Antes de mais nada, que livro afrontoso! Essa é a primeira coisa que preciso dizer para resumir Matem o presidente de Sam Bourne, pseudônimo do jornalista britânico Jonathan Freedland...