{ #CRÍTICA } TEATRO MUSICAL | A NOVIÇA REBELDE

26 maio, 2018 por
{ #CRÍTICA } TEATRO MUSICAL | A NOVIÇA REBELDE

Peça: A Noviça Rebelde | Local: Teatro Renault – SP | Gênero: Romance, Drama | Preço dos Ingressos: R$ 37,50 a R$ 310,00 | Período de Apresentações: 28/03 a 27/05/2018 | 

Instagram oficial do espetáculo: @anovicarebeldebrasil
Temporada no RJ a partir do segundo semestre

A segunda parada da minha maratona de musicais em São Paulo
foi para assistir o tão falado e clássico “A Noviça Rebelde”, onde tive o
prazer de ser convidada em nome do Blog Coisas de Mineira pela assessoria de
imprensa do espetáculo. Só tenho a agradecer e será muito interessante repassar
agora aos nossos leitores todos os detalhes dessa linda experiência. Todo ano o
Teatro Renault é marcado por seus grandes e tradicionais musicais, sendo alta a
expectativa da nova atração quando alguma está chegando ao fim. Foi assim com “Rei
Leão”, “Mudança de Hábito”, “Wicked” e ano passado “Les Misérables” (que tem
resenha AQUI)… E justamente após “Les Misérables” se iniciou um grande
suspense e uma forte especulação entre “A Noviça Rebelde” e “O Fantasma da
Ópera”, que finalizou no anúncio de uma curta temporada do primeiro, que inclusive está acabando neste final de semana (a última apresentação será domingo!), sendo
seguida de uma nova temporada no Rio de Janeiro no segundo semestre.

A história se passa na Áustria em 1938 onde, em um convento
próximo às montanhas, a freira Maria sente dificuldade em se encaixar nos
padrões e regras da instituição, apesar de sentir a vontade de seguir o
propósito de Deus com todo seu coração. Amante da liberdade e da música, Maria
é alegre e divertida, e apesar de possuir a simpatia de todas as suas colegas
de convento e da Madre Superiora, essa logo percebe que esta não é a real
vocação da moça e a propõe um “período de teste” fora do convento onde deve morar com a
família Von Trapp, como babá das 07 crianças da casa. Ao chegar nesta casa ela
se depara com o viúvo Capitão Von Trapp, oficial da Marinha, que trata seus
filhos como uma extensão de seu trabalho. A personalidade de Maria irá
diretamente de encontro à do Capitão, sua presença na casa será um divisor de
águas e mudará a vida das crianças, que após a morte da mãe passaram a ser bastante
negligenciadas. Talvez o propósito da vida de Maria seja diferente daquilo que
sempre imaginou, talvez para estar com Deus ela não precise necessariamente
estar dentro do convento. E o cenário desta história ainda pode se complicar se
observarmos o período pré-nazista prestes a explodir…

Eu particularmente tenho um carinho muito especial por esta
história, por ela fazer realmente parte da minha família. Desde muito nova lembro-me
de assistir inúmeras vezes com meus pais, ao ponto de identificar todas as
cenas e as músicas. Sendo assim não restam dúvidas de que me emocionei desde
que sentei na cadeira do teatro. As cenas do convento são lindas e bem
emocionantes, principalmente as que aparecem a Madre Superiora interpretada
pela Gottsha, pois a voz dela em si já compõe uma cena inteira. E nesse caso os
elementos do convento até ajudaram, pois mesmo simples (algumas velas acesas,
um portão de grade, um banquinho de veludo, uma mesinha de madeira) ajudaram na
ambientação da plateia. Foi algo lindo mesmo! Na verdade, TODAS as freiras
estão de parabéns por formarem um grupo tão rico e coeso!
O mesmo não acontece nas cenas da Maria, interpretada pela
Malu Rodrigues, que é muito conhecida pelas várias novelas da Globo que fez e talvez vocês não saibam que ela começou nos teatros (nem devem saber que ela é dona desse vozeirão todo!). Eu defendo que ela foi o meu destaque da noite
e esta menina devia ganhar um prêmio pela MARAVILHA que está fazendo com tão
pouco. Digo isso porque ela atua muito bem, sua voz é absurda, ela canta com afinação, projeção,
sentimento, e sem quase nenhum cenário… Não sei se o curto período de
organização influenciou, mas muito da ambientação da plateia tem ficado a cargo
de Malu que se vira como pode! Ela gira no palco, simula sua subida nas
montanhas, sua caminhada na cidade a caminho da casa Von Trapp… É tudo ela, e
um pouco de projeção ao fundo. Infelizmente ela merecia mais, e todos os
atores, claro.

Houve grande especulação quanto a qualidade do elenco com a
escolha da atriz e cantora Larissa Manoela para o papel da filha mais velha
da família Von Trapp, mas o que muita gente não sabe é que Larissa não é novata
em musicais e inclusive participou da última montagem de “Noviça” em 2008 como
a filha mais nova da família. Como eu não perco tempo sendo hater de ninguém (muito
menos da Larissa Manoela que conheci através de um filme nacional maravilhoso
que indico demais chamado “O Palhaço”), fiz questão de conferir e digo a vocês que ela mantém um bom
nível como todas as outras crianças Von Trapp. Juntos eles formam um ótimo
grupo, com um destaque de fofura para a pequenininha Danny Prince que é uma
coisinha!!! Diego Montez, sempre muito simpático, apesar das poucas cenas entrega um trabalho muito bom, assim como
o Tio Max de Luiz Guilherme,  Frau Schmidt de Nábia Villela (dona de 80% das minhas risadas) e a Baronesa de Alessandra Verney. Bom, um
apontamento negativo no elenco na minha opinião é a escalação do ator Gabriel
Braga Nunes, que apesar da atuação mediana, deixa muito a desejar no canto, e
isso se torna extremamente evidente principalmente quando é necessário cantar
junto com Malu ou sozinho.

A experiência foi linda, emocionante e familiar. Perdi as contas
de quantas vezes eu sorri ou chorei. Sei que muitos de vocês, assim como nós
aqui de BH, não costumam ter esse tipo de oportunidade na cidade de vocês, mas
com esse tipo de texto gostaríamos de chamar a atenção para estes
eventos e assim, quem sabe, eles possam um dia chegar até vocês (em BH
eles já estão chegando) ou coincida de estarem em alguma cidade de
realização. Sendo assim, não percam, é enriquecedor!

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • O Vazio na Flor
    maio 27, 2018

    Ah como eu desejo que eventos assim chegassem aqui no fim do mundo :/
    Quando vejo espetáculos assim, é que fico triste de morar longe de tudo. Tem suas vantagens? Muitas.
    Mas em contrapartida, a gente perde momentos tão grandiosos assim.
    A Noviça marcou uma geração inteira, do tipo nosso, que sentava com a família para curtir e até arriscar uns rodopios com a trilha sonora.
    Fiquei aqui encantada com tudo que li e vi acima e lhe agradeço infinitamente por ter dividido algo tão belo, simples e tocante assim!!
    Beijo

    https://twitter.com/AngelaGabriel1/status/1000716659961810945

  • Carol Campos
    maio 27, 2018

    Nossa, lembro vagamente do filme mas, de cara não me identifiquei com o ator Gabriel Braga Nunes no papel do Capitão Von Trapp… Não sabia do talento musical da atriz Malu Rodrigues, está de parabéns! A vinda para BH é bem interessante mas, infelizmente não me atraiu a ponto de dar o pontapé que estou falando a tantos post's e ir assistir.

    https://twitter.com/CaarolForbes/status/1000564026391351299