Mailing do blog

Assine e receba novidades

ANATOMIA DE UM ESCÂNDALO | CRÍTICA

ANATOMIA DE UM ESCÂNDALO | CRÍTICA

A série “Anatomia de um escândalo” chegou na plataforma da Netflix no dia 15 de abril de 2022 e trouxe consigo diversas polêmicas. A temporada possui 6 episódios de aproximadamente 40 minutos e baseia-se no livro de Sarah Vaughan, de nome semelhante.

“A meia verdade é sempre uma mentira inteira”.

Provérbio chinês

SOBRE O QUE É A HISTÓRIA?

A série vai contar sobre a aparente vida perfeita de Sophie Whitehouse (Sienna Miller), casada com a figura política James Whitehouse (Rupert Friend), que é abalada, assim como a elite do Reino Unido, por sucessivos escândalos. A obra inicia-se com Sophie descobrindo que seu marido cometeu adultério com uma de suas assessoras, Olivia Lytton (Naomi Scott), e que isso virá a tona. No entanto, esse não é o primeiro ou único alvoroço que a esposa enfrenta, pois logo a diante, a assessora acusa James de estupro.

Com dois filhos, Sophie se vê numa bola de neve. Ademais, quem irá ser a advogada de acusação é Kate Woodcroft (Michelle Dockery), uma profissional implacável e obstinada, que tem certeza de que o político James é culpado. As situações vão se complicando e mais mentiras vão surgindo ao mesmo tempo que são desmascaradas.


Título Original: Anatomy Of A Scandal

Duração: aprox. 40min

Episódios: 6

Distribuidora: Netfllix

Gênero: Drama; Policial; Britânico;


TEMÁTICAS ABORDADAS EM ANATOMIA DE UM ESCÂNDALO

(trechos com spoiler)

A obra traz várias temáticas e reflexões, mas os principais perpassam pelo estupro e a impunidade de políticos quando cometem crimes. Com o julgamento de Olivia e James, durante o tribunal há sempre questionamentos que surgem e ilustram o que acontece em muitos casos de estupro: a descredibilização da vítima e a impunidade dos culpados. James é inocentado pelo júri, o que causa muita revolta no espectador, e com razão.

Outro ponto que aumenta o sentimento de raiva é o fato de James ser uma figura pública com poder e conexões importantes da política e da imprensa, auxiliando na sua impunidade diante de um crime. Nessa parte, é inevitável a formação de conexões e exemplificações de figuras politicas do cotidiano de cada pessoa (isso em âmbito mundial) com esse personagem da série. 

ANATOMIA DE UM ESCÂNDALO| CRÍTICA
Personagem James Whitehouse.

PARTES TÉCNICAS

O roteiro dessa obra é bem desenvolvido, com personagens bens construídos e reflexões intensas. Junto da montagem, o espectador fica em constante tensão, são raros os momentos para respiro, o que conecta esse a situação vivenciada por Sophie e Kate. E com a sensação de angústia e ânsia de querer mais o espectador se depara com um fator inesperado: o final fica em aberto. Ao invés de fechar e deixar para o indivíduo ser decepcionado por mais uma impunidade ou se sentir esperançoso com a justiça sendo feita, o desfecho deixa livre à interpretação e conflito de sentimentos.

Outro elemento interessante é a direção de arte, que em sua cenografia possui poucos cenários, mas muito bem organizados e realizados. Os figurinos e maquiagens transbordam história, personalidade e sensações. Além disso, pode-se mencionar como um ponto chave o jogo de câmeras e enquadramentos, que possuem muitos closes, mas nos planos abertos mostram superioridade e inferioridade, conflito de interesses e jogos de poder. Uma das cenas mais lindas é quando Sophie acorda e o formato é vertical, passando conforme ela acorda e levanta, para horizontal. Têm-se muitos movimentos de câmera diferenciados, que auxiliam na construção da psique da personagem Sophie.

ANATOMIA DE UM ESCÂNDALO| CRÍTICA

2ª TEMPORADA DE ANATOMIA DE UM ESCÂNDALO?

Os produtores ainda não confirmaram se haverá ou não uma segunda temporada, mas ao que parece há planos de fazer futuras temporadas no formato de antologia, só que focando em escândalos diferentes. A continuação dependerá, sobretudo, da audiência que a série terá.

PESADO, MAS INTERESSANTE DE ASSISTIR

No geral, a obra é interessante de assistir, no entanto, deve-se ter em mente que as cenas podem ser gatilhos. Ademais, a estética da série é muito bonita e possui dinamicidade em sua composição.

O INOCENTE – HARLAN COBEN | NETFLIX

cena da serie Anatomia de um escândalo

Em casos de violência física e/ou sexual, disque 100 (canal de denúncia da Mulher, Família e dos Direitos Humanos) ou 180 (Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência).

Comente este post!