{#Resenha} Proibido — Tabitha Suzuma

Proibido é um livro cheio de temas polêmicos, onde a autora Tabitha Suzuma aborda de forma sensível, as dificuldades de se crescer em um lar conturbado e se apaixonar por aquele que você deveria amar apenas fraternalmente, mas que por motivos não explicáveis você vê como o grande amor da sua vida e seu verdadeiro e único amigo.

Lochan tem 17 anos, é extremante inteligente, mas sua timidez e falta de autoestima tem feito com que ele ande pelos corredores do colégio sem conseguir fazer amigos, e faz com que não participe dos debates dentro de sala de aula. Ele é lindo e as meninas o notam, porém ele não quer que ninguém saiba de sua existência, ele simplesmente quer que o período escolar termine o mais rápido possível. O único momento que se sente seguro o suficiente para conversar é quando está em casa com seus irmãos, principalmente Maya.

“Você pode fechar os olhos para as coisas que não quer ver, mas não pode fechar o coração para as coisas que não quer sentir.”

Maya é uma jovem de 16 anos que tem a difícil responsabilidade de ajudar na criação dos seus irmãos mais novos, além de ter que terminar os estudos e cuidar da casa porque sua mãe está sempre bêbada, ou na rua com um novo namorado que arranjou. Maya é sensível, responsável, e não tem problema de convívio com seus amigos na escola, mas seu grande e melhor amigo é seu irmão Lochan onde ela se apoia e onde oferece o ombro para apoio quando ele não está bem.

Desde suas primeiras páginas, Proibido apresenta os sentimentos conflitantes que cada um dos irmãos sentem e as dificuldade de suas responsabilidades, apontando assim ao leitor a dura realidade criada pela autora, bem como a forma que cada um deles lida com seus sentimentos. E foi por esses pequenos detalhes que vi esse livro como a leitura mais dolorosa, direta e sensível de 2014.

“O corpo precisa de um fluxo constante de alimentos, ar e amor para sobreviver. Sem Maya eu perco os três. Morro lentamente.”

Tinha sido incansavelmente informada por amigos que esse livro conseguiria me tocar e me chatear como nenhum outro e que ficaria marcado a brasa em minha memória, mas não esperava que também fosse maravilhoso e belo.

Pois mesmo descrevendo um amor tabu, como o incesto, a autora não se prendeu, ou talvez ela tenha prendido e eu que que não percebi, já que fique tão maravilhada com o enredo de fundo muito bem escrito e descrito, que fez com que eu tivesse uma ideia geral do que ocasionou tal sentimento neles, fazendo com que assim eu não ficasse tão chocada quando o romance virou algo mais carnal, se assim posso dizer.

Não entre nessa leitura já com o intuito de julgar pelo que você leu, abra sua mente e se coloque no lugar de Maya e Lochan , assim  então você terá uma leitura maravilhosa e verá que a autora fez uma pesquisa bem interessante e apontou em seu livro questionamentos se o relacionamento entre eles deveriam ou não ser considerado um crime.

Alem de descrever de uma forma bem poética que nem tudo é preto e branco e que os finais de livros podem sim deixar você em uma bagunça emocional onde sua mente se questiona durante dias, ou no meu caso semanas,  de como Tabitha Suzuma teve a genial ideia de escrever tal destruidor de emoções.

Esta resenha anteriormente tinha sido publicada no blog Louca Escrivaninha, como o mesmo se encontra fechado, revisei e rescrever alguma partes para post aqui. 
________________________________________________________________________________________________________________

Titulo: Proibido 
Autor : Tabitha Suzuma 
Ano:2014
Editora: Valentina
Páginas: 304