FILMES

THE OLD GUARD | CRÍTICA NETFLIX

28 julho, 2020 por


Estreou na plataforma de streaming da Netflix no dia 10 de julho e já está na lista dos 10 filmes mais vistos por lá, estou falando de “The Old Guard”, estrelado pela lindíssima Charlize Theron. Um filme de ação com ficção científica baseado em uma HQ homônima da Image Comics escrita por Greg Rucka (Mulher-Maravilha) e Leandro Fernandez (Justiceiro),conta a história de quatro mercenários imortais (anciões) que são liderados por Andrômaca de Cítia – ou Andy (Theron) que protegem o mundo em seus conflitos mais intensos desde o primórdio da humanidade.

No meio de uma falsa missão, o grupo é propositalmente filmado, comprovando a sua imortalidade, na busca dos culpados, os nossos soldados descobrem a existência de uma nova imortal, Nile (Kiki Layne), uma fuzileira naval norte-americana.

O filme caiu no gosto do grande público, recebendo muitos elogios pelas sequências de ação e histórias bem interessantes. Um gênero amado pela maioria das pessoas e majoritariamente dirigido por homens, mas The Old Guard foi muito bem conduzido por Gina Prince-Bythewood (Além dos Limites, A Vida Secreta das Abelhas), teve o roteiro de Greg Rucka conhecido por escrever filmes e séries de super-heróis com personagens femininas fortes e independentes , que trouxe apoio indispensável para a direção de Gina.

A fórmula une efeitos especiais, cenas de batalhas, lutas e muita ação, que são capazes de prender nossa atenção nos 125 minutos da obra. Não é a toa que nos últimos anos houve o aumento destas produções, acarretando em sucessos de bilheteria e faturamento. São cenas de explosões e pancadarias sem exageros, ao contrário, há um cuidado para que tudo haja contexto, a direção fez o máximo para privilegiar o desenvolvimento da história com tomadas mais longas e sequências de cenas inteligentes, que chamam a atenção para o trabalho do elenco.

Temos como destaque a protagonista Charlize Theron, que rouba todas as cenas em que aparece, trazendo para a trama uma discussão sobre o que é ser imortal e todas as conseqüências disso, KiKi Layne (Se a Rua Beale Falasse) como a novata Nile Freeman, Marwan Kenzari (Aladdin) e Luca Marinelli (A solidão dos números primos) interpretam Joe e Nicky respectivamente,possuem uma relação íntima e muito bem construída, fazendo a inclusão de casais e personagens declaradamente LGBTQIA+ no universo dos super-heróis. O destaque negativo vai para o nosso vilão, o bilionário da indústria farmacêutica, Steven Merrick (Harry Melling – o Duda de Harry Potter),que é caricato e de atitudes óbvias para telespectadores acostumados com esse universo.

Para quem gostou do filme, assim como eu, a diretora já sinalizou seu interesse em explorar uma seqüência que ainda não foi anunciada oficialmente, mas com a boa recepção do filme e sua popularidade, só está faltando mesmo bater o martelo para termos The Old Guard 2.

Não diria que se trata de um filme épico, mas sem sombra de dúvida é uma ótima distração. Enfim, assistam, pois a Netflix trouxe para nós da turminha geek, um bom filme de ação, inaugurando sua franquia de “super-heróis” para matarmos as saudades de um bom programa para o fim de semana. Confiram e me contem!

EXTRA PARA QUEM VIU O FILME
*Atenção, contém spoilers!

A Netflix liberou um vídeo explicando a origem dos guerreiros, apesar de sabermos em quais contextos históricos os personagens estavam inseridos quando ganharam os poderes, não sabíamos exatamente quando nasceram. O conteúdo inédito do serviço de streaming nos contextualiza sobre essas origens.

Confira:
Infelizmente o vídeo está com dublagem em inglês e sem legenda.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Maisa Gonçalves
    Maisa Gonçalves
    julho 28, 2020

    Grazi, acabei de assistir, e adorei! A Charlize está ótima mesmo, e que casal mais lindo são Joe e Nicky! Declaração de amor mais linda que já vi, e o melhor é quem eram antes de se tornarem imortais. Adorei!