Hoje eu estou no chão com a resenha de um livro que me dividiu um pouco. “Destruidor de Mundos” é a nova série de Victoria Aveyard, consagrada por “A rainha vermelha”. Então sem muita demora, vamos saber do que o livro fala?

O que se pode fazer quando os heróis caem? Em “Destruidor de Mundos” um escudeiro, uma assassina, uma caçadora de recompensas, um falsificador, uma bruxa, um imortal e a filha de uma pirata se unem para salvar o mundo, ou como eles chamam as esferas, de sua destruição iminente.

A única salvação da esfera é Corayne, filha de uma pirata e descendente do velho Cór. A garota que sempre viu sua mãe sair em suas viagens, sendo obrigada a ficar para trás, vê na missão a oportunidade de ter a aventura que sempre quis. O que ela não esperava é que o perigo fosse muito maior do que imaginava e que em meio a perseguições e traições, ela tivesse que provar que o heroísmo pode surgir até nos lugares mais inesperados.

“Um veder imortal, uma bruxa jydesa, uma assassina de olhos cor de cobre, um escudeiro real, um criminoso em fuga e a filha de uma pirata— a esperança da Ala. Que grupo desconjuntado somos, Dom pensou (…)”

Quero deixar claro que “Destruidor de Mundos” não foi um livro fácil para ler. Demorei muito, não sei se de ressaca literária ou porque ele possui muitos detalhes e eu não conseguia me concentrar na leitura. Apesar disso, eu realmente adorei a história, nas partes em que ela acontece.

DESTRUIDOR DE MUNDOS -

Nesse primeiro livro, Victoria é muito descritiva e temos um ritmo mais lento. Tem cenas de impacto sim, e muitas coisas importantes acontecem, mas mesmo assim, o sentimento que eu tive foi que tivemos muita enrolação descrevendo coisas que até então, para mim não fizeram muita diferença. Mas a história em si, é maravilhosa. Victória conseguiu criar um mundo sensacional e personagens divinos. Não consegui deixar de gostar de nenhum, nem dos vilões que ela colocou na história.

Preciso elogiar Victoria pela construção do livro, não temos apenas um personagem narrando os acontecimentos. Cada capítulo é narrado por um deles: Ridha, Andry, Corayne, Sorasa, Erida ou Dom. Isso deixou a história mais dinâmica, quebrando um pouco toda a dificuldade que encontrei no detalhamento da autora.

“Com um aperto no peito, Corayne percebeu que não viu nenhum sinal do pai do garoto naqueles cômodos. Ela voltou o olhar para o escudo arruinado, e o escudeiro diante dele. Temos algo em comum.”

Em um gráfico da Seguinte, em que ela coloca o que a história contém, vi que ela tinha colocado apenas um pouco de romance. Gosto muito de fantasia que contenha romance e fiquei com receio se iria gostar ou não, e gente do céu, eu amei. Tem romance sim galera, mas é algo que está em construção, sabe aquela coisa que nasce e que tem que florescer. Então estou ansiosa para ver isso florescer.

DESTRUIDOR DE MUNDOS - VICTORIA AVEYARD

Sobre vilões que podemos amar e odiar, Victoria arrasou nesse quesito. Não vou dizer muito, mas os vilões que aparecem são bem construídos e me fizeram sentir empatia pela história deles, em certos momentos. Um deles inclusive, foi uma reviravolta bem importante (ao menos para mim). Apostei no personagem como uma coisa e do nada, sem preparação, fui surpreendida junto com os personagens principais sobre a verdadeira personalidade dessa pessoa. E gente, preciso dizer que é um personagem que foi muito bem construído.

“De novo, ela esperou arrependimento, remorso. Nada veio. Minha ambição é mais forte que minha vergonha.”

Em “A rainha vermelha” tiveram momentos que queria matar a Mare e o Cal, e peguei Evangeline como a rainha do meu coração, mas em “Destruidor de Mundos” a autora fez meu coração feliz. Personagens inteligentes, sarcásticos e que me fizeram amá-los, vamos falar um pouco sobre alguns deles? Já falei sobre Corayne na sinopse, a menina que sempre quis uma aventura, acaba encontrando algo muito maior do que imaginou.

Andry é o escudeiro, um garoto leal que deseja seguir o mesmo caminho que seu pai: um dia se tornar um cavalheiro. O menino acaba tendo que se reinventar, depois de ver em primeira mão, a destruição que o vilão do livro quer causar. Dom é um imortal que nunca teve que sofrer o luto, até que vê seu melhor amigo sendo morto, quando não devia ter acontecido.

VICTORIA AVEYARD

Sorasa é uma assassina habilidosa e que vai para o lado que paga mais, mas quando o destino da esfera está em jogo, ela não deixa de lutar. Apesar de Ridha narrar também, são poucos os capítulos que ela aparece, mas acho que nas próximas histórias, teremos mais dela, afinal, ela saiu sozinha em uma busca por aliados na guerra. Já Erida é uma rainha muito jovem, que tem o peso da coroa e de sua corte.

“— Não consigo imaginar viver por mil anos e ainda assim ser tão idiota— ela disse, rasgando a túnica dele na altura da ferida.— É quase uma proeza.”

Quero deixar bem claro que eu gostei muito desse livro e terminei já querendo a próxima história: quando que teremos em Victoria? Foi tanto, que fui correndo no site e no twitter da autora buscar, mas não vi nada. “Destruidor de Mundos” termina de um jeito bem impressionante e em seus últimos capítulos, não conseguia parar de ler, Victoria me fez ansiar por mais da história.

Editora Seguinte

Victoria Aveyard é escritora e roteirista, frequentou a Universidade do Sul da Califórnia, em Los Angeles. Sua série de livros “A Rainha Vermelha” está sendo traduzida para mais de 40 idiomas. “Destruidor de Mundos” é o primeiro volume da série “Realm Breaker”, ainda não sei quantos livros irá ter mas estou muito curiosa para continuar essa jornada para salvar a esfera.

“— O medo é um instinto importante, tão útil quanto qualquer lâmina de aço. Foi o que me manteve viva incontáveis vezes. Deixe esse medo entrar, deixe que a preencha, deixe que sussurre e a guie. Mas não deixe que a governe.”

Realm Breaker
1. Destruidor de Mundos;

Autora: Victoria Aveyard
Ano: 2021
Páginas: 560
Editora: Seguinte
Gênero: Fantasia, Jovem Adulto, Aventura
Nota: 4/5
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon