{ #RESENHA } DOIS A DOIS – NICHOLAS SPARKS

08 janeiro, 2019 por
Titulo: Dois a Dois | Autor: Nicholas Sparks | Ano: 2017 | Páginas: 512 | Editora: Arqueiro | Gênero: Ficção, Romance, Drama | Adicione a sua lista do Skoob | Onde comprar: Amazon 

Sou suspeita ao falar dos livros do Nicholas Sparks, amo este autor, tenho e já li todos os seus livros, só não gosto quando ele mata algum protagonista, mas faz parte. Em “Dois a Dois”, Nicholas mostra um universo diferente e pasmem, ele não mata ninguém (rsrsrs).

“Dois a Dois” conta a história de Russel Green, um jovem publicitário, casado e pai de uma menina de 6 anos que acredita ter uma vida tranquila, mas que vê o seu mundo desabar ao ficar desempregado. Vivian, a esposa, é uma esposa manipuladora e controladora, acaba convencendo Russ a fazer e dizer o que ela quer e quando é diferente faz com que ele se sinta culpado e fique questionando as suas atitudes. Quando o marido fica desempregado Vivian, que parou de trabalhar quando a filha nasceu, se vê “obrigada” a voltar a trabalhar por não acreditar na capacidade do marido de ser dono da sua própria agência de publicidade, e acaba impondo obrigações que antes eram dela para o marido.

>> {#RESENHA } ESCOLHA – NICHOLAS SPARKS

LIVRO NICHOLAS SPARKS

“Por mais recompensadora que a maternidade fosse para ela, o nosso casamento parecia ter perdido sua atração. Lembro-me de cogitar que Vivian tinha mudado, mas por fim passei a pensar que ela havia mais evoluído do que mudado, e se tornado mais a pessoa que sempre fora. Uma pessoa que aos poucos fui começando a achar uma estranha.”

Já Russel se vê numa montanha russa tentando entender tudo que está acontecendo em sua vida, todas as mudanças de atitudes e sentimentos da mulher. E as tarefas impostas pela esposa. A partir do momento em que Russel é obrigado a se fazer mais presente  na vida da filha, levando-a e buscando-a  nas atividades diárias, ele vê o amor que sente por ela crescer cada vez mais e acaba fazendo coisas que antes não tinha tempo, como por exemplo, sair para andar de bicicleta com a filha no fim do dia, mas acaba também encontrando pessoas do seu passado, como a Emily, a sua ex-namorada.
No decorrer de um ano vários fatos fazem com que a vida desta família mude o que acaba levando à separação e à inevitável briga pela guarda da filha, uma vez que o pai se sente tão ou mais capaz de criar a filha porque o emprego da esposa a obriga a constantes viagens. Dois a dois me fez pensar nas engrenagens de um casamento, um fato que leva a outro e que leva a outro, e como a falta de confiança e diálogo pode destruir até o mais sólido dos matrimônios.

“Percebi que Emily tinha ficado feliz por eu ligar, e era inegável como isso fazia com que me sentisse melhor. Afinal, agradar aos outros é melhor quando acontece de forma espontânea. E, enquanto eu me sentia num esforço constante para agradar a Vivian, com Emily parecia que eu só precisava ser eu mesmo, e isso já mais do que bastava.”

Narrado em primeira pessoa, pelos olhos do Russell. “Dois a Dois” nos passa um pouco da angústia masculina, o que me fez sentir empatia pelo protagonista. No desenvolver do livro senti as dúvidas e angústias do Russ, ele ficava em dúvida se tinha feito as escolhas certas, se seria capaz de manter a segurança e o conforto da família, até em relação aos sentimentos dos pais ele demonstra insegurança.. Quando a esposa avisou a ele que iria trabalhar “para garantir o sustento da casa” ele se sentiu humilhado e fracassado. Penso que foi exatamente esta a intenção do autor, expor para os leitores o sofrimentos masculinos, sim, eles são os responsáveis pelo sustento das famílias mas não devem ter a obrigação de manter as casas sozinhos, e, caso a esposa ganhe mais ou o marido tenha que assumir os afazeres de casa não devem ser vistos como oportunistas e enganadores, e este era um dos medos de Russ.

No desenrolar dos dias Russ se sente bem ao estar com a filha, reforça o laço de amor entre os dois e muda o seu modo de pensar sobre o que é  ser pai, aos mesmo tempo que corre atrás de fazer o seu sonho de ser dono de uma agência de publicidade dar certo. London, por sua vez se sente mais à vontade com o pai do que com a mãe, chega a ter dúvidas sobre esta preferência mas no final tudo acaba bem, ela se mostra uma garotinha madura e segura dos sentimentos, e esta proximidade com o pai tem grande influência na segurança e confiança que ela passa a ter.

“…Consegui sobreviver àquele ano porque andava lado a lado com aqueles que mais amava e…”

Vivian, se mostra uma pessoa fria e manipuladora, mas no final acaba se mostrando ser madura o bastante para tomar uma decisão que seja agradável para todos. Acho que a atitude dela desde o início da história, de manipuladora, descrente do companheiro, se fazendo de vítima me fez vê-la como a vilã da história, mas no fundo acho que foi insegurança pura e medo de ficar na miséria que a fez tomar as atitudes que tomou.

O enredo teve uma sequência boa, foi bem descrito e tudo acontecia no momento ideal, o autor soube desenvolver cada pedaço da história e encerrou a mesma no momento certo e da forma ideal (sem perder o hábito de matar alguém, mas não posso dar detalhes senão acabo dando spoiler). Fiquei feliz e com o coração tranquilo com o final da história. Nicholas Sparks não me decepcionou e mais uma vez me emocionou com a sua história, espero que o mesmo aconteça com você.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

8 Comentários

  • Revisora de ideias
    março 02, 2019

    É realmemte diferente. Você irá amar…

  • Carol Campos
    janeiro 16, 2019

    Nossa, quando comecei a tomar gosto por livros, Nicholas Sparks e seus romances água com açúcar era o que mais lia, até definir que tipo de gênero me atraía de fato e assim me encontrar. Faz um bom tempo que não leio nada do autor mas, fico de olho em seus lançamentos, esse livro é bem diferente primeiramente por não haver mortes, kk Segundamente por não apresentar os padrões do qual já somos acostumadas e sim papéis invertidos com bastante conflitos, deve ser uma boa leitura pra ver esse lado do pai/homem.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1085643079128887296?ref_src=twcamp%5Ecopy%7Ctwsrc%5Eandroid%7Ctwgr%5Ecopy%7Ctwcon%5E7090%7Ctwterm%5E3

  • RUDYNALVA
    janeiro 12, 2019

    Saionara!
    O que mais gosto no Nicholas é justamente o núcleo familiar que está sempre presente em seus livros e os drams do cotidiano que arrasam nossos coraçõeszinhos.
    Aqui, temos os papéis invertidos, pois é o pai que vai ficar com a responsabilidade de cuidar da filha e vão criar um vínculo tão estreito que só amor é responsável.
    Claro que quero ler.
    cheirinhos
    Rudy
    https://twitter.com/rudynalvasoares/status/1083913605026926593

  • Fabiana Scola
    janeiro 11, 2019

    Ganhei esse livro num sorteio mas ainda não li. Os livros do Nicolas, embora super clichê/sessão da tarde, são leituras que sempre agradam e aquecem o coração, mesmo quando ele mata os protagonistas como tu falou hahahahaha. Não sou conhecedora tanto assim, como tu, inclusive soube a pouco do livro baseado em cartas reais (Almas Gemeas) e achei o máximo, digo isso pois essa resenha me surpreendeu positivamente. Me pareceu um livro fora dos padrões água com açucar dele. Conflitos familiares, inversão de papeis, uma criança envolvida e uma mulher megera (ahahaha), devem render um leitura delicada, e introspectiva. Gosto da escrita dele, sempre flui e é bem vinda, mas historias mais "reais" me agradam ainda mais.

  • O Vazio na Flor
    janeiro 09, 2019

    Tenho andado de olho neste livro desde seu lançamento, até por trazer um enredo totalmente diferente do que o Sparks costuma trazer. Sim, ele ama um bom drama e sempre mata algum personagem que a gente gosta..rs
    Mas este novo trabalho traz algo bem além, pois além de trazer este amor entre pai e filha, traz também um relacionamento falido(certamente é), e também a chance do recomeço.
    Com certeza, o livro já está na listinha de desejados.
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1082932658949238785