Você não ouviu falar em La Casa De Papel? Então certamente você  não tem nenhum contato social, se a série é boa ou ruim, isso é papo para outro momento, se é supervalorizada ou a melhor coisa da netflix até hoje, iremos falar mais tarde, a questão é que ela se tornou a queridinha do público e um fenômeno de popularidade. Justamente por ser tão recomendada e apontada estava com preguiça de começar a ver, o que posso fazer gente? Nasci pra jogar no time do contra, nasci pra ser o outro lado, porém em algum momento a gente precisa parar de resistir e deixar a curiosidade ditar as regras, costumo dizer que toda maioria é burra, que a voz do povo não é nem de longe a voz de Deus, mas existe exceções, algumas vezes a maioria acerta e ao amar ‘La Casa De Papel’ foi uma delas.

O modelo de La Casa de Papel segue o estilo americano de filmes que retratam assaltos a bancos que já vimos um bilhão de vezes, dizem por ai que é o seriado espanhol mais americano de todos, olhando de um certo angulo, talvez realmente seja, a história é simples, mas não peca pela simplicidade é justamente o contrario, cativa. El professor é um homem misterioso que decide assaltar a casa de moeda de Madrid, com o objetivo de imprimir 2,4 bilhões de Euros, para que isso dê certo o plano é minucioso, tem hora e data exato, pois uma serie de eventos precisam acontecer no dia do assalto para que a segurança dos criminosos e o exito do plano não seja colocado em risco.

El professor recruta oito criminosos com diferentes habilidades e uma coisa em comum, ninguém tem nada a perder, com regras claras que visam manter o triunfo do plano, ele deixa claro que relações entre os criminosos são proibidas, até mesmo laços simples como saber o nome, uma vez que se alguém for pego o plano não corra risco. Cada criminoso tem uma história que ao longo da trama é apresentada, desse modo o telespectador se conecta a eles e inevitavelmente torcer pelo sucesso do assalto, a jogada de humanizar sempre da certo, uma vez que ninguém resiste a uma boa história contada da maneira certa, sem excessos de santidade ou maldade, apenas características humanas.

O grupo de criminosos precisam ficar 11 dias dentro da casa de moeda para que o plano seja executado com sucesso e é de imaginar que a tarefa não seja nada fácil, pois precisam lidar com dezenas de reféns, a mídia, com eles mesmo, toda policia de Madrid e as fragilidades comuns em um plano de tamanha ousadia. O interessante da série é que não são apenas os assaltantes que têm destaques o telespectador conhece alguns reféns (que tem importância pois o programa mostra a síndrome de Estocolmo), e também a policial encarregada pelo caso, que tem um papel extremamente importante ao começar a se envolver com um dos criminosos.

Um ponto positivo que me chamou atenção é o quanto as mulheres são apresentadas em posições de liderança, tendo a sua inteligencia devidamente exaltada e sem a necessidade de um homem para guia-la. La Casa de Papel faz jus (e merece) toda sua fama, é uma serie bem feita, que prende o telespectador, talvez esse seja o seu defeito, é impossível assistir só um episodio, relatando as pessoas de maneira nua com suas peculiaridades, ela é o tipo de seriado que nos ganha logo no plot e leva a gente até o final. Se você não perde uma boa história, um bom suspense e esta sempre pronto para desconstruir seus conceitos a respeito de vilão e mocinho, não perca La Casa de Papel.

Disponivel na NetFlix, veja abaixo o trailer: