“Mulher Maravilha – Semente de Guerra”, da autora Leigh Bardugo, é o primeiro livro da série “Ícones da DC”, publicado em 2017 pela editora Arqueiro aqui no Brasil. A série contará com 4 livros, sendo cada um de uma autora diferente, e o segundo livro já tem nome em Inglês “Batman: Nightwalker” (em tradução livre Batman: Viajante Noturno) com data de lançamento nos EUA para janeiro/2018. Ele foi escrito pela autora Marie Lu, da trilogia “Legend”.

Em “Mulher Maravilha: Semente de Guerra”, conhecemos a história de Diana ainda jovem, tentando provar para todas as Amazonas, principalmente sua mãe, que é uma verdadeira guerreira mesmo que nunca tenha participado de uma guerra. Com a arrogância de uma adolescente, a personagem acaba entrando em uma enrascada seríssima quando, ao ver um naufrágio entre a linha que divide o território da ilha e o dos mortais, decide salvar a única sobrevivente dele. O problema é que essa sobrevivente é ninguém menos que Alia Keralis, uma jovem que por onde passa a raiva e a discórdia acompanham.

"Mulher Maravilha – Semente de Guerra", da autora Leigh Bardugo, é o primeiro livro da série “Ícones da DC”, publicado em 2017 pela editora Arqueiro aqui no Brasil. A série contará com 4 livros, sendo cada um de uma autora diferente, e o segundo livro já tem nome em Inglês "Batman: Nightwalker" (em tradução livre Batman: Viajante Noturno) com data de lançamento nos EUA para janeiro/2018. Ele foi escrito pela autora Marie Lu, da trilogia "Legend".

Ao salvar Alia, Diana não só quebra uma das principais regras das Amazonas como também as coloca em risco, já que como mecanismo de defesa a ilha começa a sofrer várias tempestades e a sugar a vida da jovem sobrevivente, que está cada vez mais doente.

Sem entender muito bem o que está acontecendo mas desconfiada de que isso tem a ver com a menina que ela salvou, Diana vai atrás do Oráculo procurando explicações e descobre que a jovem tem uma descendência capaz de criar guerra por onde passa, e que precisa ser morta ou levada até sua ancestral para que assim sua maldição possa ser quebrada.

Antes de de tudo eu tenho que falar do que eu gostei nesse livro, e muito. A diversidade dos personagens criados por Leigh Bardugo foi o ponto alto da trama, cada um deles com sua história. Alia e o irmão são negros, de descendência grega e ricos, então  sabe o que isso significa para mim que sou negra e sempre vejo personagens negros sendo retratados como marginalizados? É incrível. Depois vem Nim que é indiana e Theo que é brasileiro, cada um deles muito bem criados com suas personalidade únicas, isso por se só já ganhou meu coração.

Outro ponto que eu gostei muito foi a autora ter conseguido criar um Diana única, pois se você já viu algum filme ou desenho da Mulher-Maravilha já tem uma opinião formada sobre a personagem. Leigh respeitou isso, mas respeitou também o fato de que aqui ela está narrando uma personagem de 16 anos, jovem e imatura em alguns momentos, mas segura como uma guerreira para qual ela foi criada. Curti bastante toda a ideia que Leigh Bardugo criou, com seus diálogos bem adolescentes e suas inseguranças características da idade.

Alia também foi uma personagem muito legal e única, seu mundo sempre tão fechado, criado por seu irmão como uma forma de os proteger, a fez ser uma pessoas bem desconfiada de tudo, porém também a fez muito observadora. Os personagens secundários também foram muito bem construídos e com suas funções bem definidas.

No geral posso dizer que a mistura entre o atual e o antigo, onde varias vezes somos apresentados a história da Grécia e seus deuses, não deixou nada confuso e deu um algo a mais a trama. A única ressalva que tive foi que achei o início bastante cansativo porque focou muito no fato de Diana ter que ser provar o tempo todo, sendo que a maioria do tempo isso estava na cabeça dela pelo fato de nunca ter ido à batalha, mas depois que passa essa parte dá pra curtir muito.

Ainda não tinha lido nada da autora, mesmo ela tendo uma série de bastante sucesso que é a “Trilogia Grisha” começando com “Sombra e Ossos”, e gostei da forma como ela escreve sendo uma narrativa bem fluida, misturando ação, mistério e partes engraçadas em todo o texto, sem ficar forçado. Vou continuar acompanhando essa série, e já que cada novo livro é de um personagem diferente e uma autora diferente, quero ver como elas vão ligar as obras.

_______________________________________________________________________________________________________________
Título: Mulher maravilha : Sementes da guerra.
Subtitulo: Lendas da DC # 1
Autora: Leigh Bardugo
Ano: 2017
Páginas: 400
Editora: Arqueiro
Gênero: Fantasia, Jovem adulto 
Onde comprar: AMAZON