Distribuidora: Paris Filmes | Estreia: 08/02/2018 | Gênero: Biografia, Drama | Duração: 1h59

Em 15 de abril de 2013, em Boston, nos Estados Unidos, ocorria uma maratona já tradicional no país e no mundo, a Maratona de Boston. Mas algo que ninguém esperava aconteceu, bombas explodiram próximo a linha de chegada, matando 3 pessoas e ferindo mais de duzentas. Um desses feridos era Jeff Bauman, interpretado por Jake Gyllenhaal, que estava naquele local esperando sua ex-namorada Erin (Tatiana Maslany), com um cartaz que o rapaz prometera a moça, na esperança de a reconquistar. Nas explosões, Jeff perdeu as duas pernas, mas conseguiu ver o rosto de um dos terroristas, informação que foi muito importante para encontrá-los. Esse é o enredo do filme “O que te faz mais forte” que entra essa semana em cartaz.

Quando assisti ao trailer do filme falei, “quero ver, vai ser uma história de superação” e na verdade, não foi isso que encontrei durante o longa. O filme é uma memória de Bauman, do que aconteceu no atentado e nos dias que se sucederam. Sem as duas pernas, o homem teve que se readequar à nova realidade, com conflitos familiares e pessoais. Visto como herói, por muitos, e virando o rosto do lema “Boston Strong”, a trama relata como o jovem se sentiu com toda a exposição que sofreu, não apenas com as mudanças na vida.

 

Apesar de toda a história pessoal, o que se destaca no filme são as várias confusões ao redor por causa do acontecido. A família de Bauman, parece até meio insensível ao fato do que o jovem está superando, e o fervor dos norte-americanos também se transforma em um destaque no longa. Quando digo fervor, falo da “união” que eles demonstram quando algo de ruim acontece no país, enviando cartas, presentes e gritando em apoio aos feridos e pedindo justiça para os terroristas. O que para mim foi um destaque mesmo, em todo o filme, é Erin, a ex-namorada que em meio a toda aquela confusão, parece ser a única que entende o que realmente se passa.
E eu não posso deixar de mencionar, que existe um discurso político – uma frase/diálogo, na verdade – que é diferente do que nos acostumamos a ver no último ano, em filmes e séries americanas, não direi qual é, mas se alguém também reparar, venha conversar comigo. A direção do filme ficou por conta de David Gordon Green (“George Washington”, “Prince Avalanche” e “Prova de Amor”). Jake Gyllenhaal participou de produções como “Evereste” e “O Abutre”, Tatiana Maslany, faz parte da série televisiva “Orphan Black” e participou do longa “Para Sempre”. Miranda Richardson, que também compõe o elenco, interpretou a repórter do profeta diário Rita Skeeter, em “Harry Potter”.
Uma curiosidade que achei sobre o filme é que em uma entrevista concedida por Gyllenhaal e Bauman, ao site Adoro Cinema, Jeff comenta que a parte mais difícil de ver no cinema foi sua mãe, a atriz Miranda Richardson a retratou muito bem, mas a relação de mãe e filho sempre foi complicada, apesar de todo o amor envolvido. Na mesma entrevista, ele diz que o filme não possui divergências com o que aconteceu e que, apesar de não poder colocar todas as pessoas que passaram em sua vida naquela época, o longa foi verdadeiro com as cenas. “O que te faz mais forte” recebeu sete nomeações a prêmios de cinema, e ganhou duas: Jake como melhor ator do ano, no Hollywood Film Awards, e Tatiana, como melhor atriz coadjuvante, no Utah Film Critics Association Awards.