Hoje eu vim trazer para vocês a resenha de “Shine: uma chance de brilhar”, lançado pela editora Intrínseca, no ano passado, e escrito por Jessica Jung, cantora de K-pop e que debutou no grupo lendário “Girls’ Generation”. Então vamos para a história?

Rachel Kim é uma trainee de K-pop em uma famosa empresa de entretenimento. Há anos treinando para ser uma estrela de K-pop, ela vê sua chance de brilhar chegar, mas o caminho não é tão glamoroso assim. Rachel tem que enfrentar vários desafios, como as intrigas das outras trainees e a pressão dos executivos da empresa DB Entertainment. No meio disso tudo, encaixe um romance proibido (porque as trainees não podem namorar) com um ídolo do K-pop. Essa é a premissa de “Shine: uma chance de brilhar”, que vai fazer você mergulhar no K-pop e na cultura coreana.

Antes de mais nada, quero dizer que eu não sou uma pessoa que conhece de K-pop, muito menos da cultura coreana. Então esse livro foi um desafio, quando me deparei com vários termos que tive que começar a pesquisar (como Unnie e Eomma). E deixa eu te contar, que eu gostei de conhecer um pouco mais sobre. Uma coincidência da vida, foi que pouco antes de pegar esse livro para ler, em uma conversa com um amigo, ele falou sobre os trainees de K-pop. Lembro de ter falado o seguinte: “mas eles têm trainee? Como assim? ”. Foi lendo a história que entendi algumas coisas, como por exemplo, a busca pela perfeição.

“Na Coreia do Sul, considera-se que a pessoa tem um ano quando nasce, o que significa que sou um ano mais velha aqui do que nos Estados Unidos. Um ano mais perto de ter passado do meu auge. Um ano mais perto de estar velha demais para estrear.”

shine

Mas vamos falar sobre a leitura? Apesar do meu zero conhecimento sobre a cultura, a leitura foi bem tranquila. Eu comecei a me ver ansiar pelos capítulos para ver como Rachel ia lidar com as confusões e os desafios da vida. Me vi começando a torcer para as coisas darem certo para Rachel e para termos um romance durante a história. Está certo que em alguns momentos ela me deu preguiça? Simmmmmm. Mas é a vida, não é?

Todos os personagens que aparecem na história fazem a diferença na vida da nossa protagonista e todos são importantes. Fiquei com um pouco de raiva da Rachel, vendo ela deixando um desses personagens de lado e principalmente por não ter conseguido saber o que acontecia com ele. Gosto muito de personagens secundários e eu via que, àquela personagem em questão tinha muita coisa para contar. Vai que a autora quer contar a história dela, não é? Akari merece!

E não foi só Akari que não teve chance no livro. Apesar de Mina ter muita importância na história, afinal, é ela que está rivalizando com Rachel, a autora não aprofunda nela também. Mina é um personagem que me interessou muito (apesar das coisas que ela fazia com Rachel). Sabe aquelas personagens que apesar de rivalizar com o protagonista, parecem ter problemas bem complexos por trás?

“Não é fácil fazer amigos quando tudo aqui parece uma competição, mas Akari é uma das poucas pessoas na DB em que posso confiar de verdade.”

shine

Alguns temas são retratados na história, a busca pela perfeição é um deles. No livro quase todo, vemos como Rachel se esforça para se mostrar perfeita, sendo de aparência, até mesmo na fala e nos movimentos que faz. Em alguns momentos da história, ela reflete se aquilo vale a pena, tanto esforço e sacrifício, por um sonho que nem mesmo sabe se vai acontecer.

Outro tema é o preconceito. Vemos uma menina filha de coreanos, que nasceu nos Estados Unidos. Rachel nunca se sentiu aceita no país em que nasceu, por causa das suas características. Quando ela vai para a Coreia, ela se sente excluída, por não ter nascido e crescido no país. Algumas das meninas inclusive falam dela com um pouco de desprezo, por causa disso.

Agora vamos falar sobre a capa do livro? A editora usou como capa, a arte original da história com branco, dourado e rosa e várias estrelas. É uma capa que combina com a história, afinal as estrelas do K-pop e as meninas querem brilhar. MASSSSSSSSSSS, a sobrecapa do livro é maravilhosa! Ela é rosa e tem o desenho de uma menina em frente a um espelho. Para mim, ela combina perfeitamente com a história, sem tirar nem pôr. Olhando o skoob, vi que a sobrecapa foi escolhida pela própria Jessica em um concurso realizado pela Intrínseca. Então, meus parabéns para o/a artista!

“Vale a pena? Essa é a pergunta que me faço todos os dias. Tantos treinos, os fins de semana perdidos, os sacrifícios da minha família. A sensação constante de não pertencer a um lugar onde quero desesperadamente estar. Tudo para alcançar meu sonho de ser uma estrela de K-pop.”

shine

shine

Apesar de eu não conhecer muito sobre a cultura coreana, o K-pop e K-dramas tem tomado cada vez mais o mundo. Pessoas do mundo inteiro estão por dentro dessa cultura e acompanham esse universo. Segundo o twitter, foram 6,7 bilhões de tweets sobre o assunto no ano de 2020. Não sei ao certo se o que a autora descreve são coisas reais (a pressão pela perfeição, por exemplo), mas isso é algo que está me fazendo ver com outros olhos toda essa cultura e o esforço de todos eles. Anos de treinamento para uma chance que pode ser que nem aconteça, não deve ser nada fácil, não é?

“Shine: uma chance de brilhar” é o primeiro livro de Jessica Jung, cantora, atriz, estilista e influenciadora internacional. Jessica nasceu em São Francisco, mas cresceu na Coreia do Sul. Ela se formou como cantora de K-pop e estreou no grupo Girls’ Generation, em 2007, e indo fazer carreira solo em 2014. No skoob encontramos que “Shine: uma chance de brilhar” foi inspirado na sua experiência como trainee e idol. A história está sendo adaptada para as telonas pela mesma produtora de “Para todos os garotos que amei”. Eu com certeza estou bem curiosa para ver esse filme!

Procurei um site para ver se teria conteúdo extra e não encontrei. Mas no Instagram de Jessica, ela deixou um link de um site com alguns conteúdos do livro. Nele podemos encontrar o “perfil” de três personagens de “Shine: uma chance de brilhar”: Rachel, Jason e Cho Mina (O TRIO). Outra coisa que vocês podem ver são os stories destacados de Jessica, em “Shine”.

shine

Enfim, “Shine: uma chance de brilhar” é uma história que merece ser conhecida e eu quero muito acreditar que o “#1” que vi no skoob, quer dizer que vamos ter mais desse universo, mas com outros personagens que merecem ter suas histórias contadas.

“Cabeça erguida, pernas cruzadas. Barriga para dentro, coluna ereta. Sorria como se o mundo inteiro fosse seu melhor amigo.”

shine

 

Título: Shine: uma chance de brilhar
Autora: Jessica Jung
Ano: 2020
Páginas: 368
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Jovem Adulto
Nota: 3,5/5
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon