Mailing do blog

Assine e receba novidades

EDUARDO E MÔNICA | CRÍTICA

EDUARDO E MÔNICA |  CRÍTICA

Eduardo e Mônica, famosa música do Legião Urbana, virou filme interpretado por Gabriel Leone e Alice Braga. Um romance em meio a diferenças que aquece qualquer coração neste fim de ano caótico.

A composição musical de Renato Russo conta a história de um casal com padrões comportamentais diferentes, sendo a Mônica uma jovem universitária, que estudava Medicina, bastante culta, que falava alemão, gostava de arte e meditação, enquanto Eduardo é um adolescente, iniciante nas aulas de inglês, que gosta de futebol e televisão.

O casal se encontrou pela primeira vez numa festa, na qual o amigo de Eduardo o teria levado. Deste momento em diante, os amantes passam a se conhecer melhor e organizar as contingências para que pudessem aumentar a frequência dos seus encontros e seguirem bem, que nem feijão com arroz com muitas aventuras e momentos de tensão como qualquer relacionamento em que se luta para dar certo.

Renato Russo escreveu “Eduardo e Mônica”

Inspirado por vários casais que conheceu em sua adolescência em Brasília. Mas nenhum deles era formado, de fato, por um Eduardo e uma Mônica. O casal que mais inspirou a letra foi Leonice Coimbra e Carlos Marcelo.

Ela foi amiga de Renato Russo e, na época, tinha começado a namorar um garoto mais novo  com quem se casou. Apesar disso, Leonice declarou publicamente que não se identifica com a Mônica da música

 

Eduardo e Monica

O falecido Renato Russo era, sem dúvida, um ótimo músico e um excelente letrista. Escreveu verdadeiras obras de arte cheias de originalidade e sentimento. Como artista engajado que era, defendia veementemente seus pontos de vista nas letras que criava e foi isso que o autor René Sampaio, que comandou Faroeste Caboclo, filme baseado em outro sucesso da banda de Brasília, dirige a produção, que deve chegar aos cinemas em janeiro de 2022.

No filme percebemos que Eduardo apresentava comportamento menos variado e mais característico do padrão ocidental de adolescente se comparado ao de Mônica, já que este tinha 16 anos e se atentava para assuntos correspondentes a sua faixa etária. Em contrapartida, ela era uma jovem que tinha propriedade sobre os mais diversos assuntos e viagens pelo mundo como: arte, poesia e música. E até a diferença social das famílias ressalta essa barreira.

O Filme tem previsão de estreia para o 20 de janeiro 2021

Para um filme que se apoia no sucesso de uma música de rock, outra coisa que surpreende é a tímida trilha musical A preocupação com a reconstrução do cenário de Brasília das décadas de 70 e 80 são tocantes. Temos as passarelas do Eixo Rodoviário, o Minhocão da UNB, os blocos da Asa Sul, as casas do Lago Sul, e uma convincente reconstrução de uma Ceilândia de 40 anos atrás. Temos até mesmo a filmagem da cena da lendária Rockonha na chácara em que ela realmente aconteceu.

Enfim, o filme assim como a música descreve o comportamento de amar, que operacionalmente poderia listado como ações recíprocas manejadas por duas pessoas para se manterem juntas. Logo, ligavam, iam ao cinema, construíram uma casa, tiveram filhos e tantos outros projetos juntos que podem render até uma segunda parte desse romance brasileiro que não se cansa de ser escutado.

Comente este post!