{ #CRÍTICA } TEATRO MUSICAL | CINDERELLA, O MUSICAL

08 maio, 2018 por
{ #CRÍTICA } TEATRO MUSICAL | CINDERELLA, O MUSICAL

Peça: Cinderella, o Musical – Turnê Nacional | Local: Teatro Sesc Palladium BH | Duração: 130min | Gênero: Fantasia | Preço dos Ingressos: R$ 25,00 a R$ 250,00 | Período de Apresentações: 28 e 29/04/2018 | 

Instagram oficial do espetáculo: @cinderellaomusical
Nova temporada em SP a partir de Agosto

Aconteceu no último final de semana de abril, dias 28 e 29,
a parada em Belo Horizonte da turnê nacional do espetáculo “Cinderella, o
Musical
”, adaptação feita do musical apresentado na Broadway. Após encantar e conquistar
diversos prêmios enquanto esteve em cartaz no famoso e forte eixo RJ/SP deste
ramo da cultura, a turnê embarcou para Porto Alegre, Florianópolis, Brasília, Natal, Recife, Fortaleza e Belo
Horizonte
com algumas alterações no elenco, adaptações na estrutura
e prometendo muito magia. A convite da Árvore Gestão de Relacionamento,
estivemos presentes na sessão noturna do dia 28, uma das 03 realizadas aqui na
capital, e estou aqui para descrever a experiência.

A jovem Ella mantem uma vida simples e com muito trabalho
pesado na casa que pertencia a seu falecido pai e onde hoje vive com sua
madrasta e suas duas irmãs de criação: Gabrielle e Charlotte. Não que elas
demonstrem qualquer vínculo familiar com a moça, pois isto não acontece. Elas
na verdade fazem questão de humilhá-la para “mantê-la em seu lugar”.  Sua madrasta mesmo faz questão de lembrar
sempre que casou com o pai da jovem por interesse e ela agora é seu “estorvo”.
Além de se vangloriar da grande fama de ser a rainha das humilhações, pois
ninguém o faz melhor que ela, inclusive criando o apelido de “Cinderella” de
sua enteada. Mas até aqui você já conhece porque a Disney, seja em animação ou
em live action, já te mostrou!
Cinderella permanece então gentil e doce em sua vida
simples, sonhando um dia ser algo mais, mas não necessariamente uma princesa
morando em um castelo. Ela faz várias referências atuais e nacionais dizendo
que poderia ser uma professora, cantora, cortesã ou até mesmo deitar no
calçadão da praia e aparecer da capa da revista como “garota do verão”… Vou deixar o vídeo abaixo do solo da Bianca Tadini, que representou a Cinderella antes da turnê (ainda não tem nenhum registro da Bruna Guerin). Seus amigos ratinhos foram substituídos  pelo revolucionário Jean-Michel que faz parte
de um grupo que luta para que o príncipe Topher, alheio às necessidades do
povo, enxergue o que está à sua volta. E é por isso que ela vai parar no baile
(que não passa de uma estratégia política), ela precisa falar com o príncipe
para que ele escute as exigências do grupo.
É uma versão da história onde a mocinha é engajada e
politizada, onde seu sapatinho não fica na escada por ser desastrada e sim
porque ela já sabia que ele seria a forma do príncipe encontrá-la. Trata de
assuntos sérios e urgentes, mas isso não significa que houve uma retirada
completa da magia. Sua fada madrinha está lá, suas transformações são impressionantes
(são mesmo!) e o amor, embora apareça rápido e inesperado como sempre, é
trabalhado como uma consequência de sua urgência pelo bem independente das
adversidades. Uma mensagem bem interessante na atualidade onde o “Jogo das
Humilhações” é tão frequente, principalmente pela internet, e se torna cada vez
mais divertido criticar e ironizar sem limites ou escrúpulos qualquer pessoa
por qualquer motivo que seja.
Sobre o elenco, quem me conhece um pouco mais de perto sabe
que eu estava muito ansiosa por ser fã da Bruna Guerin, que assumiu o papel de
Cinderella para a turnê do espetáculo. Antes de assistir vi muitas críticas
dizendo que a Cinderella aparecia pouco, o que em partes é verdade. Embora o
musical leve seu nome como título, não existe a obrigatoriedade dela estar no
palco em todos os momentos, e isso eu achei muito válido, primeiro por não
atrapalhar o enredo da história e segundo por dar a oportunidade aos demais
personagens de se desenvolverem. Sobre a Bruna Guerin, como disse um rapaz em
um grupo de musicais que participo “se ela aparecer 5min já é considerada
rainha dele”, e não foi diferente. Um trabalho impecável, sendo difícil sair do
teatro sem estar impressionado. Como acertei meu palpite da Andrezza Massei de
Úrsula no post de Les Misérables ano passado (Leia AQUI), vou deixar aqui
registrado meu interesse em um dia ver a Bruna como Mary Poppins ou Elle Woods
(Dizem que “Legalmente Loira” vem, né?!).
André Loddi é um verdadeiro príncipe, seja nos momentos
alheios à realidade ou como o corajoso e engajado líder apaixonado, sua postura
demonstra em todos os momentos a realeza. E o conjunto se completa de uma forma
brilhante e se pudesse resumir o elenco em uma palavra ela seria “entrega”: o
vocal poderoso da fada madrinha de Ivanna Domenyco; as
facetas claras e bem trabalhadas da excelente e competente madrasta de Talitha Pereira que te fazem
detestar a personagem por causa de seu ótimo trabalho (e que difícil é se
esforçar pra ser odiada, hein?); Toda a parte cômica da Charlotte de Luana
Bichiqui, principalmente seu solo apontando suas “qualidades”; e toda a
animação dos lordes e conselheiros reais, principalmente do Philipe Azevedo que
se destacou devido ao seu entusiasmo e energia contagiantes do início ao fim.
E com a ausência de exclusividade para Cinderella, quem com
certeza roubou a cena foi Letícia Mamede com a controversa personagem Gabrielle,
uma das irmãs da protagonista. Inserida em praticamente todos os núcleos do
espetáculo, vive o misto da dúvida entre seguir seu coração ou fazer o que a
mãe deseja, ser má ou ser boa… Tanta confusão que às vezes só lhe resta
gritar de insatisfação. Letícia estava fabulosa, conquistou toda a platéia e
foi o destaque da noite. Foi seu primeiro trabalho que pude assistir e vi que
ela também assumiu o papel para a turnê, antes estava no coro (ensemble), mas seu nome já
está aqui anotado para que eu possa acompanhar. Ela faz par romântico com o
eficiente e atrapalhado Jean-Michel de Igor Miranda, e torci tanto por este
casal quanto pelos protagonistas. E foi um paralelo muito legal, pois enquanto
Cinderella e Topher representam o romantismo clássico, Gabrielle e Jean-Michel demonstram
o divertimento ligado no 220v.
É impossível não comparar com a história da animação e
acredito que a ideia de uma versão mais adulta seja algo tão “inimaginável” que
acabou atraindo um público imenso de crianças ao teatro. Não acredito que elas
tenham se decepcionado, porém alguns pontos devem ser considerados pelos pais
ao decidir por levarem seus filhos: a) o espetáculo possui aproximadamente
130min (com um intervalo de 15min); b) as músicas não são as do tradicional
desenho da Disney, nem mesmo a introdução, e sim do musical da Broadway; c)
existem sim muitas cenas de encantar adultos e crianças, com lindos efeitos,
mas existem também diversas cenas de diálogos e andamentos da história em solos
musicais dos atores; d) são geralmente realizadas sessões á tarde (16h) onde
existe um público maior de crianças. Sabemos que quem tem filhos geralmente
precisa e quer levá-los como companhia nestes eventos, e não há nenhum
problema nisso, apenas preze pelo entretenimento do seu familiar, identifique
se ele irá mesmo se divertir com o proposto e assim também respeite o direito
de diversão dos demais espectadores. Afinal, é um objetivo comum, não é mesmo?!
Enfim, a turnê foi finalizada em Brasília no último final de
semana e terá uma nova temporada em SP a partir de agosto (elenco a confirmar).
O Blog Coisas de Mineira teve o prazer de levar 02 leitores para assistir a peça
através de um sorteio (Facebook), e desejamos muito que estes eventos possam
virar hábito para o público mineiro. Tanto pela oportunidade de entretenimento
quanto pela visibilidade e vinda de novos espetáculos até nós. Faremos nossa
parte e estaremos sempre aqui divulgando tudo aquilo que vale a pena vivenciar,
e esta com certeza foi uma linda e doce experiência…
Agradecimento da equipe, postado em suas redes sociais.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

6 Comentários

  • O Vazio na Flor
    maio 09, 2018

    Mesmo não sendo tão fã de musicais, não há como chegar em um post assim e não ficar admirada com tanta beleza e simplicidade.
    Cinderela é um dos meus contos de fadas preferido e ver assim, nesta forma inovadora, moderna e delicada, é maravilhoso aos olhos e a alma.
    Minha cidade é um cisco e nunca tem nada deste nível, então o jeito é curtir assim, à distância!rs
    As fotos ficaram maravilhosas.
    Beijo
    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/994177086104498181

    • Karina Rodrigues
      maio 18, 2018

      Olá, obrigada!!! Cinderella marcou, não é mesmo?! É realmente maravilhoso dar de cara com ela agora tão "madura"!
      Eu espero que em breve tenha a oportunidade de conferir a magia pessoalmente! Bjos

  • Gislaine Lopes
    maio 09, 2018

    Oi Karina,
    Cinderela, até hoje, ainda é meu conto de fadas favorito da Disney, pois a história é regada de grandes lições e e ensinamentos. Imagino que acompanhar a história da gata borralheira no teatro deva ser incrível, principalmente por se tratar de um musical (uma ótima forma de explorar ao máximo as emoções em cada cena). Como na minha cidade não tem teatro nunca estou por dentro das estreias, mas adoro quando recebo a indicação de alguma peça e não tenho dúvidas de que iria apreciar, e muito, o espetáculo.

    https://twitter.com/GisahSLopes/status/994033967010631680

    • Karina Rodrigues
      maio 18, 2018

      Olá Gislaine, obrigada pelo comentário. Espero muito que vc tenha um dia essa oportunidade de conferir a magia pessoalmente. Será inesquecível. Bjos

  • Carol Campos
    maio 09, 2018

    Já disse anteriormente que não gosto muito de musicais, eu tento, pouco porém tento… Mas, adoro ler esses post e ver como a experiência é boa, divertida e encantadora. Você consegue me deixar curiosa e com Cinderela não foi diferente, gostei da versão que apresentaram e dos atores, que mesmo sem ter assistido, posso imaginar a entrega. BH precisa de mais eventos assim, sim! E eu vou tentar me animar mais para com os mesmos, hehe

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/994013140793937921?ref_src=twcamp%5Ecopy%7Ctwsrc%5Eandroid%7Ctwgr%5Ecopy%7Ctwcon%5E7090%7Ctwterm%5E3

    • Karina Rodrigues
      maio 18, 2018

      Oie Carol! Obrigada pelo comentário. Tente sim, se deixe encantar. Tenho certeza que não vai se arrepender. Bjos