CINEMA

A SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA | CRÍTICA DO FILME

16 maio, 2019 por

A-SOL-TAMBEM-E-UMA-ESTRELA

Adaptações literárias nas telas dos cinemas estão a cada dia mais frequentes, o que acaba atraindo ainda mais pessoas às salas de cinema. E na crítica de hoje é sobre uma dessas adaptações que irei falar. O Sol Também é uma estrela ( The sun is also a star) é baseado no livro homônimo escrito por Nicola Yoon e chega nos cinemas brasileiros no dia 16 de maio.

Em o Sol também é uma estrela temos a história de dois adolescentes filhos de imigrantes que vivem nos Estados Unidos, Natasha Kingston (Yara Shahid) filha de jamaicanos e Daniel Bae ( Charles Melton) filho de coreanos, cada um com sua própria história que por um acaso do destino se conhecem e se apaixonam…

Natasha é aquela protagonista que no início do filme pode causar uma certa antipatia por conta de seu gênio forte, mas ela possui um pensamento bem racional e gosta muito das coisas bem explicadas, um dos seus hobbies é astronomia e ela tem no físico Carl Sagan uma grande referência, não acreditando no amor e em sentimentalismo barato, até o dia em que conhece Daniel Bae que ao contrário dela é romântico e adora poesias.

Ambos os protagonistas tem em seu núcleo familiar pai,mãe e irmão e é interessante observar as diferenças culturais de cada família, ainda que o foco maior seja nos protagonistas, mas através das ações destes é possível perceber a influência familiar.

{#RESENHA } O SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA – NICOLA YOON

adaptação literaria O Sol também é uma estrela

Yara Shahid fez um bom trabalho na construção de sua personagem, a atuação dela envolve a audiência mais do que a de Charles Melton, que em alguns momentos só serve de apoio para que Yara brilhe. A trilha sonora ficou um pouco a desejar, o roteiro dava brecha para uma exploração de musicas que infelizmente não foram usadas e logo nenhuma musica específica consegue ser a “cara” do filme.

Uma coisa que merece atenção é a fotografia, pois a cidade de Nova York é mostrada de uma forma única, evitando alguns clichês que filmes costumam utilizar. Uma citação interessante  merece atenção pois definem uma das  primeiras conversas que os protagonistas tem, já que Daniel tenta convencer Natasha de que pode fazer ela se apaixonar por ele em algumas horas, será ??

“Somos como borboletas que se agitam por um dia e pensam que é para sempre.”
Carl Sagan

 

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário