LIVROS

RENEGADOS – MARISSA MEYER | RESENHA

06 julho, 2020 por

RENEGADOS - MARISSA MEYER

Renegados é o primeiro volume da nova trilogia da autora Marissa Meyer, conhecida no Brasil pela série As Crônicas Lunares – uma releitura dos contos de fadas com toques de ficção científica, bem como por Sem Coração, que traz uma visão da Rainha de Copas antes de se tornar a monarca cruel que conhecemos em Alice no país das maravilhas. Publicado pela editora Rocco, Marissa Meyer trouxe nessa trilogia os super heróis.

Renegados nos traz um mundo em que, ainda sem explicação aparente, seres humanos com dons sobrenaturais começam a surgir. As pessoas normais – sem poderes, acabam hostilizando-os, e eles começaram a ser chamados de prodígios. Com tantos seres poderosos, um clima de caos se apodera do mundo, que fica à mercê desses prodígios, causando uma ruptura na sociedade e levando à queda de governos. Como consequência, as formas de produção colapsam, levando a uma falta generalizada de itens de sobrevivência. Os anarquistas tomam conta. Ace Anarquia é um dos que se levantam na tentativa de proteger os seus, até que um grupo de prodígios resolve tomar para si o controle da sociedade, e se auto nomeiam como Renegados.

“A humanidade perde a fé em momentos assim. Sem ninguém para admirar, sem ninguém em quem acreditar, todos nós viramos ratos correndo pelo esgoto.”

Em uma batalha épica, que recebeu o nome de Batalha de Gatlon – que nada mais é que a cidade onde acontece o levante dos Renegados, Ace Ventura é derrotado. Mas, isso é só o início da trama, que vai se concentrar em um prodígio de nome Nova Artino, apenas uma criança quando aconteceu a batalha.

“Éramos todos vilões no começo.”

Ela foi criada pelo tio Ace Ventura, após ver seus pais e sua irmã serem assassinados por uma gangue de prodígios, e se ressente, uma vez que nenhum renegado veio em auxílio deles. Ela só escapou porque colocou as mãos no assassino, e ele dormiu. Por conta desse poder, ela recebe a alcunha de Pesadelo. Mas, após perder também seu tio, ela só quer saber de vingança.

Após a Batalha de Gatlon, Nova vive nos subterrâneos do metrô com o que restou da gangue do seu tio: Detonadora, Fobia, Titereiro, Abelha Rainha e Cianeto. Que bolam um plano: assassinar o conselho dos Renegados: o casal Capitão Cromo e Guardião Terror, Tsunami, Pássaro do Trovão e Luz Negra – sim, adoro os nomes dos personagens.

Claro que teremos os dois lados nessa estória. Então, com os Renegados, temos Adrian Everhart, filho adotivo dos dois líderes do grupo, órfão de uma das fundadoras do conselho dos Renegados. Adrian é aquele pilar de ética e sede de justiça, cujo poder é o de dar vida aos seus desenhos – daí o codinome Rabisco. Além de acreditar nos fundamentos dos Renegados, Adrian quer encontrar o assassino de sua mãe.

“Heróis ou vilões, todos os prodígios eram poderosos. Todos os prodígios eram perigosos.”

RENEGADOS - MARISSA MEYER

E esses dois acabam por se esbarrar durante as comemorações do dia de Gatlon, quando acontece um desfile para lembrar a cidade de quem são os heróis. Ela, tentando matar um dos principais heróis, ele, tentando proteger seu pai de criação. Ela quer tanto sua vingança, que acaba percebendo que tem de estar dentro do grupo dos Renegados para isso, o que a levará a questionar algumas de suas verdades, ao mesmo tempo que levará a dúvida sobre esse sistema para Adrian.

“Afinal, quem não tem medo não pode ser corajoso”

Eu sou fã da Marissa Meyer. Ela me cativou em As crônicas Lunares, e me fez derramar rios de lágrimas em Sem coração – sabia qual era o final, mas ela conseguiu deixar uma centelha de esperança até o fim. Aqui, com um grupo de personagens que sempre dividimos em bonzinhos e malvados, ela conseguiu nos deixar sem torcer para nenhum lado. Fica óbvio que a dualidade não se aplica. Nada é só preto ou branco – como os X-mens deixaram bem claro.

Ela consegue nos fazer perceber minúcias de erros e acertos nos dois grupos. Com o Adam, temos um senso de justiça, ao mesmo tempo de questionamento. Já com Nova, uma fome por justiça e a clareza de que o livre arbítrio é crucial para a sociedade. Mesmo que tenham confluência, esse embate vai acontecer. E, quando os dois vão se aprofundando nos seus mistérios pessoas, até mesmo suas verdades começam a ser questionáveis.

Adrian é um personagem cativante por si só. É gentil, cuidadoso, fiel aos preceitos dos Renegados, sabe que uma estrutura de governo é importante para a estabilidade da sociedade. Mas entende que podem errar. Ele até cria um alter ego – o Sentinela, para que possa buscar suas respostas sem o peso dos Renegados.

“Mas nós dois sabemos que o mundo ficaria melhor sem heróis. Sem vilões. Sem nenhum de nós atrapalhando as pessoas normais e felizes nas suas vidas normais e felizes.”

Nova também vai criar um novo personagem – Insônia, para quando estiver com os Renegados. E o que encontra mexe com suas verdades, então ela fica em confronto com ela mesma todo o tempo. E como funcionam juntos… Mas é um afeto desenvolvido em cima de mentiras – e isso pode ser muito perigoso. E, vale ressaltar, o romance é de longe o foco do livro.

“O que nós fazemos… é só uma série de escolhas. Pegue os prodígios de conjuram fogo, por exemplo. Todos eles têm uma escolha. Podem queimar prédios até que virem cinzas, ou podem assar biscoitos.”

Renegados também é rico em personagens secundários. Começa pelos pais de Adrian – que, aliás, é negro, e é filho de criação de um casal homoafetivo, justamente os dois mais queridos, e que não têm nenhum problema de aceitação por parte da cidade. Também temos um personagem instigante: bandido, um garotinho que vive protegido dentro do prédio dos Renegados, sem contato direto com ninguém. Ruby e Oscar, da equipe de Rabisco, formam um time muito forte, e são responsáveis por inserirem notas cômicas na estória.

“O coração de Nova pulou. Ela ergueu a arma e… em quem deveria mirar? Era uma Renegada hoje, ou uma Anarquista?”

Leitura fluida, estória cativante, com momentos bem engraçados, daquelas que a gente lê devagar para não terminar logo… É uma estória de heróis, então recomendo fortíssimo para quem gosta desse universo. Mas também vai agradar a quem gosta de uma estória bem construída, com reflexões acerca da liberdade, da linha tênue entre figuras idolatradas e tirania. Marissa Meyer me fez apaixonar mais uma vez por suas historia…

E um final… quando a gente acha que ela não tem mais uma surpresa guardada na manga, ela joga o coringa – do baralho, não o vilão! As sequências já estão publicadas lá fora, então é só aguardar a publicação!

_______________________________________________________________________________________________________

Título:  Renegados
Autor:  Marissa Meyer
Ano: 2020
Páginas: 512
Editora:  Rocco
Gênero:  Fantasia
Onde comprar: Amazon

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário