“Gaiola de Ouro” é o mais recente thriller lançado pela Editora Arqueiro nesse ano de 2020. Ele foi escrito pela autora sueca Camilla Läckberg, já bastante famosa por seus romances policiais, inclusive já publicados anteriormente no Brasil. Foi uma alegria ver uma editora investindo na Camilla e espero que esse relacionamento seja de muito sucesso! A leitura de “Gaiola de Ouro” é viciante, apesar de apresentar algumas ressalvas. Bom, vamos conversar!

Acompanhamos Faye, uma jovem muito inteligente e com um passado misterioso. Ela acaba de deixar tudo para trás para tentar uma nova vida em Estocolmo. Sabemos através de flashbacks que algo grave aconteceu, seu nome mudou, ela vendeu tudo que tinha, mas não sabemos a dimensão do que é. Na faculdade de economia ela conhece um rapaz muito charmoso chamado Jack e juntos planejam o futuro.

Apesar de ambicioso, Jack não tem a inteligência de Faye. Então ela cria um novo modelo de empresa para eles, mas fica nos bastidores. A empresa é um sucesso, e todos os méritos passam a ser de Jack e seu melhor amigo Henry, os administradores. Faye passa a ser a “esposa troféu“, que fica em casa, cuida de futilidades e da filha do casal, Julienne.

Com passar dos anos é notório como Faye se anulou por Jack. Ela nem mesmo concluiu a faculdade, para se dedicar aos “sonhos dele”. E agora vive em sua gaiola de ouro, fazendo de tudo para agradá-lo. Em troca, começa a receber desprezo e comentários a respeito de seus atributos físicos e sua inteligência escassa.

Mas algo irá acontecer. Algo irá ultrapassar o limite de aceitação de Faye e fará com que ela se lembre do seu passado obscuro que tanto fez questão de apagar. E o destino de toda a sua vingança é Jack. Acompanhamos então a jornada dessa misteriosa e focada mulher, mas sabendo desde a primeira página que algo muito grave aconteceu, pois Julienne foi encontrada morta. E o principal suspeito é o pai, Jack.

Se você é do tipo que gosta de um thriller doméstico, do estilo de “A Outra Sra Parrish” e “Deixei Você Ir”, esse livro é para você. Mas é necessário ter estômago, porque Jack é um dos personagens mais repugnantes que eu já li. A forma que ele trata a esposa, os comentários que ele faz de outras mulheres… É ultrajante e ofensivo. Mas Jack já mostrava desde seu “começo encantado” alguns sinais de que não prestava, como a extrema possessividade. Fica então o alerta de como às vezes a gente se cega mesmo.

Faye, por conseguinte, é a personagem por quem torcemos. Você quer mesmo que ela consiga abrir os olhos, se livrar de Jack e aplicar uma vingança bem boa nele. Mas, em contrapartida, também não tem como defender algumas atitudes dela. Na verdade, ela não chega a ser aquela personagem que você consegue gostar. Isso porque ela fez coisas muito graves e de explicações muito rasas no passado.

No entanto, é impossível não se sensibilizar por uma mulher brilhante ser colocada em uma situação deplorável por causa de um relacionamento com um idiota. Aí começa a vingança e você respira aliviado, sente que virão os refrescos… NÃO! As escolhas estratégicas de Faye a colocam em situações tão, ou mais, degradantes do que antes. Eu esperava que ela conseguisse pisar mais do que ser pisada. E além disso, deixar bem claro para ele que era ELA quem estava fazendo aquilo tudo!

Ainda assim, preciso ressaltar que eu fiquei presa nesse livro e só larguei quando terminei. Ou seja, não menti, é viciante mesmo. A história é muito bem escrita e te prende para saber todo o desenrolar. Você precisa saber tudo, passado, presente e o futuro da vingança, para entender o que está acontecendo.

No começo eu falei sobre as ressalvas, né?! Uma delas eu já disse, foi a vingança de Faye a colocar em situações bem degradantes novamente frente à Jack. A segunda foi uma situação que eu não consegui entender até agora, e não vou detalhar por causa de spoiler, mas se refere a uma cena hot durante uma notícia sobre o atentado terrorista de 11 de Setembro. Para quem já leu e quiser falar sobre, me chame! E por último, a vingança de Faye acaba sendo bem acelerada e pouco convincente, a considerar tudo que ela constrói em tão pouco tempo.

Mas então vou falar de um ponto sensacional, pois se por um lado Jack é odioso e Faye controversa, a sua amiga de faculdade Cris é maravilhosa. Dona e proprietária do meu carinho nesse livro, uma personagem secundária digna de atenção. Ela ajuda muito na condução e ritmo da história. Além disso, a forma como ela lida com a situação da amiga em um relacionamento abusivo é exemplar. Todo mundo precisa de um apoio como Cris.

A Editora Arqueiro fez uma live com a autora Camilla Läckberg no dia 4 de Maio (está salva no ig deles, @editoraarqueiro, e vou deixar aqui abaixo). Nela ela falou bastante sobre a criação da história, que é um pouco diferente dos seus habituais romances policiais investigativos. Inclusive, Camilla falou sobre o lançamento do segundo livro, “Asas de Prata“, que já foi lançado lá fora e em breve espero que chegue ao Brasil.

A autora diz que Faye voltará com tudo em sua vingança, e que a gente ainda não viu nada. Olha, renovei as expectativas, hein! A história será uma duologia, e apesar de “Gaiola de Ouro” ter um final bem fechado, existem algumas questões que podem sim ser explicadas e melhor abordadas.

Eu particularmente fico muito feliz em ver os autores suecos ganhando espaço aqui no Brasil, pois sou uma amante de thrillers e lá existem títulos fenomenais. Confesso, no entanto, que fico totalmente perdida nas localizações da história, porque os nomes são muito difíceis… Hahaha! Fazer o que?! Enfim, que venha “Asas de Prata” e muito mais Läckberg, e quem sabe sua série do detetive Patrick Hedström, que todo mundo só elogia.

_______________________________________________________________________________________________________________
Título: A gaiola de ouro
Autora: Camilla Läckberg
Editora: Arqueiro
Ano: 2020
Gênero: Suspense
Onde comprar: AMAZON