
Direção: Oriol Paulo
Adaptação: Oriol Paulo, Jordi Vallejo e Guillem Clua
Elenco: Mario Casas, Aura Garrido, Alexandra Jiménez
Nacionalidade: Espanha