A Última Mentira que Contei é um livro do mesmo autor de As Sobreviventes (2017), que foi lançado lá fora em 2018, e aqui no Brasil em 2019. O autor ficou bastante aclamado no meio de leitores do gênero thriller/suspense/mistério. Novamente, Sager vem com uma história intrigante, que promete nos manter antenados nessas 352 páginas.

Em A Última Mentira que Contei, iremos conhecer o Acampamento Nightingale, que é um acampamento superexclusivo, onde o ingresso só é possível às meninas mais ricas e “poderosas”. Geralmente é um lugar maravilhoso para se passar férias perfeitas. Sendo assim, vamos nos jogar de cabeça em mais um ‘suspense psicológico’ juntos?

Para a galera que acompanhou os filmes de terror dos anos 80 e 90, já temos no nosso subconsciente como é complicado esse negócio de amigos irem para acampamentos, não é? Regularmente, esses lugares costumam ser perigosos… Mas, ok! Prossigamos.

 

Emma Davis é uma garota que não teria condições de se hospedar nesse acampamento, porém, recebeu uma herança de sua avó, o que lhe concedeu há algumas semanas nesse ‘paraíso’. A cabana que Emma ficou tinha mais três companheiras – são elas: Vivian (filha de um senador), Natalie (filha de um cirurgião ortopédico) e Alisson (filha de uma atriz da Broadway). E foram duas semanas o tempo necessário para as 4 garotas se tornarem amigas, mesmo sendo de mundos diferentes. Elas brincavam de 2 verdades e 1 mentira. Onde era preciso descobrir qual das declarações era mentira. Se ligue nessa parte!

“… às vezes uma mentira é mais do que apenas uma mentira. Às vezes é o único meio de vencer.”

LIVRO A ÚLTIMA MENTIRA QUE CONTEI - RILEY SAGER

Contudo, Emma presumivelmente, não estava sabendo de tudo que acontecia, visto que em determinada noite acorda, e as 3 garotas não estavam no alojamento. E esse desaparecimento foi permanente… Elas nunca mais voltaram. Dá para imaginar o tipo de trauma que esse tipo de acontecimento acarreta, não é mesmo? Após 15 anos desse ocorrido, Emma ainda acredita que suas amigas possam estar vivas.

Surge uma oportunidade de Emma revisitar o acampamento depois de todo esse tempo. Hoje, ela é uma pintora, e tem a chance de ir até Nightingale como instrutora de arte. Todavia, como já podemos imaginar, Emma está mesmo interessada em sua missão para descobrir o que aconteceu com Natalie, Vivian e Alisson.

Há quem diga que o autor perdeu um pouco do ritmo que manteve em As Sobreviventes. Mas, mesmo assim ainda temos esse clima de tensão, regado de curiosidade para saber enfim o que está realmente acontecendo – no caso, o que realmente aconteceu no passado! Você poderá se questionar os motivos de Emma ter sido convidada a voltar àquele acampamento, depois de tudo que ela passou, depois de acusações que foram feitas, por fim, após todo estresse para ambas as partes.

“Meu futuro é basicamente uma tela em branco, esperando que eu a preencha.”

Algo que me atrai muito em livros de suspense, é alternância entre passado e presente. Temos aqui, e acho que é bastante interessante para nos manter alerta. Você não irá se perder, pois é muito bem delimitado esses acontecimentos e em qual época está passando. Creio que a intenção de Sager é deixar o leitor curioso o tempo todo. E o mistério se mantém, uma vez que Emma detém muito das informações para si. Teremos, além do mais, pistas deixadas por uma das meninas, e descobertas a respeito da origem do acampamento – muitas coisas obscuras!

Um livro dividido em duas partes, com ritmos claramente diferentes, onde a parte 1 nos explica e apresenta a respeito das personagens – sendo assim um pouco mais lento. A segunda parte já vai ficando mais frenética, porque é por aí que vamos buscando encaixar as peças para tentar desvendar o grande mistério. Só quem é leitor do gênero sabe como é o desespero em querer descobrir todo o plot do livro antes das últimas páginas. Confesso que sou feita de trouxa a grande maioria das vezes. E eu quase sempre faço reverências mentais ao escritor da obra.

A edição está em ótima qualidade, e na capa, uma imagem bem pertinente ao clima e à história que iremos desbravar. Páginas que contém fonte de tamanho agradável, assim como a gramatura do papel. A editora Gutenberg mais uma vez acertou na escolha! Sager foi bem representado, e recomendo essa leitura.

LIVRO A ÚLTIMA MENTIRA QUE CONTEI - RILEY SAGER

O autor oferece o tipo de conclusão imprevisível pela qual todos os leitores de suspense anseiam: totalmente chocante, mas construída de forma astuciosa.
– THE NEW YORK TIMES

______________________________________________________________________________________________________

Livro: A Última Mentira Que Contei
Autor: Riley Sager
Ano: 2019
Páginas: 352
Editora: Gutenberg
Nota: 3 estrelas
Gênero: Suspense, Mistério, Thriller
Adicione a sua lista do Skoob
Compre usando nosso link da AMAZON