FILMES

LINK PERDIDO | CRÍTICA

12 novembro, 2019 por

Link Perdido Filme

Link Perdido é uma animação em stop motion lançado dia 07 desse mês, e tivemos a oportunidade de participar de uma cabine de imprensa especial. Dessa vez, levei o Adam, meu filho de 4 anos para me acompanhar nessa aventura. E vou falar um pouco de como foi essa primeira vez do Adam no cinema sozinho com a mamãe – antes, só tínhamos ido à “Sessão Azul”, que é uma exibição especial para crianças no espectro autista (Filipe, meu filho mais velho se enquadra nesse diagnóstico).

Em Link perdido, temos conhecimento logo no início do personagem Sir Lionel Frost (dublado por Hugh Jackman – como também sua aparência lembra o ator australiano). Ele se considera como o melhor investigador de mitos/monstros de todo o mundo. Podemos encará-lo como um aventureiro “à la Dom Quixote” inglês do século XIX. Sonha em ser reconhecido por uma espécie de sociedade britânica que não deseja sua presença em seu meio.

No início da história Sir Frost tenta capturar evidências do Monstro do Lago Ness juntamente com um assistente. Depois de muita confusão e frustração ele retorna pra casa, e acaba por perder o auxílio do assistente que cansou de encarar a morte. E é nessa sequência que Frost recebe uma carta que lhe convida a uma nova expedição. Por um acaso, o que chama sua atenção é a garantia de conseguir provar a existência de um Pé Grande – ou Sasquatch.

Chegando ao local informado na carta, Sir Lionel se depara com o Sr. Link (dublado por Zach Galifianakis). Apesar de toda sua altura, peso e pelos, aparenta ser alguém educado e obstinado. Ele, não obstante, cansou de ser o único de sua espécie. Exatamente! O próprio Pé Grande deu um jeito de escrever a carta em busca da ajuda de Sir Lionel Frost, de quem é muito fã.

A ideia de Link é rastrear seus parentes próximos que ainda estão vivos. Ele os considera como uma espécie de primos distantes. E estamos falando de algo como o Abominável Homem das Neves – ou Yeti. O acordo parece ser interessante para ambas às partes. E assim, Link passa a usar roupas de ‘humanos’, para viajar com Sir Lionel, se passando por um assistente novo. O que mais gostei em Link é sua capacidade de interpretar tudo que Sir Lionel fala ao pé da letra. Ele é muito literal, pois aprendeu a ler e a conhecer as demais coisas fora do seu mundo, sozinho, através de livros e jornais.

Adelina Fortnight (dublada por Zoe Saldana) se une a essas duas figuras inusitadas para conseguirem chegar a Shangri-La. Ela esteve no passado de Sir Lionel como um interesse romântico, porém se casou com alguém que detinha o mapa que a dupla singular precisava para chegar ao destino desejado. Adelina hoje é viúva, e dá mais organização ao propósito da viagem por ser destemida e um tanto atrevida. Até ser perseguido por assassino contratado por um dos maiores rivais de Sir Lionel esse trio vai ser.

Filme Link Perdido

Ah, preciso ressaltar que Adelina vive por trazer Sir Lionel à razão, pelas formas e maneiras que lida e trata Link – que em determinado momento, resolve se chamar Susan. Ela pontua em como ele é grosseiro com Susan, vive o cutucando, e o trata como se fosse um escravo. Ela foi uma peça chave no desbravamento dessa aventura, e suas escolhas são muito estimuladoras vindas de uma personagem feminina (extremamente forte e decidida).

Esse é o quinto longa-metragem do estúdio de animação stop-motion Laika – entre eles, Coraline, de Neil Gaiman. Com alguma linguagem mais adulta, uso de armas, cenas de violência e ameaças, acredito que Link Perdido seja recomendado para crianças maiores, com seus 10 ou 12 anos de idade. Adam conseguiu manter sua concentração enquanto durou seu saco de pipocas e suas tirinhas doces de Fini.

Com pouco mais de 1h30 min de duração, o filme também não prende muito atenção do público mais novo. Foi muito divertido, entretanto, esse momento de mãe e filho. Mesmo que eu ao final eu tive que sair juntando calçados, blusas de frio, e o lixo de tudo que o meu garoto consumiu durante a exibição do longa, certamente, nos rendeu uma ótima experiência juntos.

______________________________________________________________________________________________________________

Link Perdido

Estreia: 07 de novembro de 2019
Duração: 2h 35min
Direção: Chris Butler
Elenco: Hugh Jackman, Zach Galifianakis, Zoe Saldana, Timothy Olyphant, Emma Thompson
Gênero: Animação, Aventura, Comédia, Família, Fantasia
Estúdio: Laika

 

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

3 Comentários

  • Mary
    novembro 24, 2019

    Uma gracinha a animação. Da vontade de assistir e voltar a inocência da infância.

  • […] LINK PERDIDO | CRÍTICA […]

  • […] LINK PERDIDO | CRÍTICA […]