Distribuidora: BBC | Temporadas: 4 | Status: Renovada | Gênero: Drama Policial | Duração dos Episódios: 90min | Disponível na Netflix

Que todo mundo conhece Sherlock Holmes eu não tenho dúvidas, mas vocês sabem que existe uma série excelente inspirada nas histórias do famoso detetive? Se não sabem, já passou da hora de descobrir. Trata-se da britânica “Sherlock” que, em sua 4° temporada, já está disponível na Netflix.

A história não tem muito segredo, é um drama policial que segue o cotidiano de Sherlock e seu inseparável companheiro Watson na solução de diversos casos da Londres atual, levando em consideração todos os elementos clássicos como o endereço na Baker Street 221B (mesmo que não se utilize mais letras nos endereços de Londres), os arquiinimigos tradicionais e famosos, e principalmente a personalidade excêntrica do protagonista.

O elenco não poderia ser melhor, o que gerou um show de atuações. No papel de Sherlock está Benedict Cumberbatch (Doutor Estranho) que dispensa elogios, e fica até difícil imaginar outra pessoa em seu lugar. Como John Watson, um médico que voltou há pouco da guerra no Afeganistão, temos Martin Freeman (O Hobbit) que, de uma forma muito inteligente, interpreta as inseguranças do personagem devido ao estresse pós-traumático que sofre. Também no elenco está o co-criador da série Mark Gatiss, no papel do arquiinimigo Mycroft.

Principalmente devido à dupla de alto nível no protagonismo e suas agendas lotadas, a série apresentou grande dificuldade em ser gravada. Pra vocês terem uma ideia da dimensão do sucesso da atração, Martin Freeman quase teve que abandonar seu papel como Bilbo em “O Hobbit” para continuar gravando a segunda temporada, porém o diretor do filme, Peter Jackson, achou que valia a pena esperar por ele. Até o momento foram lançadas 4 temporadas (2010, 2012, 2014, 2017), tendo cada uma delas 3 episódios de 90min de duração. Em 2016 foi lançado 1 episódios especial ambientado na Londres vitoriana, assim como nos livros, totalizando 13 episódios até o momento. Uma 5° temporada já foi confirmada, mas agora é aguardar porque deve sair lá em 2019.

Os episódios da série são muito bem construídos e os pensamentos e observações de Sherlock são colocados em destaque na tela (ampliados, escritos ou em cores diferentes) para dar ao telespectador a sensação de estar dentro da cabeça do detetive, o que é algo brilhante. Geralmente eles já possuem um título que faça referência ao conto no qual foi baseado, como por exemplo o primeiro que se chama “Um estudo em rosa” e faz referência a “Um estudo em vermelho”. Para a segunda temporada, como um consolo para os fãs devido à demora, os criadores utilizaram os mais famosos contos: O Cão dos Baskerville e Um Escândalo na Boêmia.

Uma curiosidade sobre as gravações é que não utilizaram o endereço original de Sherlock em Londres nas filmagens devido às inúmeras alterações que precisariam ser feitas para apagar o nome do detetive em todos os lugares, visto que se tornou um endereço turístico, sendo assim as filmagens são realizadas na North Gower Street. E outra super novidade, que surgiu essa semana, é que estes criadores brilhantes estão escrevendo uma série nova sobre o Drácula (!!!).

Sucesso de público e de crítica, esta é minha super indicação para este período de férias. Aproveite o tempo livre e mergulhe no universo de Sherlock, tenho certeza que não irá se arrepender.

“Elementar, meu caro Watson”