LIVROS

ESPLÊNDIDA – A HISTÓRIA DE EMMA – JULIA QUINN | RESENHA

07 julho, 2021 por

Hoje vamos falar de um livro de uma autora que tenho gostado muito. “Esplêndida – A história de Emma” de Julia Quinn é o primeiro livro da trilogia “Damas Rebeldes” e foi lançado esse ano pela editora Arqueiro. Apesar dele ter sido lançado esse ano, essa é a história de estreia de Julia Quinn, publicada em 1995. Vamos para a história?

Alexander Ridgely, o duque de Ashbourne, é um solteirão convicto que não quer pensar em casamento até ter uns 40 anos, afinal, como duque, precisa de um herdeiro. Mas quando uma linda jovem, com roupas de criada, se joga na frente de uma carruagem para salvar seu sobrinho, os pensamentos do duque começam a mudar.

Emma Dunster é uma herdeira americana que sob muita pressão, acabou indo para Londres com os tios e primos, para passar uma temporada. Quando a garota se veste de criada e acaba saindo da casa dos tios, ela se joga na frente de uma carruagem para salvar um menininho. O que ela não esperava, era perder os sentidos e quando recobrasse a consciência, visse os olhos verdes e o interesse de um duque em cima dela. Para que não descobrissem que era uma dama, a jovem acaba mentindo sobre ser uma criada, mas como dizem, mentiras tem pernas curtas.

“Bravura não era algo que Alex estava acostumado a ver em mulheres, mas aquela jovem criada misteriosa acabara de demonstrar exatamente isso. Ele estava interessado nela, tinha que admitir.”

Esplêndida

Esse é o enredo de “Esplêndida – a história de Emma” um livro leve, divertido e que acabei lendo em um piscar de olhos, me deixando com gostinho de quero mais. Quando vi que esse era o primeiro livro de Julia Quinn, fiquei meio receosa com a história. Já haviam me falado que “História de um grande amor” era uma das primeiras histórias da autora e eu não gostei muito dela. Então, acabei indo com um pé atrás.

Mas que tolice a minha, Julia Quinn não tem o título de rainha dos romances de época à toa, não é? A história é fascinante e me prendeu do inicio ao fim, inclusive, depois do fim fiquei com muita vontade de ler os outros. A sinopse da história me instigou a ler, é um costume meu ler o verso e a orelha do livro antes de começá-lo. Quando li a orelha fiquei ainda mais intrigada em como a sinopse se daria. Afinal, ela iria fingir ser uma criada por muito tempo ou não?

Alex é um duque que assim que recebeu o título, viu as mulheres caindo em cima dele, de olho em seu título e sua fortuna. Por isso, o jovem acabou fechando o coração, querendo uma esposa apenas para conseguir um herdeiro. Mas sua família não tem esse mesmo pensamento, a irmã e a mãe de Alex fazem aparições muito importantes e legais na história. A irmã por mais tempo, eu até gostaria de ver a história dela com o marido, mas sei que isso não iremos ter.

“Em algum momento ao longo do caminho, a felicidade dela se tornara muito mais importante do que a dele.”

A história de Emma e Alex é maravilhosa. Emma é uma jovem singular, sendo filha única e vivendo apenas com o pai, a garota tem uma mente brilhante, um dom para confusões e quer muito poder dirigir o estaleiro de seu pai. Mas, por ser uma mulher, esse sonho é algo muito distante e seu pai a manda para Londres com a esperança de que ela encontre um amor.

Em Londres, Emma só não quer envergonhar seus tios e primos, mas como a jovem espontânea que é, não consegue ficar com a boca fechada e nem fora de encrencas. O que traz para o leitor vários momentos divertidos e angustiantes. Sim, temos vários momentos divertidos e angustiantes. Divertidos porque a interação dos dois é muito legal, desde o primeiro encontro e angustiantes, porque Emma se mete em umas confusões, que só Deus.

Inclusive, há alguns dias vi um post sobre quando o autor mostra que está tudo bem, mas ainda tem muitas páginas para o livro terminar. Me senti exatamente com esse desespero quando estava lendo “Esplêndida”. Julia Quinn vai rumando a história para o final, mas fui percebendo que ainda tinha muitas páginas para terminar. É aí que a mulher consegue deixar a história mais interessante ainda.

“- (…) Conheço um libertino quando vejo um, mesmo que esse libertino seja o meu próprio filho. Principalmente quando ele é o meu próprio filho (…)”

Seguindo a linha dos romances de época, temos heroínas a frente do seu tempo e com personalidades fortes e apaixonantes. Sim, heroínas, porque conhecemos um pouco de outras personagens sem ser Emma. E como sou uma pessoa bem curiosa, antes de finalizar o livro já fui correndo procurar de quem seriam os próximos livros, o que descobri que a prima de Emma, Belle, estará em um e o nosso maravilhoso Dunford em outro. Ainda na pesquisa fui buscando mais a fundo, porque na minha imaginação tinham mais personagens que mereciam sua voz e qual foi a minha surpresa em saber que há uma antologia com Lisa Kleypas e Kinley MacGregor onde outro personagem querido ganha sua voz: Ned!

No site da Julia Quinn é possível conhecer algumas curiosidades da história. O nome de Emma, por exemplo, é uma homenagem a sua irmã Emily, e o sobrenome Dunster é uma homenagem ao dormitório da faculdade do marido de Julia. Outra curiosidade é que o nome da casa ancestral de Alex, Westonbirt, é o nome do internato que Julia frequentou na Inglaterra.

“Alex estava sentado diante dela, sentindo pena de si mesmo porque ela havia roubado alguma espécie de direito inato masculino, sem sequer parar para pensar em quanta coragem fora necessária para ir até a casa dele desacompanhada e pedi-lo em casamento.”

Deixa eu falar um pouco sobre as capas dessa série? Gente, a Arqueiro está de parabéns. Toda a composição da capa de Esplêndida está maravilhosa, a cor (verde água), a fonte e a foto. Mas não é só ela, no verso podemos ver a prévia das capas dos outros dois livros: “Brilhante” com sua capa rosa e “Indomável” com sua capa amarela. Sobre outras edições da história, a capa brasileira ganha de 10 a 0. Então, parabéns e obrigada Arqueiro, por essa edição maravilhosa.

Julia Quinn virou uma das autoras de romance de época mais querida pelos leitores. Com mais de 10 milhões de exemplares vendidos e com seus romances traduzidos para 27 países. Sua série mais famosa, “Os Bridgertons”, teve seu primeiro livro adaptado pela Netflix em 2020, com a segunda temporada programada para esse ano. Julia Quinn, foi a autora mais jovem a ser incluída no Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos. “Esplêndida – a história de Emma” é o primeiro livro da trilogia “Damas Rebeldes” e eu estou ansiosa demais para ler os outros livros e o 3.5, com a história de Ned!

E aí, já leu “Esplêndida”?

“Ela respirou fundo algumas vezes, tentando conter o temperamento que já a tornara famosa em duas casas, em dois continentes. Mas perdeu a batalha.”

______________________________________________________________________________________________________________________

Trilogia “Damas Rebeldes”:
1. Esplêndida – A história de Emma
2. Brilhante – A história de Belle
3. Indomável – A história de Henry
3.5. Where’s my hero? – A tale of two sisters
Autora: Julia Quinn
Ano: 2021
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de época
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário