Sabe quando você está naquela ressaca literária e fica em busca de uma leitura leve, fácil e que acalme seu coração? Era assim que eu me encontrava quando me deparei com esta obra e preciso dizer que ela serviu bem ao propósito de me entreter. A improvável teoria de Ana & Zak me fez dar risadas e foi um bom passatempo.

Ana e Zak são alunos do último ano do Ensino Médio. Não são amigos, mas já se viram na biblioteca. No primeiro momento ela considera Zak infantil e descompromissado. Já ele, logo se interessa por Ana, mas fica sem ação, sem palavras e a considera uma garota reservada e inacessível.

O protagonista acaba sendo obrigado a participar de um torneio estudantil, na mesma equipe que Ana, mas para sua infelicidade o tal torneio ocorrerá justo no dia de uma convenção de ficção científica que é “o evento da sua vida”. Na história também temos Clayton, irmão mais novo de Ana, que é um garoto prodígio e também faz parte da equipe.

O menino conhece Zak, se aproxima dele e ao ouvi-lo falar com tanta empolgação sobre a convenção e as coisas legais que acontecem lá, fica bastante interessado. Clayton resolve fugir para essa grande festa Geek. Ele deixa a irmã louca de preocupação e ela acaba pedindo ajuda a Zak para reencontrá-lo. A todo o momento vemos Ana aflita e com medo.

A protagonista tem uma criação muito rígida, morre de medo dos pais e por isso demonstra essa preocupação fora do comum. Já Zak vem de uma criação mais solta e não entende bem a aflição exagerada de Ana. O fato é que nesta busca por Clayton eles vão se conhecer melhor e descobrir que há entre eles muita coisa em comum.

A noite na convenção Sci-fi é uma aventura cheia de confusão e em cada capítulo acompanhamos às loucura ocorridas madrugada a dentro. É um texto fácil e fluido. Capítulos curtos, diagramação leve, tudo colaborando para uma leitura descontraída. A narração em primeira pessoa é feita hora por Ana, hora por Zak. É uma proposta com carinha jovem.

“… Minha teoria é de que não há como as coisas piorarem para nós.

Vamos superar tudo isso.

Você vai ver.”

Ana é aquela cdf estudiosa e certinha, Zak é aquele garoto fissurado em games, filmes e personagens… A história é bem carregada de elementos da cultura nerd e geek. Jogos, filmes, quadrinhos, séries, internet, redes sociais e cosplayers fazem parte do universo dos personagens e há nas páginas alguma referências (não compreendi todas). Basicamente lemos sobre uma corrida contra o tempo…

A dupla precisa encontrar o pequeno fujão antes que a professora note a ausência deles. Notei que temas interessantes foram pincelados, questões como conflitos familiares, casamento homo afetivo, gravidez na adolescência e drogas. Apesar de a abordagem ter sido superficial, achei legal e válido como porta de entrada a reflexões maiores.

Percebo A Improvável Teoria de Ana e Zak como um livro para adolescentes, especialmente aqueles que se identificam com o mundo dos geeks e Nerds. O autor trouxe pra obra aquela busca do jovem por se encontrar. Aquela angustia de quem está prestes a se tornar adulto e precisa tomar uma série de decisões importantes. Acho que muitos jovens irão se identificar.

“Você pode se esforçar muito e ser muito triste,ou não fazer nada
e ser feliz.”

E você, tem um lado nerd/geek? Gostou dada resenha?

Essa matéria foi escrita por  Nathalia enquanto ainda era colunista do Coisas de Mineira.

________________________________________________________________________________________________________________

Título: A improvável teoria de Ana & Zak 
Autor: Brian Katcher
Ano: 2016
Páginas: 320
Editora: Rocco Jovens Leitores
Gênero: Romance, adolescente, nerd. 
Onde comprar: AMAZON