Eu não sei vocês, mas eu estou super ansiosa pra que chegue logo o dia da estreia cinematográfica de Extraordinário. Eu simplesmente amei a história e não satisfeita em guardar esse amor só pra mim, entrei numa de ficar indicando o livro pra todo mundo, querendo que outras pessoas também se emocionem e se apaixonem por ele. O legal é que está dando certo, pois até agora todos que aceitaram a indicação gostaram muito.

A propósito, você já leu né?! Se não leu, sugiro que pare essa resenha agora, pegue o livro ou (leia nossa resenha aqui), se encante e quem sabe até derrame lágrimas com ele. A sugestão também é válida, pois a partir de agora o texto irá conter alguns “spoilers” e ficará sem graça ler Extraordinário já sabendo dos acontecimentos que eu irei mencionar. Se aceitar a sugestão, não deixe de voltar aqui pra gente conversar sobre! Beijo da Nat.

Bom, se você ainda está lendo é porque já leu Extraordinário (ou porque é teimoso(a), mas tudo bem). Responde pra mim: O livro não é mega fofo?! Eu queria abraçar o Auggie! Amo desde a capa, quando me deparei com aquele desenho de um olho só e li “Não julgue um livro  menino pela capa cara”. O fato é que fui me encantando, grudei  igual chiclete e no fim queria levantar e aplaudir de pé tudo aquilo.

Estou com saudade dos personagens… Quero logo ver o filme… Mas enquanto ele não chega pude matar a vontade com essa versão fofa. Quando eu descobri que R. J. produziu um volume extra, ilustrado eu logo quis… Eu sei que é uma versão infantil, curtinha, colorida, mas meu lado infantil berrou e minha criança interior precisava de um. Somos Todos Extraordinários é uma nova história bem menor e mais simples, mas que não perdeu aquela essência que tanto me encantou.

Sabemos que a deformação facial, resultado de uma síndrome genética, deixou o rosto de Auggie bem diferente. E não é nada fácil pra ele conviver com essa diferença. Ele sabe que não é um garoto comum e é sobre isso que lemos nessa obra. O menino narra a historia em primeira pessoa e vai nos contando um pouco de sua rotina e do que gosta de fazer, mostrando que apesar da aparência incomum é uma criança como qualquer outra.

O importante papel da mãe de Auggie me comoveu na obra inicial e é novamente mencionado. Neste livrinho ele relata a dificuldade em lidar com a discriminação, sua tristeza, o uso do capacete de astronauta para cobrir o rosto e mergulhar em um mundo de fantasia. Tudo tem uma linguagem adequada ao público infantil. A cachorrinha Daisy reaparece em Somos Todos Extraordinários e acompanha seu dono em suas aventuras. É muita fofura!

Resolvi me presentear com esse volume, queria muito lê-lo e vou guardá-lo com carinho, pois quando eu for mãe quero muito que meu filho(a) conheça a história e tendo essa edição, que é totalmente voltada para as crianças, não precisarei esperar muito. Se você tem filhos ou se um dia quiser presentear uma criança com um livro eu indico Somos Todos Extraordinários, a trama é amor do início ao fim.

Intolerância, preconceito, discriminação, são atitudes condenáveis ainda presentes em nossa sociedade. Comportamentos assim precisam mudar. Se as crianças forem ensinadas a conviver bem com as diferenças o mundo certamente será mais amável. Uma obra sensível como essa merece todo meu respeito. Sou fã. E você? O que acha de Extraordinário e dessa nova história ilustrada?

Essa matéria foi escrita por  Nathalia enquanto ainda era colunista do Coisas de Mineira. 
_______________________________________________________________________________________________________________
Título: Somos Todos Extraordinários
Autor: R. J. Palacio
Ano: 2017
Páginas: 32
Editora: Intrínseca
Gênero: Infanto-juvenil
Onde comprar: AMAZON