FILMES

EDUARDO E MÔNICA | CRÍTICA

07 janeiro, 2022 por

Eduardo e Mônica, famosa música do Legião Urbana, virou filme interpretado por Gabriel Leone e Alice Braga. Um romance em meio a diferenças que aquece qualquer coração neste fim de ano caótico.

A composição musical de Renato Russo conta a história de um casal com padrões comportamentais diferentes, sendo a Mônica uma jovem universitária, que estudava Medicina, bastante culta, que falava alemão, gostava de arte e meditação, enquanto Eduardo é um adolescente, iniciante nas aulas de inglês, que gosta de futebol e televisão.

O casal se encontrou pela primeira vez numa festa, na qual o amigo de Eduardo o teria levado. Deste momento em diante, os amantes passam a se conhecer melhor e organizar as contingências para que pudessem aumentar a frequência dos seus encontros e seguirem bem, que nem feijão com arroz com muitas aventuras e momentos de tensão como qualquer relacionamento em que se luta para dar certo.

Renato Russo escreveu “Eduardo e Mônica”

Inspirado por vários casais que conheceu em sua adolescência em Brasília. Mas nenhum deles era formado, de fato, por um Eduardo e uma Mônica. O casal que mais inspirou a letra foi Leonice Coimbra e Carlos Marcelo.

Ela foi amiga de Renato Russo e, na época, tinha começado a namorar um garoto mais novo  com quem se casou. Apesar disso, Leonice declarou publicamente que não se identifica com a Mônica da música

 

Eduardo e Monica

O falecido Renato Russo era, sem dúvida, um ótimo músico e um excelente letrista. Escreveu verdadeiras obras de arte cheias de originalidade e sentimento. Como artista engajado que era, defendia veementemente seus pontos de vista nas letras que criava e foi isso que o autor René Sampaio, que comandou Faroeste Caboclo, filme baseado em outro sucesso da banda de Brasília, dirige a produção, que deve chegar aos cinemas em janeiro de 2022.

No filme percebemos que Eduardo apresentava comportamento menos variado e mais característico do padrão ocidental de adolescente se comparado ao de Mônica, já que este tinha 16 anos e se atentava para assuntos correspondentes a sua faixa etária. Em contrapartida, ela era uma jovem que tinha propriedade sobre os mais diversos assuntos e viagens pelo mundo como: arte, poesia e música. E até a diferença social das famílias ressalta essa barreira.

O Filme tem previsão de estreia para o 20 de janeiro 2021

Para um filme que se apoia no sucesso de uma música de rock, outra coisa que surpreende é a tímida trilha musical A preocupação com a reconstrução do cenário de Brasília das décadas de 70 e 80 são tocantes. Temos as passarelas do Eixo Rodoviário, o Minhocão da UNB, os blocos da Asa Sul, as casas do Lago Sul, e uma convincente reconstrução de uma Ceilândia de 40 anos atrás. Temos até mesmo a filmagem da cena da lendária Rockonha na chácara em que ela realmente aconteceu.

Enfim, o filme assim como a música descreve o comportamento de amar, que operacionalmente poderia listado como ações recíprocas manejadas por duas pessoas para se manterem juntas. Logo, ligavam, iam ao cinema, construíram uma casa, tiveram filhos e tantos outros projetos juntos que podem render até uma segunda parte desse romance brasileiro que não se cansa de ser escutado.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

INDICAÇÕES DA 25ª MOSTRA TIRADENTES 10 LIVROS MARAVILHOSOS PARA VOCÊ LER NAS FÉRIAS REBELDE: UM REBOOT PARA UMA NOVA GERAÇÃO, MAS SEM DEIXAR QUE A ANTIGA SEJA ESQUECIDA! LIVROS QUE VÃO VIRAR SÉRIE/FILME EM 2022 LANÇAMENTOS LITERÁRIOS JANEIRO DE 2022