Dois mil e vinte foi o ano de alguns fandoms revisitarem suas sagas favoritas, revivendo seus mais marcantes personagens e com isso matando a saudade deles. Entre estes, um fandom em especial se viu maravilhado ao ler a notícia mais aguardada de todos os tempos: finalmente chegaria às livrarias “Midnight Sun” (Sol da Meia-Noite)! O tão aguardado livro da saga Crepúsculo, contando a história pela versão do misterioso vampiro Edward Cullen.

Há dez anos atrás, tivemos o gostinho da ideia e começamos a aguardar. Porém, a autora Stephanie Meyer viu seu manuscrito ser compartilhado ilegalmente na internet, e ainda vivenciou uma enxurrada de críticas sobre sua ideia inicial. Magoada pelo roubo e pelas críticas, informou que desistiria da publicação, e desde então nada mais foi dito.

Entretanto neste ano tão atípico e difícil, os fãs da saga ficaram mais uma vez empolgados com a notícia de que a autora havia enfim decidido nos fazer reviver toda a nostalgia de seu universo, onde uma jovem humana se apaixona pelo rapaz misterioso da escola, em sua nova cidade.

“Poderia um coração congelado e morto se partir? Parecia que o meu sim.”

Contado através do ponto de vista de Edward, o vampiro queridinho de toda uma geração, o livro mostra a história já tão conhecida sob um ponto de vista diferente do que nos foi apresentado pela jovem apaixonada em Crepúsculo. Mais pensativo e desconfiado, Edward luta contra seus sentimentos e com o fato de que há um sangue que o chama como nenhum outro.

Resistir a ele faz com que preste cada dia mais atenção na jovem sem graça, filha do delegado da cidade, que virou assunto do momento por ser a novata da escola. Edward começa a notar que a chegada dessa garota vai mudar para sempre sua vida e a dinâmica de sua família.

A jovem em mim, de quinze anos atrás, deu vários pulos e gritinhos ao pensar que agora voltaria ao universo que tanto amou pelo olhos de seu personagem favorito de toda saga! Ok, eu admito que já falei para todo mundo um dia que meu personagem do coração era o Jacob, por pura e simples vergonha de admitir que o vampiro sarcástico e deprimente foi o que ganhou meu coração.

Porém, agora minha maturidade me permite ignorar tudo e contar a todos que eu sou Team Edward! E sim, torci para que ele ficasse com a Bella no final, então dá para imaginar há quantos anos eu venho esperando por esse livro, né?

“Eu era o vilão, o pesadelo. Como ela poderia me ver de outra forma? Se ela soubesse a verdade a meu respeito, sentiria medo e repulsa…”

Tenho que admitir também que o fato de eu estar na casa dos trinta acabou atrapalhando um pouco meu momento com a obra, já que não tenho mais tanta paciência com o texto tão arrastado da autora. Mas isso foi só até o momento em que o Edward para de fugir de sua grande atração pela Bella, e aceita que de fato a ama.

Aí a adolescente que vive em meu coração se viu apaixonada de novo pela trama que, sinceramente, quase não tem nada de novo. No entanto, conquista pela descoberta da mente inquieta e curiosa de um jovem apaixonado pela primeira vez, sua frustração por não ler a mente da única pessoa que ele mais queria e o fato dela sempre o surpreender com suas atitudes.

Seu ciúmes e sua incapacidade de mentir para sua amada o deixam bem frustrado, entretanto, tudo isso junto ao amor incondicional de sua família completa muito da personalidade do Edward que vimos anteriormente. Isso fez com que eu tivesse a certeza de que estava voltando para a casa de um amigo que há tempos não via e não um estranho. Já tive decepções antes com versões que os autores decidem escrever pelo ponto de vista do mocinho.

“E foi assim que o leão se apaixonou pelo cordeiro…”

Mas vamos lá, se ainda existem dúvidas, eu gostei de Sol da Meia-Noite! Não foi exatamente como eu esperava, mas ele aqueceu meu coração e me deixou feliz sabendo que todos os personagens que vi ainda são os mesmos, principalmente os mais queridos. Porque, sério, estou lendo um novo ponto de vista e não uma nova história. E esse novo ponto de vista me apresenta de verdade o vampiro que existe, aquele que a romântica Bela via e descrevia como um ser sempre lindo e que nunca cometia nenhum tipo de erro.

Em Sol da Meia-Noite, vemos um jovem apaixonado que não vai pensar duas vezes na hora de fazer algo para deixar sua amada segura, o que deixa nítido alguns dos seus princípios diferentes dos dela. E isso foi a melhor parte para mim.

Sim, os Cullens são diferentes de outros vampiros que vemos na própria história, e até mesmo na literatura em geral. Sua dieta restrita a animais e a compaixão por suas presas humanas fazem deles uma família bem peculiar. Contudo, Stephanie Meyer ainda deixou sim várias das características vampirescas em seus personagens, principalmente a capacidade de matar a sangue frio.

_____________________________________________________________________________________________________________________

Título: Sol da Meia-Noite
Autora: Stephanie Meyer
Ano: 2020
Páginas: 736 
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Ficção juvenil, Literatura fantástica.
Onde comprar: AMAZON