My love Holo é um dorama coreano do selo original Netflix que estreou no dia 07 de fevereiro de 2020. Protagonizado por Ko SungHee (Suits, While You Were Sleeping, Mother) como SoYeon e Yoon HyunMin (Mama Fairy and the Woodcutter, Witch’s Court, Tunnel, A Beautiful Mind) como Ko NanDo/Holo, o dorama conta a história de Han SoYeon, uma mulher que sofre de prosopagnosia (cegueira facial) e acaba por se isolar muito das pessoas ao seu redor, justamente por não poder reconhecê-las e por já ter sofrido muito com os outros zombando dela.

Categorizado como ficção científica e romance, My love Holo tem 12 episódios, com mais ou menos 50 minutos cada, o que é menos do que os doramas da Netflix vêm apresentando. A história tem início quando a Gio Lab, uma empresa de tecnologia coreana, apresenta seu novo produto: uma inteligência artificial holográfica. Isso mesmo! Além de ser uma inteligência artificial completíssima, ela pode ser vista através de um óculos especial desenvolvido pela empresa.

HOLO MEU AMOR

O problema é que a empresa adversária da Gio Lab quer, de qualquer forma, colocar as mãos nessa tecnologia inovadora e promissora. A ponto de perseguir a CEO da empresa, Ko YooJin, para tirar dela os óculos e, consequentemente, Holo: o nome dado à inteligência artificial holográfica. Holo, porém, é tão avançado, que é capaz de guiar YooJin durante a perseguição, escolhendo os melhores caminhos e, por fim, identificando a pessoa mais confiável na multidão e dizendo a YooJin para deixar os óculos com ela.

Essa é a única forma de ajudar a CEO a escapar e sair machucada, porém viva, da perseguição insana. O que nos leva a Han SoYeon, nossa protagonista. Algo que gostei muito é que ela é retratada como uma mulher forte, independente e que não tem medo de enfrentar dificuldades, diferente de outras protagonistas de doramas. De certa forma, acho que a Netflix traz um leve toque ocidental aos doramas, deixando-os um pouco mais dinâmicos.

Aliás, algo que não falta ao decorrer dos episódios é ação! Às vezes falta até fôlego para entender tantos acontecimentos em sequência. Isso tornou o drama, para mim, bem fácil e rápido de assistir. Ao contrário de outros, que só entram em um ritmo mais acelerado lá pelo 6° episódio, Holo Meu Amor é acelerado desde o princípio. E não de uma forma ruim! Tudo acontece bem claramente, com uma ou outra pequena exceção.

My love Holo - Original Netflix

Inicialmente, SoYeon tem uma grande dificuldade em aceitar que o que vê é fruto de uma IA e não um fantasma ou um stalker. A cena em que Holo mexe com todos os aparelhos eletrônicos de SoYeon para fazê-la parar e escutá-lo é bem engraçada e divertida de assistir. E é a interação entre os dois é a parte mais cativante do drama todo. Claro que, depois, se torna um pouco triste de acompanhar… E eu vou explicar o porquê, mas fica aqui o alerta de spoilers, ok?

SoYeon sempre foi uma pessoa muito solitária, justamente por conta de sua cegueira facial. No trabalho, ela não costuma cumprimentar as pessoas ou ajudá-las e isso acontece por conta de sua condição. Mas, como ela nunca contou a ninguém, seus colegas de trabalho a consideram uma pessoa arrogante e metida. Mas como cumprimentar alguém que você sequer reconhece? Assim, com exceção de sua colega de apartamento que viaja o tempo todo e de sua mãe, SoYeon não tem muito com quem conversar.

Entretanto, quando Holo percebe que ela tem cegueira facial, ele promete estar sempre com ela para ajudá-la. Paralelamente, a Gio Labs trabalha para recuperar os óculos que, surpresa!, não foram desenvolvidos por YooJin e sim por seu irmão, Ko NanDo. O detalhe é que NanDo não é uma pessoa nem um pouco pública. Na verdade, ele forjou sua morte e desapareceu.

Fazendo uma pequena retrospectiva, NanDo perdeu a mãe muito pequeno, após o suicídio dela e foi adotado pelos pais de YooJin. Eles se mudaram da Coréia e moraram na Nova Zelândia por um tempo. Sua mãe, porém, deixou para ele o projeto de IA em que trabalhou por toda a vida: o Hello, uma companhia para NanDo, uma criança quieta e sem muitos amigos. Durante todo esse tempo, NanDo trabalhou em melhorar e evoluir o Hello, transformando-o em Holo.

Assim, YooJin é a face pública da Gio Labs, mas o desenvolvedor por trás de Holo é NanDo, que inclusive divide sua aparência com a IA. E, inclusive, é um ponto que me incomodou muito no dorama: o tempo todo, é trazido à tona a dúvida de que YooJin não seria capaz de ser a real desenvolvedora de Holo. Aff… Em compensação, YooJin é retratada como uma mulher forte e muito capaz, independente. E algo que achei lindo: o cabelo cacheado e maravilhoso dela, algo mais raro em doramas.

É com base nessa história que o My love Holo se desenvolve. E, sinceramente, ele é incrível de se acompanhar. Tanto o desenrolar da trama quanto a evolução dos personagens. O crescimento de um deles, aliás, deixou um pouco a desejar. O filho do CEO da empresa rival da Gio Labs passa por um processo muito interessante de mudança de opinião, mas é pouco mostrado. Apesar disso, é possível compreender o processo sem dificuldades. Só acho que poderia ter tido um espaço melhor por ser uma história interessante.

My love Holo - kdrama

Com toda a ajuda de Holo, é claro que SoYeon acaba desenvolvendo sentimentos por ele… E essa é a parte em que a história fica um pouco triste. Apesar de terem uma relação linda, é também uma relação de ausência, visto que eles não podem se tocar ou estar fisicamente presentes um para o outro. Mas a dinâmica da relação é bastante interessante, bem como o seu progresso, e nos faz refletir bastante sobre o nosso próprio relacionamento com a tecnologia. Recentemente, os dramas coreanos têm abordado bastante a relação entre humanos e Inteligências Artificiais, inclusive já falei sobre um deles aqui (Love Alarm). É claro que é um tema extremamente relevante no mundo contemporâneo, mas temos aquela sensação de ser um pouquinho Black Mirror, né? E isso é, ao mesmo tempo, bem assustador e super legal!

Também é relevante falar que achei bastante sensível a forma como a deficiência de SoYeon é abordada e, consequentemente, seu transtorno psicológico também. Afinal, a deficiência é fruto de um trauma. E o roteiro tratou de forma leve, mas ainda séria. A atriz, inclusive, fez um excelente trabalho! Bem como Yoon HyunMin, que interpretou dois papéis simultâneos com personalidades completamente diferentes e me deixou muito impressionada! Um ponto que me deixou um pouquinho inconformada foi o fato de a OST, a trilha sonora, não ser totalmente coreana. As músicas são ótimas e muitos lindinhas, mas acho que quebrou um pouquinho o clima.

De qualquer forma, My love Holo é carregado de acontecimentos e eu poderia ficar uma eternidade aqui falando dele, o que não é o ponto do post. Mas queria destacar que existem muitas coisas que me fizeram amar o dorama e amar assistir cada pedacinho dele. As que citei foram apenas algumas delas! O importante é dizer: o drama é emocionante, super agitado, traz uma grande reflexão sobre IA e relacionamentos e, acima de tudo, é muito fofo e divertido. Vale muito a pena assistir!

_______________________________________________________________________________________________________________

Ficha Técnica:
Título: My love Holo
Episódios: 12
Ano: 2020
Gênero: Ficção Científica, Romance, Drama,
Emissora: Netflix
Onde assistir: Netflix
País: Coréia do Sul
Nota: 4/5