CINEMA

GODZILLA II : O REI DOS MONSTROS – UFC DE TITÃS | CRÍTICA DE ESTREIA

29 maio, 2019 por

GODZILLA II: O REI DOS MONSTROS - UFC DE TITÃS | CRÍTICA DE ESTREIA

Existem personagens e franquias que geram sentimentos que vão do amor ao ódio. No entanto, este não parece ser o caso de Godzilla II . O monstro mais famoso do mundo parece gerar amor ou indiferença: os que não gostam de ver o grande lagarto destruindo metrópoles, apenas se limitam a não dar nenhuma atenção a ele. Afinal, acompanhar a rivalidade histórica com o Ghidorah e até mesmo com o Rodan sendo representada com a tecnologia atual é um deleite para os fãs.

Neste novo “Godzilla II”, que revive o tokusatsu e seus amigos titãs podemos esperar muitos elementos que procuram mostrar que não se trata de um simples filme-pipoca, mas uma produção, digna te de fazer acelerar o coração e finalmente com um velho desejo dos fãs: muita pancadaria entre os monstros.

Mas não se empolgue tanto o Godzilla II possui os problemas dos longas que acabam se perdendo em meio às cenas de ação e às atuações de boa qualidade. E esse é o grande ponto fraco do filme: o drama humano clichê. O personagem de Kyle Chandler ( O primeiro Homem ) chega a ser irritante de tão estereotipado. Eles tentam causar choque, mas é complicado você querer dar mais foco a um certo grupo de pessoas quando o mundo está sendo destruído não é?

Sem contar que as motivações do vilão são bem fúteis, o que não seria um problema se fosse bem desenvolvido. Houve a adição de grandes nomes no elenco, como Vera Farmiga, Charles Dance e Millie Bobby Brown , a Onze de Stranger Things. Mas nem essa galera toda dividindo tela conseguiu fazer a trama humana do filme interessante.

Mesmo com estes problemas, há de se admirar as decisões do diretor com a câmera, que mostra o rosto do personagem-título em momentos cruciais, exibe cortes em momentos certeiros, e se movimenta de forma lenta e pesada ao acompanhar os movimentos igualmente vagarosos dos monstros, enquanto destroem cidades em grande escala.

KONG: A ILHA DA CAVEIRA | CRÍTICA DE ESTREIA

CRÍTICA | GODZILLA II: O REI DOS MONSTROS - UFC DE TITÃS

A trilha clássica de Godzilla II é um acerto que vale ser destacada, assim como os efeitos que deixaram os bichos mais monstruosos do que nunca. Se o Rei Dragão já era grande como marionete, a sensação de perigo aumenta com o belo CGI da Legendary.

A mitologia da Mothra também foi bem adaptada e alguns easter eggs fazem menção a seu passado dando um diferencial a representação visual lindíssima. É se puderem, tentem assistir naquelas salas que possuem um sistema de som mais avançado, pois parte da graça dos Kaijus são os barulhos emitidos em duelo. E isso tem bastante.

Notícia bônus:

Vale lembrar que a Warner já anunciou a adaptação do lendário confronto entre Godzilla e King Kong para os cinemas.

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

1 Comentário

  • Malu
    maio 29, 2019

    Ainda nao vi esse filme, mas fiquei curiosa, apesar de não ser taaao fã dessa franquia.
    Obrigada pela dica!