LIVROS

O APRENDIZ DE ASSASSINO – ROBIN HOBB | RESENHA

26 dezembro, 2019 por

O APRENDIZ DE ASSASSINO - ROBIN HOBB

A resenha de hoje é de um “relançamento” da Editora Suma “O Aprendiz de Assassino”. Digo “relançamento” porque “A Saga do Assassino” foi lançada pela primeira vez pela editora Leya.

Na história, Fitz tem seis anos quando é jogado aos pés de um guarda real por seu avô, que anuncia que não irá mais cuidar do ‘garoto’ e que seu pai deverá cuidar dele. O pai do menino é ninguém mais do que Chivalry Farseer, o príncipe herdeiro dos Seis Ducados, fazendo de Fitz um bastardo real.

Importante demais para ser abandonado, mas excluído pela realeza Fitz cresce a sombra da corte, protegido pelo mestre dos estábulos, um homem fiel ao príncipe Chivalry.

Apesar disso, o rei Shrewd resolve convocar o garoto, para que ele jure lealdade ao rei e o reino, e começa a treiná-lo como assassino para o rei. Com sangue real, a magia do Talento e uma habilidade de se comunicar com os animais, o garoto é obrigado a viver uma vida dupla, enquanto vive sua vida com o mestre dos estábulos, é treinado em segredo para ser um assassino.

A primeira missão do jovem aprendiz aparece quando o reino começa a ser atacado por saqueadores selvagens. Então Fitz tem a oportunidade de testar todos os ensinamentos que recebeu, sua lealdade e que pode ser uma peça poderosa para a sobrevivência do reino.

“Cresci sem pai nem mãe, em uma corte onde todos me conheciam como um divisor de águas. E um divisor de águas me tornei.”

Essa é a sinopse de “O Aprendiz de Assassino” primeiro volume da trilogia “A Saga do Assassino”. A primeira coisa que vou dizer é: o livro foi escrito de uma forma que eu não estava acostumada, por isso, para mim foi um pouco difícil de ler.

Digo isso, porque a autora é bastante descritiva, em algumas partes, várias palavras são destinadas para descrever uma cena, fazendo com que a meu ver, a leitura não andasse tão rápido e as coisas demorassem a acontecer. Posso dizer que apesar disso, a história é instigante.

Foi interessante ler um livro com uma escrita diferente da que estou acostumada. Acho que todos deviam fazer isso um dia, sair da zona de conforto na leitura e tentar coisas diferentes. Para quem lê George R. R. Martin, acredito que não vai ter tanta estranheza como eu.

Agora sobre a história, apesar de eu ter achado que as coisas aconteceram de forma demorada, por causa da escrita descritiva, aos poucos fui pegando o jeito da leitura entendendo o que estava acontecendo. Vamos acompanhando a vida de Fitz, desde quando é abandonado, até a hora que começa seu treinamento como assassino.

“Quando o sangue do mar corre com o sangue das planícies, o Talento floresce.”

Conhecemos o garoto que está de uma certa forma indefeso e solitário, por ter sido abandonado pelo pai e pela mãe. Aos poucos, vamos acompanhando como Fitz vai ganhando sua força. Ao longo dos capítulos somos apresentados a vários outros personagens que ganharam meu amor e meu ódio, às vezes o mesmo personagem despertou os dois sentimentos.

É interessante como a autora vai amarrando a história de “O Aprendiz de Assassino”, e fez com que aquele desconforto inicial, acabasse sumindo. E no final, não posso dar spoilers, é claro, mas ela amarrou a história de um jeito impressionante que me deixou com gostinho de quero mais.

A medida que fui lendo, fui percebendo que o livro parece ser escrito em forma de memória. Como se um Fitz mais velho estivesse contando a sua história.

Como disse no início, essa trilogia já foi publicada anteriormente por outra editora, além das capas, as publicações têm como diferença os nomes dos personagens. A Suma deixou os nomes originais, e no final, colocou um glossário com o significado de cada nome.

Robin Hobb é uma escritora americana de fantasia, além de Robin a autora também publicou livros com o nome de Megan Lindholm. Robin mora em fazenda de 14 acres no noroeste do Pacífico, com vários animais. Seu trabalho mais conhecido é a trilogia “A Saga do Assassino”, lançado originalmente entre 1995 e 1997.

Depois de olhar o site da autora, estou ansiosa para saber se a Suma irá continuar publicando títulos dela. Estou torcendo para que isso ocorra, parece que tem muita coisa boa escrita por ela.

E ai, alguém já leu alguma coisa de Robin Hobb? Seja pela Leya ou pela Suma?

“Quanto ao que eu vou te ensinar, bem…
(…)
– É assassinato, mais ou menos. A fina arte do assassinato diplomático. Matar pessoas. Ou cegá-las, ensurdecê-las, debilitá-las, paralisá-las, provocar nelas tosses debilitantes ou impotência; ou senilidade precoce, ou loucura ou… mas não interessa. Tudo isso é o meu ofício. E será o seu se concordar, agora mesmo, desde o início, que eu vou te ensinar a matar pessoas. A serviço do seu rei.”

______________________________________________________________________________________________________________

Título: O Aprendiz de Assassino (#1 A Saga do Assassino)
Autora: Robin Hobb
Ano: 2019
Páginas: 376
Editora: Suma
Gênero: Fantasia, Ficção, Literatura Estrangeira
Nota: 4,5/5
Adicione à sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

4 Comentários

  • Weslei Vieira
    agosto 14, 2020

    Eu li a trilogia publicada pela Leya, acho que a Suma errou em manter os nomes originais em inglês porquê eles são nomes que dão características aos personagens, ou seja é algo que dá muito peso na história, essa mudança é algo que me deixou muito decepcionado, porque foi uma saga que gostei muito, e te digo compensa muito ler, espero que eles mudem isso e lancem as outras trilogias, que quero muito ler

  • […] O APRENDIZ DE ASSASSINO – ROBIN HOBB | RESENHA […]

  • Maisa Carvalho
    dezembro 26, 2019

    Eu li a trilogia publicada pela Leya, e acho que a tradução dos nomes facilita muito a leitura. Não vi como ficou com o glossário. Mas, achei esse livro incrível, é envolvente acompanhar a vida do Fitz.

    • Ana Elisa Monteiro
      Ana Elisa Monteiro
      dezembro 28, 2019

      Ei Maisa, deve facilitar mesmo, mas ler com o glossário não foi ruim. Eu estou amando acompanhar a vida do Fitz também. Hahaha. Vamos conversar mais depois ❤️

      Obrigada pelo comentário!