Sabe aquele ditado que diz “Nunca julgue um livro pela capa” – deveria servir para títulos também !Já tem um tempo que eu solicitei a parceira Ed. Valetina o livro “Par Perfeito” de Eleonor Prescott esse Chick lit foi o livro de estreia dessa autora, nesse estilo literário e fez muito sucesso nos EUA.

Em Par Perfeito somos apresentados a uma agência de casamentos com o nome de “Mesa para Dois” e vários personagens que vão compondo a trama que se desenrola por capítulos narrados por pessoas diferentes, mostrando assim os sentimentos e sonhos de cada um deles, mas não deixando de focar na principal personagem – Alice Brown.

“Durante toda a sua vida as pessoas a haviam chamado de sonhadora. Alice concordava. As coisas eram muito mais excitantes quando coloridas por um pouco de fantasia. Era a vida real, só que melhorada com photoshop.”

Casamenteira por profissão, Alice, acredita que todos os clientes da empresa “Mesa para Dois” devem ser entendidos e direcionados á aquela pessoa que realmente os completa, mesmo que para isso ela não mande para o encontro o tipo de pessoa que o cliente descreve como seu estilo.Sonhadora ela acredita que cada pessoa tem sua outra metade e tende a viajar olhando para a janela enquanto monta os casais em sua cabeça e sonha com o dia em que encontrara o cara certo.

Audrey a dona da empresa é uma mulher com quarenta anos ou mais, que apesar de ter criado uma agência de casamentos bem sucedida, nunca encontrou sua felicidade.  Kate é uma jovem de 30 anos que se tornou cliente da Mesa para Dois acreditando que conseguira achar seu par ideal. Já Lou (melhor amiga de Kate) aposta que “saindo a caça” pode achar o cara legal, porém enquanto isso não acontece – ela vive uma noite de cada vez.

“A vida fica muito mais divertida quando abrimos as portas do coração para surpresas.”

 

Comecei a ler Par Perfeito achando que iria me identificar de cara, amo Chick lit, porém me peguei parando a leitura várias vezes e não conseguindo sair das primeiras cinquenta páginas por muitos dias. Simplesmente não consegui criar nenhum tipo de empatia pelos personagens ou me identificar com nenhuma de suas características, a narrativa ficava tão cansativa ao longo dos capítulos que eu me perdia totalmente em quem era quem.
Então eu parava pensando que a leitura ficaria menos difícil depois de algumas páginas e eu começaria a não me perder tanto nas mudanças de narrativa. E isso até aconteceu em alguns capítulos e a partir da página 100 eu consegui entrar na história e até mesmo gostar de alguns momentos, por exemplo a parte em que a Alice diz que usar roupas chiques e salto alto dava ela a impressão de parecer um travesti. Mas eram poucos os momentos que conseguia me divertir com a leitura e achar que o livro estava fluindo, em outros eu somente queria que acabasse, e como eu raramente abandono uma leitura, continuei firme e forte torcendo para um final de parar o coração.
Não teve o final de parar o coração :(, mas tiveram cenas marcantes e realmente uma ideia do final de cada personagem, alguns bons e outros não, para quem fez por merecer, fiquei feliz pelo desfecho da Alice e abismada pelo da Audrey de quem tomei uma antipatia desde as primeiras vezes.
Talvez eu não estivesse no clima desse livro ou por eu ter achado que seria mais o lado romance da personagem e menos sobre seu trabalho e todas as picuinhas ao redor que a história acabou não me convencendo. Só sei que se avaliasse meus livros com notas esse não teria passando de 2,5 em 5, mesmo com o trabalho incrível de diagramação da editora e forma simples de escrever da autora.

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar!♡!

______________________________________________________________________________________________________________
Titulo: Par perfeito
Ano: 2014 
Páginas: 352
Idioma: português
Editora: Valentina
Onde comprar: Submarino