Logan Movie
Distribuidora: Fox Film | Estréia: 02/03/2017 | Orçamento: US$ 127 milhões | Gênero: Ação | Duração: 02h:21

O tão esperado “LOGAN” entra nos cinemas na semana que vem, mas nós já assistimos e estou aqui para contar como foi. Com a promessa de fechar com chave de ouro a trajetória do amado X-Men, juntamente com a interpretação de Hugh Jackman deste personagem, posso dizer que cumpriu com honras a sua missão.

O filme se passa em 2029, 25 anos após o aparecimento do último mutante, onde Logan está visivelmente mais velho e com regeneração mais fraca e lenta, atuando como motorista particular. Trabalhando incansavelmente e com o objetivo de juntar dinheiro, ele dedica todo o seu esforço a cuidar da mente mais brilhante do planeta, que tragicamente se tornou uma arma mortal. É neste contexto que surge em sua vida uma garotinha de personalidade forte e um comportamento que lembra muito o seu passado e, contrariando a vontade do herói, faz com que entre no mundo da ação novamente.
Todo o longa é um misto de nostalgia e melancolia que atinge de uma forma boa.  É impossível não repassar toda a jornada dos X-Men na cabeça enquanto está ali assistindo. E também já começar a se sentir saudoso pelo ator no papel do personagem. Ele se consagrou como Wolverine e é difícil imaginar um sem o outro. Mas antes que minha fala seja entendida de forma equivocada, não estou querendo dizer que Jackman é um ator de um personagem só. Na verdade, ele está na lista dos mais versáteis da atualidade, conseguindo transitar por vários gêneros com muita competência. O que sinto em relação a essa franquia é que será difícil imaginar um dia outra pessoa dando vida a Logan.
Aproveitando que estou falando dele, Hugh Jackman neste filme está em sua melhor forma e mostra em todas as cenas como está à vontade em representar o personagem. Mesmo agora em que este apresenta certa fraqueza, ele consegue dar a ele o tom certo, deixando sempre aquele ar de dominante da situação.
A grande novidade é a garotinha Laura Kinney, a X-23, interpretada pela praticamente estreante Daphne Keen de 11 anos (ela tinha atuado apenas na série de tv “Os Refugiados”). A personagem é colocada neste universo de despedida de Logan como uma estratégia bastante inteligente: a vigésima terceira e bem sucedida “cópia” de um mutante com Adamantium em seu organismo cria o paralelo da despedida de um com a chegada do outro. Outro detalhe bastante interessante na abordagem desta personagem é que fizeram a questão de expressar seu lado criança, apesar de todo o poder. Suas cenas se tornaram então um misto de força, violência e alívio cômico.
Outros personagens também dão um toque especial ao filme e à emoção vivida pelos fãs. Ver professor Charles Xavier que sempre foi controlado e ponderado, e agora com 90 anos tendo dificuldades tão reais, nos faz sentir parte de toda a história. Reconhecimento para Patrick Stewart, que também soube se adaptar à nova condição de seu personagem e entrega um trabalho admirável. Durante a trama Logan conta com a ajuda de Caliban (Stephen Merchant), e é perseguido pelo mercenário Donald Pierce (Boyd Holbrook), interessado em capturar X-23.
Logan Movie 2017
A produção então se firma como um marco para esta franquia (principalmente para a sequência de filmes solo do personagem). Sem o medo de que eu esteja sendo parcial ou despejando em vocês um discurso de fã (uma vez que sou super tendenciosa à DC), não deixem de assistir “Logan”, que com certeza já entrou na minha lista de destaques do ano!
                                                                                       “Não seja aquilo que fizeram de você!”