Acredito que em algum lugar deva existir uma lista super seria e respeitada com os nomes de filmes que toda e qualquer pessoa que se considera fã de cinema precisa assistir. Veja bem, disse assistir, não precisa gostar, apaixonar ou até mesmo se identificar com a película, a unica obrigação é apenas assistir para ter uma opinião a respeito (baseada no seu senso critico, não de achismo ou ouvir falar). Com base nesse pensamento de que existe uma lista, fiz uma pesquisa aprofundada na internet e irei fazer um TOP 5 de filmes dos anos 60,70 e 80 que é pré-requisito da vida ter visto, mesmo que você (assim como eu) tenha nascido muitos (muitos mesmo gente) anos depois que eles foram lançados.
  • Star Wars (Guerra nas Estrelas).
Ano: 1977  | Diretor: George Lucas | Quantidade de filmes: 8
Eu particularmente sempre tive vontade de assistir Star Wars, mas quando descobri que eram 6 (dois foram lançados nos últimos anos) filmes e que a ordem de ser vista era diferente da normal (Se vê na seguinte ordem. IV, V, VI, I, II,III), a minha preguiça falou mais alto e ignorei minha vontade de ver o famoso filme de George Lucas. Muito tempo depois quando anunciaram que iria sair novos filmes da franquia e isso levou todo o mundo a só falar nisso, venci a minha preguiça, aceitei que já era hora de assistir aos filmes, e meus queridos, Graças a Nossa Senhora do Cinema que fiz isso.
Star Wars é de longe um dos melhores filmes que ja em toda a minha vida, toda a sua história é envolvente, bem elaborada, bem estruturada e inteligente, não existem falhas na construção do mundo de Guerra nas Estrelas, George Lucas (diretor e criador) é dono de uma mente brilhante e efervescente que não para de nos surpreender jamais. Star Wars nada mais é que a famosa e nunca exaurida luta do bem contra o mau, o filme é dividido em duas trilogia.
A primeira (IV,V,VI), foca na vida de Luke SkyWalker, um jovem que acaba envolvendo sem querer na guerra civil apos adquirir dois droids contendo informações privilegiadas e ao longo dos filmes somos testemunhas da sua evolução como pessoa e jedi (alguém sensível a força que a usa em prol do bem). A segunda parte (I,II,III) conta história da vida de Anakin Skywalker um escravo muito inteligente e prodígio que é tido como o ‘escolhido’ de uma velha profecia que supostamente traria equilíbrio a força e destruiria os Sith (guerreiros seguidores do lado sombrio da força).
Se passando aproximadamente 30 anos após o ultimo filme (O Retorno de Jedi) temos o primeiro filme da terceira trilogia de Star Wars, agora não mais dirigida por George Lucas que vendeu a LucasFilm para a Disney em 2012 e entregou para a mesma o tratamento dos próximos filmes, que agora passam a ser dirigidos por J.J. Abrams. Os próximos filmes, um lançado em 2015, o outro sai este ano em 2017 e o próximo em 2019, irá contar o despertar da força e a antiga luta do bem contra o mal. Vale ressaltar que a Disney irá lançar uma serie de SpinOff de Star Wars, o primeiro dele foi lançado em 2016 com o nome de Rogue One e conta a história anterior ao primeiro filme da saga (IV).
  • The GodFather (O Poderoso Chefão).
                   Ano: 1972  | Diretor: Francis Ford Coppola | Quantidade de filmes: 3


Considerado um dos melhores filmes de todos os tempos, um verdadeiro clássico obrigatório de todo amante do cinema mundial, o que poucos sabem é que o filmes foram Baseado no livro homologo de Mario Puzo. The GodFather  é o primeiro filme de mais três (The GodFather II e III) dirigido pelo renomado diretor Francis Ford Coppola, estrelado por Marlon Brando, contando a história da família mafiosa de New York, Corleone, que é comandada pelo patriarca Don Vito Corleone, um homem muito sábio e calculista.
 
Don Corleone como é chamado, tem uma filosofia bastante conhecida e respeitada por todos, ele além de nunca esquecer um favor, sempre está com um favor a frente e sempre volta para cobra-lo, não importa quanto tempo demore, ele sabe retornar um favor, “Algum dia – e esse dia pode nunca chegar – Eu vou lhe pedir para fazer um serviço para mim. Mas até esse dia, aceite essa justiça, como um presente.”  O primeiro filme começa com o casamento de sua filha, Connie, onde durante a festa um velho conhecido de todos pede a Vito que o ajude a vingar o mal causado em sua filha, sensibilizado pela história ele decide ajudar, porém deixando claro que irá cobrar este favor no momento em que for mais oportuno.
 
Entre as ambições de seus filhos, os favores pedidos pelos ‘amigos’ e familiares Don segue sua vida envolvido na mafia de jogos e mulheres, porém o verdadeiro problema começa quando um gangster apoiado pela família rival de Corleone deseja iniciar um grande esquema de narcóticos em Nova York e exige de Don Corleone proteção e permissão, dando assim inicio a um grande caos que acaba desenrolando uma briga mortal entre as duas famílias de mafiosos. “Se tem uma coisa que a história nos ensina, é que se pode matar qualquer um.”

  • Dirty Dance (Ritmo Quente).
  Ano: 1987  | Diretor: Emile Ardolino
 
Um verdadeiro clássico romântico que não pode, não deve e não será esquecido jamais, lançado no ano de 1987, estrelado pelo já falecido Patrick Swayze, e a estrela Jennifer Grey, Dirty Dance é figurinha repetida nos filmes da sessão da tarde, sem dizer que não há quem ouça, Time Of My Life e não lembre da famosa dança final entre os personagens principais. Eu particularmente sou apaixonada pelo filme e coincidentemente me lembra muito das férias quando era criança e passava na casa da dona do blog (Lê Pimenta).
O filme conta e abusa do eterno clichê, que todo mundo conhece e adora, pois se tem uma coisa que sabemos é que os clichês só se tornam clichês por serem bons de verdade. Uma jovem rica e sonhadora Francis Houseman (Jennifer Gray) mais conhecida como baby, que acredita em um mundo melhor, mais justo, resultado do esforço e vontade de todos, se apaixona pelo bonitão pobre, esforçado e realista, Johny Castle (Patrick Swayze), que acredita que se você não nasceu rico, a sua vida nunca vai mudar para melhor.
Baby está de ferias em um resort com a família, que em um determinado momento descobre onde os funcionários do hotel se encontram e dançam, local esse estritamente proibido para os hospedes, por serem de classes sociais completamente diferentes, Johnny e Baby não podem ter nenhum tipo de contato, e por isso acabam se conhecendo só quando descobre este lugar escondido. Imediatamente ela se apaixona pelo bonitão professor de dança. Quando a parceira de dança de Johnny fica gravida e nao pode dançar, Baby se oferece para dançar no lugar dela, porém o seu pai por diversos motivos é contra, sem contar que ele não confia na índole de Johnny. Dirty Dance é um filme considerado ousada para a época, pois ele se desenvolve através da sensualidade dos atores enquanto dançam, porém foi aclamado pela critica e é considerado um clássico atemporal, pois além de mostrar o amor na sua maneira mais pura, ele tem a dança como elo principal  verdadeiro entre os personagens.
  • The Shining (O Iluminado).
                                                Ano: 1980 | Diretor: Stanley Kubrick
 
Preciso ler este livro, primeiro que ele é do meu eterno amor Stephen King, segundo que sou apaixonada pelo filme e terceiro (como se precisasse de mais motivos) ele é recomendado por todos. Então querido coleguinhas, prometo que em um futuro bem próximo irei ler e resenhar aqui no blog este clássico do cinema e literatura. Lançado há quase 40 anos atras, O Iluminado é considerado um dos melhores filmes de terror psicológico, e que deixa o telespectador com uma sensação estranha de medo eminente.
Jack Torrente (Jack Nicholson) é um homem casado, pai de uma criança, que durante um acesso de fúria, acaba perdendo o emprego de professor de literatura. Alcoólatra e desempregado, ele é contratado como zelador de um hotel no Colorado durante o inverno e se muda pra lá com sua familia. O seu filho é uma criança especial que tem o poder paranormal de ver o presente e o passado, inclusive consegue ver e sentir os fantasmas que habitam no hotel, o longo período de isolamento devido a uma tempestade de neve, deixa a família ilhada no hotel.  O período isolado do resto do mundo e as presenças malignas no hotel fazem com que Jack desabe de uma vez na loucura, o tornando perigoso para sua esposa e filho, uma vez que os espíritos que residem no hotel o influenciam para tentar matar sua família.

 

  • Mary Poppins.
                                                 Ano: 1964 | Diretor: Robert Stevenson
O clássico mais fofo de todos os tempos, Mary Poppins é um verdadeiro presente do cinema para as nossas vidas. O filme é leve, amoroso, infantil, e nos deixa com uma sensação tão boa, que se pudesse o recomendaria todos os dias para vocês. Inclusive, tem um filme que conta a história do todo poderoso da Disney tentando obter os diretos para transforma-lo em filme, vejam esse filme também, é muito interessante a insistência de Walt em conseguir os direitos e o processo de criação do filme.

 

Um banqueiro de Londres está a procura de uma nova babá para seus filhos, depois que a ultima se demitiu, as crianças também criam um anuncio deixando claro tudo que querem na sua próxima cuidadora, mas o anuncio acaba rasgado e queimado na lareira por acha-lo muito fantasioso. Entretanto os pedaços acabam voando até uma nuvem próxima, onde tem uma pessoa muito especial e exatamente o que a família precisa, essa pessoa é Mary Poppins.
Algumas candidatas chegam para o cargo de babá, mas acabam sendo carregadas pro um vento misterioso, até a chegada de Mary, que desce diretamente das nuvens para a casa do banqueiro e usa o seu guarda chuva magico como para-quedas. O patriarca conhece Mary e a contrata, enquanto as crianças ficam imediatamente apaixonadas por ela.
 
Se por ventura algum indiquei algum filme que você ainda não assistiu, então acredito que te dei o próximo tema da sua sessão cinema com os amigos. Não esqueçam de sempre ver o filme com os olhos da época, levando em consideração as limitações tecnológicas, de edições e efeitos que existiam há 40 anos atras, se você assistir o comparando com os filmes que lançaram nos últimos anos no cinema, é claro que irá odiar. Então se pudesse dar mais uma dica neste post (uma ultima dica) veja os filmes com os olhos de 30, 40 anos atras e ao invés de criticar ou achar defeitos nas limitações encontradas, perceba quanto o cinema evoluiu desses anos para cá, se sinta agraciado por viver em uma época tão ‘evoluída’ e se apaixone pelo longo caminho que ele percorreu até alcançar o lugar magico que tem hoje.
Com carinho, Taay.
Ps: Quem é fã de Star Wars assim como eu, comentem e me adicionem nas redes sociais para um papo sincero e apaixonado.