FILMES

INVASÃO AO SERVIÇO SECRETO | CRÍTICA

22 novembro, 2019 por

A franquia iniciada por “Invasão à Casa Branca” e seguida por “Invasão à Londres” chega a seu terceiro capítulo com “Invasão ao Serviço Secreto”.

Com a trilha sonora bem distribuída de David Buckley, vamos acompanhar pela terceira vez o agente secreto estadunidense Mike Bannig, interpretado novamente por Gerald Butler. Mesmo já tendo salvado os Estados Unidos de ameaças norte-coreanas, e até mesmo o parlamento inglês da “ameaça” islâmica, a reputação do agente será abalada por novas ameaças ao presidente, interpretado lindamente por Morgan Freeman – uma grande credencial para o filme.

Já no início, encontramos Banning sofrendo com enxaquecas e com uma lesão na coluna, recebendo do médico a sugestão de tratamento, sem o qual seus problemas poderão ser agravados – uma bomba relógio, segundo um dos médicos consultados. Esse é um ponto novo, já que o agente sempre pareceu invencível nos filmes anteriores.

Aliado a isso, temos sua esposa (interpretada aqui por Piper Perabo) e filha, que acabam por levar o agente a avaliar sair da ação para assumir um cargo burocrático de chefia, mas que ele reluta em aceitar já que, segundo um antigo amigo, são leões, e leões ficam à frente do combate – evidentemente não conhecem a biologia desses animais.

INVASÃO AO SERVIÇO SECRETO 03

Nesse ínterim, o presidente Trumbull é alvo de um atentando durante uma pescaria, quando o local é atacado por drones, que tem todos os agentes, à exceção de Banning, como alvo. Ele consegue salvar o presidente, mas, ao serem resgatados, e com Trumbull em coma, as investigações acabam por apontar Banning, previsivelmente, como principal suspeito. É a partir daí que toda a ação se desenrola freneticamente.

Agora temos uma busca nacional por Banning, que consegue escapar da segurança nacional e de seus reais inimigos, que, além de fugir dos dois grupos, ainda terá de correr atrás de respostas para tentar se inocentar.

Claro que, em função de closes demorados, fica fácil entender toda a trama antes que seja revelada, tornado o filme relativamente previsível – acima de tudo, por uma alusão a última eleição estadunidense e a aludida interferência da Rússia. Mas, como o foco é a ação, não posso negar que me foi entregue soberbamente.

Além de toda a ação, Invasão ao Serviço secreto nos traz os dilemas de Banning vivendo a crise da meia idade – tendência de um cinema de ação em que reencontramos heróis muitas vezes relutantes e amargos, mas que voltam à ativa para se reencontrar e salvar o mundo. Também temos um personagem novo, Clay Banning interpretado por Nick Nolte, fazendo o papel do pai do agente que o abandonou quando criança por não conseguir lidar com o estresse pós traumático da Guerra do Vietnã – sim, pouco original mas recorrente, e que até faz sentido para o que o filme se propõe a nos trazer.

Ressalto que o aspecto investigativo da trama, para além de Banning, se mostra bem simplório nos agentes especiais liderados por Thompson (Jada Pinkett Smith), que acabam tomando decisões bem pouco críveis para o cargo que alcançaram.

Finalmente, posso dizer que Invasão ao Serviço Secreto tem suas falhas de roteiro mas que, para os fãs do gênero, consegue oferecer uma boa dose de entretenimento com suas tomadas de ação, suas explosões espetaculares e bem convincentes, vilões – com motivações simplórias e o cliché de um “exército de um homem só”, se tornando uma boa pedida – afinal, chega a ser divertido e muito exagerado. As atuações são convincentes – Morgan Freeman com seu olhar sempre carregado de emoção; Gerald Butler, com suas pausas reflexivas e à frente na medida do possível de seus antagonistas; e até mesmo Nick Nolte, que traz os fantasmas de velhos personagens assolados pela guerra – não é novo, mas ainda soa muito real.

Mesmo com uma duração longa – duas horas de filme, não pareceu em nenhum momento, ao menos para mim, cansativo. E, um trecho pós-créditos dos mais inusitados que já vi – ao menos para um filme de ação.

______________________________________________________________________________________________________________

Estreia: 14 de novembro de 2019
Duração: 2h
Direção: Ric Roman Waugh
Elenco: Gerard Butler, Morgan Freeman, Piper Perabo, Nick Nolte, Jada Pinkett Smith
Gênero: Ação
Distribuidora: Imagem Filmes

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário