“Minha Sombria Vanessa” é o romance de Kate E. Russell, que a editora Intrínseca nos trouxe agora em 2020. Em primeiro lugar, se você acha que provavelmente “Precisamos Falar Sobre o Kevin”, acima de tudo, pode ter toda certeza do mundo que nós precisamos falar sobre a Vanessa!

Essa narrativa traz um tema difícil de ler e de ser digerido: abuso de adolescentes. Então, se você já leu algo do tipo “Lolita”, do Nabokov, e não se sentiu confortável (na verdade, espero que ninguém se sinta confortável com tal temática!!!)… Mas, o fato é, se esse tipo de leitura te perturba muito, não passe perto de “Minha Sombria Vanessa”. Aviso de gatilho em negrito aqui para você já estar avisado.

A trama é narrada pela própria Vanessa, que ‘hoje’ é adulta, mas que não encara tudo que aconteceu consigo na adolescência como assédio e abuso. Fatos extremamente traumatizantes, que perturbam o leitor no seu íntimo, causando um misto de nervoso com revolta. Mas, Vanessa acha que está tudo ok.

O interessante é que “Minha Sombria Vanessa” é o romance de estreia de Russel. E a mulher já chegou ao melhor estilo voadora nos peitos do leitor. Impactante, revoltante, forte, reflexivo, e assustador. O livro é tudo isso. Contudo, preciso confessar que a escrita da autora é de qualidade. Ela te prende de uma forma, que você continua uma página atrás da outra, buscando entender tudo que está acontecendo, mesmo tudo sendo tão perturbador.

“Como você é forte.
Como você é corajosa.
Que espécie de monstro faria isso com uma criança?”

Vanessa tinha apenas 15 anos quando conheceu o professor de inglês Jacob Strane, de 42 anos. E a história sinistra se dá através dessas duas peças raras e complexas. Pois, Vanessa de forma um tanto consciente, se envolve com seu professor em um caso de amor e sexo. Ler a respeito do relacionamento íntimo dos dois é muito difícil. Incomoda muito. E não sei se o motivo é por eu ser mulher, ou por ter um horror tão grande a respeito da pedofilia, que eu sofri com tudo que a garota conta, da forma que nos conta. Uma vítima que parece ser ‘cega’ a tudo de errado, porém de propósito. Foi a impressão que ficou comigo.

Uma adolescente de 15 anos não está pronta, nem apta, para um relacionamento com um homem de mais de 30 anos. Um homem que ainda por cima é uma figura de poder (seu professor!), que representa uma grande conquista aos olhos da inocente adolescente. Mas, acredito que o que mais me perturbou nisso tudo, foi o fato da Vanessa adulta nos relatar tudo, como se estivesse aquém dos fatos. Como se tivesse acontecido com outra pessoa que não ela. Tudo era muito natural, muito simples, e muito correto. Pois existia “amor”. Ela realmente era amada por Strane. SOCORRO!!! Mais cega impossível.

“Venha ser venerada, venha ser acariciada,
Minha sombria Vanessa, riscada de carmim, minha abençoada,
Minha Admirável borboleta!”

Ao longo da leitura podemos enxergar perfeitamente que Strane é um pedófilo, e que Vanessa uma de suas vítimas. Sim, o caso se repete com outras garotas. Mas, Vanessa ainda acredita que ela foi um ser todo especial que marcou a vida do professor pedófilo. Na cabeça da garota, e futuramente da mulher mais madura, o que aconteceu entre eles foi um relacionamento, foi amor, um romance. E em momento algum você verá a senhorita Vanessa reconhecendo o caráter criminoso, abusivo e doentio dessa “relação” dos dois.

Vanessa acaba por se tornar completamente reforçada por Strane a ser sua cúmplice. Sua mente e psique foram moldadas pelo pedófilo. Ela aprendeu a “passar pano” para suas atitudes. A relevar seu interesse por jovens garotas, mesmo que tenham passado muitos anos e a cada ano ele esteja mais velho. As meninas são sempre adolescentes que se sentem especiais por ser a escolhida, ou a queridinha do professor. Entretanto, parece que só Vanessa não se deu conta a chegar à idade adulta, que tudo isso era muito, muito errado.

Essa leitura pode ser tirada de letra por alguns leitores. Só que também pode ser rechaçada por outros. É que é muito complicado, e também difícil, ver uma narradora defendendo a todo custo o ser que marcou, que moldou, e que estragou toda sua vida. Você poderá perceber como Strane não é nada sutil e como suas investidas são super clichês. Mas, nossa… Deve ser bem o que uma garota de 15 anos que está descobrindo a vida, o amor e relacionamentos, gostaria de ouvir de um homem experiente e mais velho. Será?

“ACREDITEM NAS MULHERES.”

Incrivelmente Vanessa não tem interesse pela aparência de Strane. Às vezes sente repugnância e nojo do sujeito propriamente dito. Apesar disso, o olhar dele sobre ela a revelou outra Vanessa que ela não conhecia. Isso deu uma polida eu seu brio, e a fez se sentir muito bem. Vanessa se sente inebriada por ter algum “poder” de fascínio sobre um homem vivido, um homem experiente.

Em “Minha Sombria Vanessa” você poderá analisar à sua própria ótica a posição de uma Vanessa adulta a despeito de tudo que ocorreu ao longo de sua vida, a partir do internato onde ela foi abusada de diversas formas pelo seu professor, seu amante. Você também irá buscar entender o papel da escola nisso tudo, bem como dos pais da garota. São 432 páginas nas quais você poderá tirar suas próprias conclusões a respeito de todo esse “relacionamento”.

“É estranho saber que, toda vez que eu me lembrar de mim aos quinze anos, é nisso que vou pensar.”

Mas, uma das coisas que mais gostei em “Minha Sombria Vanessa” foi a capa de traz do livro. Só tem uma frase. Em letras grandes, garrafais, representativas e expressivas: ESTA NÃO É UMA HISTÓRIA DE AMOR. Amém, dona Russel. Isso era algo que precisava ser dito e ressaltado. Que alívio.

A edição está muito bem trabalhada. A capa é sombria tanto quanto o título escolhido pela autora, e tão bem traduzido para nosso idioma. A diagramação é simples, porém eficaz. O romance se passa entre os anos de 2006 e 2017 – isso é algo que gosto muito. Impresso em papel pólen, nas nossas amadas folhas amareladas, a história embora indigesta, é confortável aos olhos. Aproveite, e nos conte o que achou desse livro se você já o leu. E se ainda não encarou essa obra, diga-nos se tem coragem de ver a fundo do que se trata, ou se prefere passar longe de livros com esse tipo de tema.

“– Porque se não for uma história de amor, então o que é?
Olho para seus olhos brilhantes, para sua expressão de empatia sincera.
– É a minha vida – digo. – Isso tem sido a minha vida inteira.”

_____________________________________________________________________________________________________________________

Título: Minha Sombria Vanessa
Autor: Kate Elizabeth Russell
Ano: 2020
Editora: Intrínseca
Páginas: 432
Gênero: Suspense, Mistério, Ficção, Literatura Estrangeira
Adicione a sua lista do Skoob
Onde comprar: Amazon