LIVROS

VOX – CHRISTINA DALCHER | RESENHA

20 novembro, 2018 por
Já pensou em ter suas palavras limitadas, não poder mais falar o que quiser? Usar linguagem de sinais? Proibido! Escrever? Proibido, assim como ler também! Mas essas regras não valem pra todo mundo, apenas para as mulheres… Parece irreal e improvável, não é mesmo? Mas essa é a proposta da distopia Vox escrita por Christina Dalcher e lançada neste último mês pela EditoraArqueiro. Nela teremos a oportunidade de acompanhar a transição e implantação desse sistema opressor, tudo isso através de um forte embasamento religioso e machista.

Acompanhamos a Dra. Jean Mclellan, ironicamente uma especialista em neuroliguagem, que há meses vive apenas como uma dona de casa de palavras limitadas, 100 por dia, por causa das novas regras do governo. Mãe de quatro filhos, sendo a mais nova uma menina de apenas 6 anos que também está submetida a essas regras, nos guia através de um misto de lembranças e situações atuais mostrando como tudo aconteceu. Ninguém nunca imaginou que isso fosse possível. Pessoas fortes, inteligentes e boas deram continuidade em suas vidas apesar de ver alertas na TV de mulheres que avisavam que algo errado estava começando, as chamavam de histéricas, feminazis ou sem o que fazer.

“A única coisa necessária para o triunfo do mal é que os homens bons não façam nada. “

Ninguém percebeu também a força que certo líder religioso ganhava através de suas transmissões, disseminado aos poucos o ódio e a segregação. Porém agora, sem exceção, todas as mulheres a partir dos 3 meses de idade usam uma pulseira elétrica que conta suas palavras ditas, com punições ao ultrapassar a cota. Gays, mulheres e homens, foram direcionados a campos de concentração com pulseiras sem tolerância de palavras, em celas duplas formando casais de homem e mulher, para se curar e ganhar uma chance de formar uma “família tradicional”. E a ideia é mais profunda que tudo isso, ao controlar rigidamente a comunicação das adultas e não desenvolver a das crianças, qual seria o futuro das mulheres? O silêncio completo!

“Sejam capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a ser moderadas, a amar os maridos e os filhos, a ser discretas, castas, dedicadas ao lar, bondosas e a obedecerem aos maridos.”

Mas é neste cenário que algo muda! Jean é procurada pelo governo por precisarem de seu trabalho com urgência. É dado a ela o poder temporário de exigir o que quiser, contando que aceite voltar ao laboratório e cumpra os prazos estabelecidos. Com o casamento enfraquecido, o filho mais velho convertido ao novo sistema e a preocupação com sua garotinha que raramente utiliza suas palavras diárias, Jean precisa decidir o que fazer.
O livro é praticamente um manifesto, mas a esse ponto eu nem precisaria dizer isso a vocês. Além de promover uma reflexão sobre situações que vivemos, questiona nosso posicionamento frente a elas. Você tem utilizado sua voz para defender aquilo que acredita? Na história vemos que muita gente boa se calou por não acreditar no que poderia acontecer, ou achar que não faria qualquer diferença, e no final de tudo se arrepende por não ter lutado. Jean é uma delas! Preocupada com os estudos, provas, experimentos, formação acadêmica, nunca teve tempo para passeatas ou reivindicações, mas viu tudo ruir e se tornar uma dona de casa contra a sua vontade.

Outro ponto interessante desta leitura é observar como osdiscursos masculinos frente à capacidade feminina são moldados. A força domachismo enraizado que, ao mínimo estímulo, aflora e gera toda a situaçãoagressiva desta sociedade. O líder religioso, e o presidente influenciado porele, não precisaram fazer com que os homens desvalorizassem ou impedissem as mulheres, eles só precisaram dizer que não era errado pensar assim. As pulseiras de choque, controle de palavras, campos de concentração, submissão doméstica e social não passam de consequência deste aval.

“Minha culpa começou há duas décadas, na primeira vez em que não votei, nas vezes incontáveis em que disse a Jackie que estava ocupada demais para ir a uma de suas passeatas, fazer cartazes ou ligar para meus congressistas.”

Sobre o desenvolvimento do livro, acontece de forma instigante e revoltante durante toda a história. Porém, é nítido que em determinado momento a autora se perdeu. O final se tornou algo confuso e atropelado, merecendo ser melhor trabalhado. Não ficou ruim, possui resistência, reviravoltas, surpresas e emoções, mas se desvincula em partes do objetivo inicial e das situações amplamente retratadas. Em contrapartida tem personagens muito bem colocados, com características bastante exploradas.

“Quando obedecemos à liderança do homem com humildade e submissão, reconhecemos que a cabeça de cada homem é Cristo, e que a cabeça de cada mulher é o homem.”

-Vox

O livro “VOX” é com certeza uma leitura necessária a homens e mulheres, principalmente nestes momentos políticos conturbados que estamos vivendo. E para nós, mulheres, não se calem e não permitam ser caladas! Defendam diariamente seus direitos e lutem por eles, não permitindo ser taxadas de histéricas ou loucas. E o mais importante, não optem por concorrer ou ofender outras mulheres. Estamos unidas. Sororidade!

“- De quem você acha que foi a culpa? Vocês, mulheres. Agora precisam aprender uma lição. “

O livro “Vox” é o escolhido do mês de Novembro da nossa
caixinha da Leitura Coletiva Diferentona!!!

 

______________________________________________________________________________________________________________

Titulo: Vox
Autor: Christina Dalcher
Ano: 2018
Páginas: 319
Editora: Arqueiro
Gênero: Distopia
Adicione a sua lista do Skoob
Onde comprar: Amazon

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

6 Comentários

  • Foi tão divulgado,falado que, confesso, fiquei desejosa em ler.A resenha deixa-me certa agora,que deve ser uma leitura obrigatória.Parabéns pela resenha!

    • Karina Rodrigues
      janeiro 05, 2019

      Oi,Marilene! Que bom q gostou. Está realmente é uma leitura essencial, principalmente por sua brutalidade e proximidade com a sociedade atual.
      Bjos

  • Carol Campos
    novembro 21, 2018

    Uma premissa aterrorizante, mas a metáfora apresentada é muitíssimo próxima dos nossos dias atuais. Mostrar como as mudanças vão acontecendo aos poucos e as pessoas deixam passar sem dar atenção devida e quando param pra enxergar o que de fato essas mudanças fizeram, vêem que é algo que não imaginavam e assustador. Gostaria muito também que esse livro chegasse até os homens para que eles leiam livros com distopias feministas e entendam o que está por vir se continuar assim… Mais do que adicionado à lista de desejados.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1065059331962531841?ref_src=twcamp%5Ecopy%7Ctwsrc%5Eandroid%7Ctwgr%5Ecopy%7Ctwcon%5E7090%7Ctwterm%5E3

    • Karina Rodrigues
      janeiro 05, 2019

      Oie, Carol. É super interessante e assustador como esse livro é absurdo e atual. Realmente deveria ser uma leitura para todos os gêneros.
      Depois me conte o que achou.

      Bjos

  • O Vazio na Flor
    novembro 20, 2018

    Este kit está maravilhoso e tem sido com certeza, o lançamento da vez!
    Tenho acompanhado a segunda temporada de O Conto da Aia, e é uma série dolorida, cruel, nua…a cada episódio eu me pego inconformada com tudo e me questionando como tudo era possível.
    Pensar que tudo isso ainda não acabou e que sim, pode voltar…dói!
    Mas Vox traz não só este alerta a mulheres e homens, traz também a voz..a nossa voz que não pode se calar diante dos crimes contra as mulheres e não resumo isso somente a violência física não.
    Com certeza, o livro está na lista de desejados e espero ler em breve!!!
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1064903393309876224

    • Karina Rodrigues
      janeiro 05, 2019

      Com certeza é uma leitura necessária, e segue a mesma linha de Handmaids q vc tá assistindo… bem dura e cruel.
      Mas precisamos desse incômodo.
      Depois me conte o que achou!
      Bjos