{#RESENHA} O ÚLTIMO ADEUS – CYNTHIA HAND

22 junho, 2017 por
 O Último Adeus | Autora: Cynthia Hand | Ano: 2016 | Páginas: 352 | Selo: Darklove | Editora: DarkSide Books  | Gênero: Romance, sick-lit, drama, New Adult | Adicione ao seu Skoob 

“Estou confuso.
Passo por fases onde eu acho que tudo vai ficar bem e o céu é azul e coisas e posso sentir o sol e o ar entrar e sair dos meus pulmões e acho que a vida é boa. Mas, a cada momento, também sei profundamente que a escuridão está chegando. E vai continuar vindo. E quando eu estiver na escuridão, vou estragar tudo “.

Alexis Riggs (Laxie) é uma jovem de 18 anos. Muito inteligente, apaixonada por matemática, filha de pais separados e irmã mais velha de um adolescente chamado Tyler. Mas ele se matou. Acertou o próprio coração com um tiro de rifle de caça na garagem de sua casa. Ao perder o irmão Laxie também ficou perdida, abalada, mexida… Um turbilhão de sentimentos estão descritos nas páginas de “O Último Adeus”.

Mas não são páginas quaisquer. São páginas de um diário escrito por Alexis. Escrever sobre o que tem passado foi uma recomendação do terapeuta. Uma forma de colocar pra fora tudo que a sufoca. No início ela está um pouco relutante, não quer escrever, acho que não queria nada, pois nada mudaria ou concertaria as coisas.  Mas ela acaba escrevendo, e vai se abrindo cada vez mais…

A personagem vai expondo sua dor aos poucos. Acompanhamos suas idas ao terapeuta, à escola, suas lembranças… Ela escreve sobre o estado da mãe que chora, bebe e sofre muito por ter perdido o filho. Também menciona a pena no olhar das pessoas, a saudade, a culpa. Nos conta sobre a separação dos pais, sobre antigos problemas do seu irmão, sobre o namoro que ela terminou…

Tudo é entregue meio que pela metade e isso me deixou agoniada, mas também me prendeu. Tyler partiu deixando apenas um bilhete escrito: Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio”. Ele escreveu isso em um post-it amarelo. A história é triste. Dá pra sentir o quanto não está sendo fácil para Laxie lidar com a situação. É o amor pelo irmão misturado a uma raiva pelo que ele fez. E pior que isso, uma culpa. Mas por que ela se sente culpada?

Temos em mãos o diário de Alexis. Nele ela descreve tudo bem detalhadamente. Lemos sobre o que ela está vivendo, pensando, lembrando e sentindo. De modo geral o que vemos é a personagem tentando lidar com a morte. Tive muita vontade de conhecer toda a história, de saber toda a verdade e entender de uma vez por todas porque ela se culpava tanto.  “Devorei o livro”

“Todo mundo morre, e todo mundo perde pessoas que amam – todos – e isso não é uma desculpa para você morrer. Eu amo você, e eu preciso que você seja minha mãe, e eu preciso que você tenha uma vida. Portanto, superar a si mesmo.”

A narração é feita em primeira pessoa. As letras são azuis, dando a impressão de que foi escrito a tinta, há palavras rabiscadas e também rabiscos por toda parte nas páginas que dividem os capítulos. Achei perfeita essa arte. As vezes, quando tento escrever o que sinto e não consigo eu acabo rabiscando a folha. É meio que uma maneira de extravasar… Acho perfeitamente compreensível que Laxie tenha rabiscado bastante seu diário.

Não é uma trama leve. A personagem está perturbada, está sofrendo. Há momentos em que ela sente o perfume do irmão e até chega a vê-lo. Será loucura? O tema suicídio tem sido bastante abordado na ficção, mas o que achei interessante é que esse livro mostra o lado dos familiares e amigos. Não dá voz a quem se matou, mas sim aos que ficam e precisam conviver com a perda e com a dor.

“O perdão é complicado, Alexis, porque no final é mais sobre você do que sobre a pessoa que está sendo perdoada” 

Gostei muito da leitura. É triste, dá aquele nó na garganta, faz sentir pena, compaixão. Não gosto nem de pensar em viver algo tão terrível, mas consigo imaginar o quanto deve ser uma super barra pesada. O capricho da edição é um show à parte. “Darkside tem o dom”. As fotos vão falar por mim… Livro lindão! No finzinho tem um relato da autora Cynthia Hand dizendo que seu irmão se matou aos 17 anos, mas que a história do livro não é a sua história.

Gostou da resenha? Beijo da Nat.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

20 Comentários

  • Fabiana Scola
    agosto 13, 2018

    Estou com esse livro guardadinho na minha estante esperando a hora oportuna para ser chamado por ele. sei que esse livro não passa batido nas mãos de quem o lê e assim como os teus comentários, é um livro tenso, triste e cheio de ensinamentos. Ver a visão de um adolescente nesse estado emocional, deixa qualquer um reflexivo, do que realmente vale na vida, de como estamos agindo e pq se chega num estagio desses… Acredito que tudo está ficando sem valor, os mais novos estão muito intensos em suas descobertas que os fazem fazer tudo muito cedo e rápido demais, e depois ficam sem caminho, sem chão e sem objetivo, (pode até não sei tema do livro, mas o suicídio está cada vez mais presente na vida dos jovens e por nada não é…) AS características físicas do livro dão uma sensação mesmo de realidade, de que tu está com a carta na mão,adorei o modo que esse livro foi apresentado.

  • Nathalia
    julho 04, 2017

    Que bom que gostou! Beijo

  • RUDYNALVA
    julho 01, 2017

    Nathália!
    A autora foi bem corajosa ao abordar dois temas fortes: suicídio e depressão.
    Li uma entrevista onde o pesquisador informava que a depressão é a doença do século XXI.
    Temos de ser observadores constantes de quem amamos para identificar os sintomas e para que não chegue a atitudes extremas como o suicídio.
    O livro deve ser uma leitura densa, ainda mais com as experiências da própria autora.
    Desejo um final de semana de luz e paz!
    “Será que você vai saber o quanto penso em você com o meu coração?” (Renato Russo)
    Cheirinhos
    Rudy

    • Nathalia
      julho 05, 2017

      Sim… Um livro bem forte, mas não é um relato da história dela, apesar de que acredito que a experiência dela influenciou na escrita…Beijo

  • Gislaine Lopes
    junho 29, 2017

    Oi Nathalia,
    O último adeus é um livro sobre suicídio, mas diferente de outros com a mesma temática, o foco está nos personagens vivos. Acho que o mais difícil de lidar com uma situação como esta, está no fato de que ninguém espera que isso ocorra. Por mais que você saiba que a pessoa não está bem emocionalmente ou psicológicamente, ninguém imagina o quão extrema a situação pode se tornar. Conviver com a culpa, o arrependimento e o fato de que não houve despedida é o que atormenta Laxie e nem consigo imaginar o que é estar vivenciando tudo isso. Cynthia Hand, trouxe uma narrativa diferente para contar esta história e todos os detalhes, desde a diagramação até a edição do livro, deixa tudo mais real.

  • Carol Campos
    junho 28, 2017

    Sim, as fotos falaram por você, estão lindas! Esse livro está na minha lista de desejos desde o penúltimo encontro do #ClubedoLivroBH e me apaixonei pela história desde a forma como o livro nos é entregue quanto seu conteúdo. É um enredo forte, apreensivo… Quero muitíssimo ter e ler!

  • Herica Lima
    junho 23, 2017

    Tenho muito interesse em ler esse livro. Além da capa ser belíssima a história traz um tema bem forte que é o suicídio e a superação para a família e as pessoas em volta.
    Estou lendo bastante livros desse tema e estou adorando. Uma leitura realmente positiva e reflexiva!

    • Nathalia
      julho 04, 2017

      Sim… Forte, reflexivo, emocionante… Ele é mesmo bem assim!
      Beijo

  • Milena Soares
    junho 23, 2017

    Nossa, estou doida pra ler esse livro curto muito um bom drama, cada resenha que leio dele me deixa ainda mais curiosa em conferi essa história que parece super emocionante.

    • Nathalia
      julho 04, 2017

      Eu gostei bastante da leitura, espero que lhe agrade!
      Beijo

  • Jessica Borges
    junho 23, 2017

    Olá!!
    Esse livro já está na minha wish list a muito tempo.
    Realmente é um livro com um tema pesado e não é para qualquer um, mas eu acho importante que esse tema seja discutido cada vez mais. Parece ser um livro para chorar e tenho certeza que vou me emocionar muito. Bjos!

    • Nathalia
      julho 04, 2017

      Realmente um tema forte que mexe com a gente!
      Beijo

  • Ø Väzïø ñä Flø®
    junho 23, 2017

    Realmente o tema suicídio tem ganhado cada vez mais espaço seja na literatura ou no cinema e tv. Não que isso seja ruim, é um tema forte demais, precisa muito ser abordado cada vez mais e mais.
    Até onde o ser humano é capaz de suportar o peso do mundo? Até onde esse vazio acaba invadindo tantos corações?
    Não conhecia o livro, mas já quero muito poder ler e me aventurar neste drama!!
    Deve ser um apanhado de sentimentos e eu preciso ler!
    Beijo

  • Maria Alves
    junho 23, 2017

    Quero muito ler, achei diferente porque mostra o outro lado da historia a de quem fica que é o pior pois tem que conviver com a falta de quem se foi. Deve mexer com as emoções do leitor e parece nos colocar no lugar da personagem.

  • Ariane Reis.
    junho 22, 2017

    Oie Nathalia =)

    Eu tenho uma queda por livros que destroem meu coração para no final o autor ir colando pedacinho por pedacinho.

    Apesar de ter visto esse livro nas redes sociais a sua é a primeira resenha que eu leio e fique bastante interessada nele agora.

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.