Há algum tempo, os livros eróticos tem se popularizado no Brasil e ganhado o coração de vários leitores e eu não fiquei de fora. Já havia tido o prazer de ter contato com eles antes mesmo de se popularizarem no país, e agora que está mais fácil de chegarem às nossas mãos, faço questão de ler pelo menos um por mês e não tenho vergonha de confessar que sou romântica e adoro a boa pegada dos nossos homenzinhos de papel. Hoje falaremos de Ensina-me a sentir.

Quando eu comecei a ler “Ensina-me a Sentir” – S. Quinn, publicado pela editora Fundamento, acreditei profundamente que seria mais um livro a entrar para minha prateleira de preferidos, já que ele tinha tudo que eu espero em um livro – uma boa ideia, personagens complicados, locais lindos como plano de fundo e algumas cenas hot.
Sofia é uma jovem aspirante a atriz, que acabou de ganhar uma bolsa de estudos na famosa universidade de artes do belíssimo e premiado ator Marc Blackwell, um homem conhecido por sua carreira nas telonas desde criança e por seu temperamento forte e controlado.  
 
Quando Sofia vê Marc pela primeira vez em sua audição, ela fica mexida com sua presença. E quando ele passa a ser seu professor e no seu primeiro dia lhe dá um trabalho onde ela terá que mostrar seu lado mais sensual em uma audição surpresa, por não ter tido tempo para estudar ela fracassa tristemente. Se sentindo perdida ela pede ajuda ao melhor, mas Marc não pode ficar perto de Sofia, pois tudo nela mexe com ele e o faz perder o controle que ele tão sofridamente aprender a exercer.

Além disso, ela também é sua aluna, o que faz com que seus sentimentos por ela sejam inapropriados, com que sejam ainda mais errados, porém ele não consegue resistir ao seu pedido e muito menos seu corpo.  

 
No entanto, o que li ficou bem longe do que realmente esperava da história. Seus personagens tinham bagagem, e a autora até tinha uma ideia geral legal, mas faltou química, intensidade, e uma sensibilidade que S.Quinn não teve ao demonstrar um caso de amor que deveria ser impossível e perigoso, ao ponto de que ninguém pudesse sequer imaginar que estava acontecendo, e aquela sensação de que a qualquer momento eles seriam pegos e tudo viraria um grande escândalo, acabou ficando forçada e sem graça.
A escritora apresentou duas figuras dramáticas já muito conhecidas pelo público, um homem atormentado por seu passado sofrido, e uma mocinha que abre mão da sua felicidade para cuidar da família. Tenho que concordar que essa ideia geralmente funciona belamente em um romance, mas é preciso conseguir abordar esse tema de um jeito que o leitor se sinta apaixonado pelo carisma de seus personagens e por sua biografia sofrida.
 
No meu caso, conseguiu foi me irritar na maior parte do tempo, fazendo com que eu quisesse bater com uma marreta na cabeça deles e me perguntar o que se passava na mente da S.Quinn para escrever duas pessoas tão cansativas.

Mas antes que você imagine que não tenho nada positivo para contar do livro, tenho que deixar todos cientes que S.Quinn conseguiu ser bem criativa em suas cenas hot, principalmente a do armário.
Mesmo que tenha faltado essa mesma criatividade em outras áreas do romance, ela soube conduzir as cenas mais picantes do livro de uma forma bem interessante, até inusitada, chegando ao ponto de fazer o leitor questionar de onde ela tirou aquela ideia singular de que o Marc não poderia… haha achando que eu vou contar né? Nananinanão. Você terá que ler para descobrir e me contar o que achou do livro, principalmente se você só esta procurando por cenas mais picantes em um livro.

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar com os amigos e assim você ajuda 
o blog crescer!♡!
________________________________________________________________________________________________________________
Título: Ensina-me a sentir
Autor: S. Quinn
Paginas: 312
Ano:2014
Editora: Himmel
Onde comprar: AMAZON