Data de lançamento 7 de setembro de 2017  | Duração: 2h 15min  | Direção: Andy Muschietti  |  Elenco: Bill Skarsgård, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard mais |  Distribuidora: Warner Bros |  Gêneros: Terror, Drama, Suspense |  Nacionalidade EUA

 

Não é nenhum segredo que Stephen King é um dos autores mais aclamados da atualidade, considerado por muitos como o mestre do terror, as suas obras vem sendo adaptadas ao cinema e televisão desde muito tempo, porem mesmo sendo obra de um autor tão renomado, as suas adaptações nem sempre rendem criticas positivas. No ultimo dia 07 ocorreu a estreia de It – A Coisa, filme inspirado no livro de mesmo nome escrito por King no final dos anos 80.
Dirigido por Andy Muschietti, o mesmo diretor de Mama, este remake de It, ao mesmo tempo pode ser considerado um filme novo, pois tem diversos pontos que diferem completamente do primeiro longa. Na minha opinião (nada profissional) essa foi uma das sacadas mais incríveis e inesperadas que o diretor poderia ter tido, pois ao afastar levemente e de maneira firme o remake do primeiro filme, se conseguiu explicar e detalhar a história de um jeito que não foi feita no passado.
Uma das mudanças mais expressivas é o ano em que o longa se passa, para quem é fã de filmes que seguem exatamente os detalhes do livro, não irá gostar, pois o livro é datado dos anos 60, entretanto a construção da atmosfera dos anos 80 foi tão bem feita que de fato o telespectador se sente na sociedade da época, cada pedaço do filme foi bem pensado e consegue nos transportar exatamente para onde deveríamos e nos fazer não só compreender o filme, mas sentir cada detalhe do mesmo.
No papel principal do filme temos o Sueco Bill Skarsgard ( Hemlock Grove) que teve uma atuação digna de ser exaltada por todas as pessoas, o ator que vem de uma familia sueca conhecida pelo dom na dramaturgia (Irmão de Alexander e Gustaf Skarsgård), convenceu facilmente de que não caiu de paraquedas na telona e que consegue segurar a barra de incorporar um personagem assustador, cruel, ao mesmo tempo que possui uma aura feliz e brincalhona.
O filme conta a mesma história do livro (leia a resenha) uma pequena cidade dos EUA (Derry) que em um mesmo intervalo de tempo acontece coisas assustadoras e malignas sem a menor explicação aparente, nessa cidade existe um grupo de amigos que se intitulam ‘O Clube dos Otários’, que resolvem se juntar pra entender e derrotar de uma vez por todas esse mal que eles acreditam que existe em sua cidade.
Diferente do que acontece no primeiro longa, e em momento nenhum estou criticando, apenas pontuando, o remake consegue nos mostrar melhor a ideia original do livro, consegue nos mostrar o quanto amizade é o principal foco de King, pois ao longo das 2 horas de filme, conhecemos detalhadamente cada um dos personagens e sabemos o quanto eles precisam de seus amigos e nos tornamos íntimos de cada um deles no nível de sabermos quais são os seus maiores medos.
It – A coisa, é um filme de terror que segue exatamente o que se espera de um filme bom, conseguem entender? Ele é terror, nos causa sustos, sangue, faz a gente arrepiar, sentir medo, gritar e possivelmente é um dos melhores filmes de terror dos últimos tempo, não se deixem enganar, ‘It’ é um filme de terror, mas é um bom filme de terror, tão bom que você em diversos momentos você da boas gargalhadas e até se sente flutuando, é exatamente este o objetivo.
Se o objeto é se surpreender com uma boa história, personagens bem construídos, cenas marcantes, lições a respeito de amizade, amor e enfrentar os medos, não deixe de ver It. Se o objetivo é rir, divertir, não deixe de ver It. Se você quer medo, arrepio, pesadelos e gritos, não deixe de ver It. Nas palavras do próprio King “Eu não estava preparado para o quão bom é”, “É diferente, mas, ao mesmo tempo, o público irá se identificar. As pessoas vão amar os personagens. E quando você gosta deles, os sustos funcionam”.