“Enfim, capivaras” não é um livro que me comprou pela capa, na verdade, em um primeiro momento achei a capa dele bem estranha. Mas ele me comprou pela história, primeiro na sinopse, e depois a medida que fui avançando na leitura. Então vamos à história?

Vanessa se mudou para uma cidadezinha no interior de Minas Gerais, onde anunciam os obituários e os horários de cinema no mesmo carro de som. Nada de interessante acontece na cidadezinha, a não ser para Binho, que segundo ele, tem várias namoradas e conhece muitos cantores famosos de sertanejo.

Mas a verdade, é que Binho é um grande mentiroso e todos os seus amigos sabem disso. A mentira da vez foi que agora ele tem uma capivara de estimação. Cansados dessas mentiras e querendo que ele assuma que nada do que diz é verdade, Vanessa, junto com os novos amigos – Léo, Nick e Zé Luis – vão para a casa do garoto, desmascará-lo.

Lá, descobrem que a tal capivara havia fugido, e saem em busca do animal acompanhados de Binho.

O livro é narrado durante doze horas de uma noite com muito álcool, salgadinhos, segredos e romances mal resolvidos. “Enfim, capivaras” é narrado por vários pontos de vistas, e traz de uma forma singela, problemas que adolescentes podem ter seja em uma cidade pequena ou uma capital.

Então, tentei trazer um pouco da sinopse do livro, espero que vocês tenham se interessado por lê-lo depois dela. Mas caso ainda não, vou dizer mais um pouco sobre o que achei. O livro se passa em uma cidadezinha do interior de Minas Gerais, mas acho que qualquer pessoa que tenha vindo de uma cidade pequena poderá se identificar com ele.

enfim, capivaras

“A gente sempre chega no meio de uma história e sempre sai antes que acabe. Exceto da nossa história, acho eu.”

Vamos começar pela Vanessa então, a garota é uma estranha na cidade em que todo mundo se conhece. Em plena adolescência isso pode não ser tão legal assim (quando eu era pequena, até o ensino médio, eu mudava de escola quase todo ano e era terrível começar tudo de novo em um lugar diferente. Falo isso em um cenário de escola, imagina de cidade?).

Ela está tentando se enturmar, é uma garota que acabou de passar por momentos difíceis na família e teve que deixar o lugar que chamava de lar e acompanhar a mãe. Ela tem seus próprios problemas e dramas para contar, que não falarei muito para não dar spoiler.

Nick, apesar de ter nascido e crescido na cidadezinha, se sente como uma estrangeira naquele lugar. Com modos diferentes dos moradores, a menina que não curte se arrumar passa por problemas comuns na adolescência, infância e juventude, que qualquer pessoa, seja em uma cidade no interior ou na capital, poderia passar. Durante a história, em momentos que a mesma narra, é possível entender um pouco mais sobre esses problemas e a vida dela.

Zé Luis é um garoto bom. HAHAHA. Sim, ele é um menino bom, com uma mãe que trabalha de empregada doméstica e que sempre a ajuda quando pode. Apesar de em um primeiro momento o ver como um menino bom, a medida que a história vai avançando, conhecemos os dilemas que ele possui.

enfim capivaras

Léo é o garoto rico do grupo. Sua família é dona de uma grande fazenda e é muito importante para a cidade. A prova disso é que com 16 anos, o garoto dirige para cima e para baixo, além de conseguir sair de algumas situações só usando o nome do pai. Apesar de ter tudo o que precisa, ele luta contra os próprios problemas também, e nos mostra que as aparências nem sempre são o que parece.

“- Eu tenho celular.
Léo tira o Motorola V3 Black do bolso. É um celular que fede a dinheiro. Há um silêncio estranho entre as frases, o oposto da conversa sobreposta de antes.”

Binho por sua vez, é um tremendo mentiroso. Em nenhum momento eu consegui acreditar em qualquer coisa que ele falasse. Acho que até para deixar isso em aberto, ele é o único jovem que não narra nenhum capítulo. Mas apesar disso, consegue passar por situações bem engraçadas.

“Enfim, capivaras” fala sobre amizade, uma ligação que pode nascer até entre pessoas bem diferentes uma da outra. Fala sobre lealdade, sobre diversão e não podia faltar o amor, não é? Temos um romance durante a leitura, um que torci nas primeiras páginas, e que vemos ir evoluindo, mas não sabemos o final.

De uma forma bem engraçada, conseguimos torcer por várias coisas. Para que os amigos briguem e se entendam, para que eles encontrem a capivara, para que Binho finalmente fale a verdade. E assim, a autora vai nos levando durante as páginas, fazendo com que eu ansiasse por mais e mais história. A prova disso, é que em dois dias eu já havia terminado a leitura.

enfim capivaras

Sim, “Enfim, capivaras” é um livro bem pequeno, mas acho que a forma com que a autora escreveu, fez com que ela ficasse ainda mais fácil. No início dos capítulos, temos uma lista que algum dos personagens fizeram e logo depois o nome de quem está narrando, com a hora aproximada que se passa aquele capítulo.

Ao final do livro, depois dos agradecimentos, tem uma entrevista com a autora e gente. Luisa, quer ser minha amiga? Eu estou encantada com ela, sério. Me identifiquei em muitas das respostas pessoais, como por exemplo, quando ela fala sobre ela de dezesseis anos. E bati palmas para várias outras, estou realmente encantada.

Ela deixou dicas de autores para ler, fala o porquê de ter escolhido Minas e o porquê de capivaras, e ainda diz qual personagem seria seu amigo e qual ela não iria gostar: esse segundo, nós concordamos, mas no primeiro, acho que seria amiga da Nick, apesar de ter gostado da Verônica, mas eu consigo me sentir mais próxima da Nick. Enfim Luisa, podemos ser amigas? ❤️

“Nick precisa ser um avatar de si mesma, com nome falso e tudo. E precisa esconder isso – todo esse “isso””.

Luisa Geisler nasceu em Canoas, no Rio Grande do Sul e é onde ainda vive. Ela publicou seu primeiro livro em 2011 pela editora Record, após ganhar o prêmio SESC de Literatura. Em 2012 foi finalista do Prêmio Jabuti na categoria Contos e Crônica.

Em 2012 ela publicou seu segundo livro intitulado “Quiçá”, também graças ao Prêmio SESC de Literatura. Esse foi o primeiro romance da autora e que mais tarde seria finalista do Prêmio Machado de Assis (FBN), do Jabuti (categoria Romance) e do Prêmio São Paulo de Literatura.

“Enfim, capivaras” é seu quinto livro, lançado esse ano pelo selo Seguinte da Editora Companhia das Letras. E após a sua leitura, quis realmente conhecer mais obras da Luisa. Acho que vocês irão gostar também, então certamente, é um livro que irei indicar.

enfim capivaras

 

Título: Enfim, Capivaras
Autora: Luisa Geisler
Ano: 2019
Páginas: 208
Editora: Seguinte
Gênero: Literatura Brasileira, Jovem Adulto, Ficção
Adicione à sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon