LIVROS

BRILHANTE: A HISTÓRIA DE BELLE – JULIA QUINN | RESENHA

22 outubro, 2021 por

“Brilhante – A história de Belle”, segundo livro da trilogia “Damas Rebeldes”, vai nos trazer a história de Lady Arabella Blydon, ou Belle. Uma dama inteligente, com as próprias ideias e que adora ler. Quando decide se afastar um pouco de Londres e ir passar uma temporada no campo, na casa do duque e da duquesa de Ashbourne, o que ela menos esperava era que fosse encontrar um cavalheiro que despertaria emoções que nunca antes havia sentido.

Mas é no campo que Belle encontra o misterioso lorde John Blackwood, um herói de guerra que a deixa fascinada. John também não esperava que ao fazer um passeio na propriedade que acabou de comprar, descobrisse uma bela dama lendo em suas terras. Com uma vida cheia de pesadelos por causa do passado na guerra, lorde John acredita que não é a pessoa mais indicada para Belle: sexto filho de um conde, sem muito dinheiro e que ganhou o título por seus serviços no exército.

Mas o que ele não imaginava é que a jovem dama pudesse atormentá-lo tanto ou talvez mais do que os pesadelos do passado, e que o sentimento por Belle crescesse tanto. Esse é um pequeno resumo do que você vai encontrar ao ler “Brilhante”.

BRILHANTE

Trilogia “Damas Rebeldes”:
1. Esplêndida – A história de Emma
2. Brilhante – A história de Belle
3. Indomável – A história de Henry
3.5. O herói que faltava – Um conto de duas irmãs

Autora: Julia Quinn
Ano: 2021
Páginas: 320
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de época
Classificação indicativa:
Aviso de conteúdo: Referências a violência verbal, psicológica e física, a estupro e suicídio
Nota: 5/5
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon

BRILHANTE: A HISTÓRIA DE BELLE - JULIA QUINN

“- Sempre me pareceu uma tolice desejar uma mulher que não é capaz de se comunicar melhor do que uma ovelha.”

Direi novamente uma verdade que todos devem ter em mente: Julia Quinn é a rainha dos romances de época. São raras as histórias que leio da mulher e não gosto (já falo o nome de uma duologia: “Irmãs Lyndon”) e fico impressionada com a capacidade dela de prender o leitor do início ao fim. Quero dizer que como o primeiro, esse livro nos traz uma mistura de sentimentos: eu ri, me apaixonei, fiquei apreensiva, fiquei comovida, só faltou chorar na trama.

Em “Esplêndida” quando vi Belle, fiquei encantada com a personagem e pensava, preciso de mais coisas dela. Quando terminei, fui correndo ver de quem seriam os próximos volumes e fiquei bem feliz em saber que Belle, Dunford e Ned, teriam suas histórias contadas. Demorei um pouco para pegar “Brilhante” para ler, mas assim que comecei, não conseguia mais parar. A cada página que passava queria saber mais e mais sobre a trama.

Belle não me decepcionou em nada. Apesar de não ser aventureira como a prima, ela tem um espírito lindo e livre. Ela é inteligente e uma leitora voraz, e sinceramente, merecia ter um romance lindo e cheio de paixão. Belle pode até não ser aventureira como a prima, mas não foge dos problemas e tenta arrumar soluções, que acabam por ser tão criativas e perigosas como a de Emma (é de família, né?).

John foi um personagem que eu fui aprendendo a gostar. Tiveram momentos em que queria bater nele, por não aceitar o que estava sentindo, mas a história do personagem explica muitas das ações que ele toma. E isso o torna mais real, com defeitos e decisões erradas.

“Seria possível que ela o amasse incondicionalmente? Mesmo com o passado dele?”

Vamos dizer algo sobre essa história. Nela você vai encontrar referências de violência verbal, psicológica e física, estupro e suicídio. Então se esses assuntos não forem confortáveis para você, por favor, não leia o livro! Julia Quinn deixa uma carta no final falando que uma das dificuldades que ela encontrou ao escrever “Brilhante” era de abordar esses temas difíceis, construir um personagem com eles e ainda assim, fazer um enredo que fosse divertido.

Por isso, eu digo mais uma vez: Julia Quinn é uma rainha! E conseguiu realmente fazer isso. John tem todo um passado difícil, fazendo com que sua alma e seu coração estejam desacreditados. Belle acaba se tornando a pessoa que mostra a ele que existe mais luz no mundo do que escuridão, não vou falar muito sobre o assunto se não, vou começar a dar spoiler.

E não é só os dramas internos dos personagens que temos em “Brilhante”. Durante o enredo temos altos e baixos, momentos muito felizes e de extrema preocupação. Acho incrível essa forma da Julia de mesclar isso, e colocar momentos de tensão até quase a última página.

Além dessa explicação sobre os assuntos difíceis, Julia faz uma pergunta na carta “afinal, o que vem primeiro: os personagens ou a trama?” Ela mesma responde a essa pergunta dizendo que que em “Brilhante”, nasceu primeiro a personagem: “Belle”. Ela conta que quando criou Belle teve a certeza de que ela teria que ter uma história. Obrigada Julia, por nos proporcionar essa trama maravilhosa de ler.

“(…) Emma era sua melhor amiga e, depois de todos os apuros em que haviam se metido juntas, era um tanto surpreendente tê-la como “acompanhante aceitável”.”

Para os que leram “Esplêndida” e querem mais daquele casal maravilhoso, não se preocupem. Assim como Belle participou da história de Emma, o contrário também acontece. Inclusive, sabemos o que aconteceu com o casal após o casamento e acompanhamos um pouco da vida deles, mas calma que o enredo ainda é centrado em Belle. Até Dunford, que é um amigo querido de Belle, aparece em “Brilhante” (e sim, estou ansiosa para ler “Indomável” e ver as confusões que ele vai se meter). A única pessoa que faz uma passagem bem rápida é Ned, que não estava em Londres.

Como de costume, sempre vou ao site dos autores para procurar conteúdo extra ou outras informações que possam ser importantes para a trama. No site de Julia Quinn, uma das curiosidades que ela coloca sobre “Brilhante” é que originalmente, o motivo de John querer se afastar de Belle não era por causa de seu passado e sim pelas convenções sociais. Ela conta que o processo de mudar as motivações de um personagem em um livro é algo exaustivo, porque é preciso ler e reler os diálogos.

BRILHANTE: A HISTÓRIA DE BELLE - JULIA QUINN

Por fim, vou ser um pouco repetitiva porque já falei isso no outro post, mas quero deixar registrado. A Arqueiro está de parabéns com a escolha da capa de “Brilhante”, está simplesmente perfeita. Estou cada vez mais apaixonada por essas capas que dão de 10 a 0 nas edições de outros países.

Julia Quinn virou uma das autoras de romance de época mais queridas pelos leitores. Com mais de 10 milhões de exemplares vendidos e com seus romances traduzidos para 27 países. Sua série mais famosa, “Os Bridgertons”, teve seu primeiro livro adaptado pela Netflix em 2020, com a segunda temporada programada para esse ano. Julia Quinn, foi a autora mais jovem a ser incluída no Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos. “Brilhante – A história de Belle” é o segundo volume da trilogia “Damas Rebeldes”, precedido por “Esplêndida” e seguido por “Indomável – a história de Henry” e “O herói que faltava – um conto de duas irmãs”, esse último está presente em um livro de contos com outras duas autoras de romance de época.

E aí, o que tem achado da trilogia “Damas Rebeldes”?

“Quando Belle finalmente chegou a Westonbirt, suas lágrimas haviam secado e ela se alegrava em tramar vários planos de vingança contra John. Não esperava colocar nenhum deles em prática, mas o mero ato de tramá-los bastava para animá-la.”

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Juliana Vidal
    outubro 24, 2021

    Maravilhoso

  • LIVROS INDEPENDENTES DO AUTOR QUERIDINHO DA NETFLIX HARLAN COBEN 5 K- DRAMA COM HAN SO HEE, ATRIZ DE MY NAME LANÇAMENTOS DE K-DRAMAS MAIS AGUARDADOS DE NOVEMBRO CRÍTICAS SÉREIS E FILMES COM PERSONAGENS NÃO BRANCOS Dicas de livros, filmes e Doramas para animar seu final de semana. Black Friday: Saiba como escolher o melhor kindle para você OS LIVROS DE FANTASIAS MAIS INDICADAS PELOS TIKTOKS DORAMAS DUBLADOS NA NETFLIX Promoção Kindle Unlimited Sarah J Maas? Quem não conhece tem que conhecer!