Achei muito difícil fazer a resenha do livro “A Rainha vermelha”, o primeiro motivo é o tema, é mais uma distopia dentre tantas que li e segundo, ainda não sei se foi um livro excelente ou repetida. A História, de certa forma, já foi lida em vários livros do tema, com diferentes nomes, mas a mesma ideia: uma classe dominando a outra por motivo de puro segregação, e isso é clichê distopias.

Porém Victoria Aveyard, diferenciando sua ideia, incrementou super poderes a trama, sim o povo dominador além de ter o controle, tecnologia, dinheiro, alimentos e sangue na cor prateada ainda tem super poderes. Afinal a situação da parte dominada já não estava difícil, certo?

E nesse enredo, a autora cria Mare, uma adolescente preste a completar dezoito anos e  não consegue se conformar com a situação que os sangues vermelhos (os dominados) vivem, mas não a nada a fazer, afinal querendo ou não ela será recrutada para o exército. Outro assunto abordado no livro é a guerra entre os Prateados, por terra. E adivinha quem mandam para guerra? Os sangues vermelhos!

Então se você não for empregado até os dezoito anos por alguém dos Prateados é automaticamente recrutado, mas não se iluda que os Prateados ficam somente de enfeite, ocorrem lutas entre eles em arenas. Deixando assim, bem claro para os vermelhos, sua superioridade. E a Mare não acaba sedo alistada no exército, pelo contrário a protagonista consegue emprego no Palácio, após ser pega por um prateado roubando na porta de um bar.

Deu para ter uma ideia de por que eu estou bem confusa ainda com a história? Foram muitas coisas abordadas ao mesmo tempo e teve uma hora que deu um nó na minha cabeça, mas depois consegui pegar o ritmo e tudo entrou nos eixos e acabei gostando bastante das ideias compostas na trama e a forma narrada pela autora e principalmente da Mare não é daquele estereótipo de personagem que ficam se lamentando o tempo todo de fazer o que tem que ser feito para sobreviver.

Também gostei bastante dos cenários, da sucessão de ocorridos a qual dão ritmo ao enredo (e que ritmo), tudo se passa tão rápido que não dá para respirar e nem torcer muito por ninguém e a cola para tudo isso são as intrigadas e descobertas que nem somente os prateados têm os genes para os super poderes, mas não se preocupe tem o romance existe, mas não é o ponto principal do livro.

A RAINHA VERMELHA - VICTORIA AVEYARD

Então a história toda ficou muito bem escrita e a diagramação do livro também muito boa! Principalmente por que a editora caprichou no miolo do livro, A Rainha Vermelha tem páginas amarelas e tamanho ideal de letras que facilitam e muito a leitura, além de imagens que compõe sua beleza.

Por essas características, me fez ficar em dúvida sobre o que achei da história, mas também me conquistaram. A autora me deixou bastante curiosa para a continuação, pois ficaram muitas pontas abertas, as quais me deixaram com a pulga atrás da orelha.

Gostou do post? clique nas redes sociais abaixo e compartilhar com os amigos!♡! 

__________________________________________________________________________________________________________________

A Rainha vermelha

Série A Rainha Vermelha

1. A Rainha Vermelha
2. Espada de Vidro
3. Prisão do Rei
4. Tempestade de querra
4.5. Trono destruido copilato dos contos
> 0.0 Coroa Cruel
> 0.1 Canção da Rainha
> 0.2 Cicatrizes de Aço

Victoria Aveyard 
Ano: 2015
Páginas: 424 
Editora: Seguinte 
Adicione a sua lista do Skoob
Onde Comprar: Amazon