FILMES

A GAROTA OCIDENTAL – ENTRE O CORAÇÃO E A TRADIÇÃO (NOCES) | CRÍTICA

23 junho, 2017 por
A Garota Ocidental
O drama “A Garota Ocidental”, chegou essa semana no cinema contando a história de Zahira (Lina El Arabi), uma jovem paquistanesa de 18 anos, que vive na França e é obrigada pelos pais a escolher entre três homens para casar. O problema é: Zahira não quer se casar sem se apaixonar. A garota conta com a ajuda de seu irmão Amir (Sébastien Houbani) e de sua amiga Aurore (Alice de Lencquesaing). Durante o filme, uma questão ficou martelando na minha cabeça, “o quão importante são as tradições?”.
Para poder entender um pouco melhor a história, fiz uma pequena pesquisa na internet sobre a questão cultural do Paquistão. Tradicionalmente, os pais escolhem com quem seus filhos irão se casar e pessoas de outros países são muito difíceis de serem aceitas como cônjuges. Existem sim, exceções as regras, vi relatos de várias mulheres que foram até o país se casar, do receio de não serem aceitas e de como é a vida delas. Mas no meio desses relatos, também vi a dificuldade de uma paquistanesa em se ver livre dessa tradição para se casar com quem quiser. Casos de violência contra a mulher são comuns. Assim como casamentos de meninas jovens e até mesmo dentro da família, entre primos.
Uma coisa que me chamou atenção no filme, é que quando Zahira é questionada por seus amigos sobre o que está acontecendo, ela usa a seguinte frase: “você não entenderia”. E o que mais me assustou é que eu concordo com ela. Ver de fora o papel que o homem e a mulher têm dentro da cultura deles, pode parecer muitas vezes errada para nós. Quando nos inserimos em uma cultura totalmente diferente da nossa, é muito difícil não haver um choque entre as duas, se colocar no lugar do outro para entender as tradições não é fácil. Principalmente quando elas divergem muito das que estamos acostumados.
“A Garota Ocidental” traz muito disso para a gente nos 98 minutos, mas o que eu acho que é mais importante é que ele traz a resistência. Muitas das mulheres paquistanesas hoje lutam pela liberdade e ele mostra um pouco dessa luta contra as tradições.
O filme é Frances e foi escrito e dirigido por Stephan Streker, jornalista belga que tem mais dois longas na carreira. Uma curiosidade é que “A Garota Ocidental” foi baseado em um fato real e para mim vale muito a pena ser assistido.

 

Distribuidora: Cineart Filmes | Estreia: 22/06/2017 | Gênero: Drama | Duração: 1h38

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário

18 Comentários

  • Yana Sofia
    julho 13, 2017

    Amo esses filmes baseados em história real, principalmente pelo fato de nos inpirarem. Sei que soa clichê, mas assisti recentemente Estrelas Além do Tempo e fiquei encantada com a proposta do filme, de não desistir apesar das dificuldades quase intransponíveis. Esse filme me despertou curiosidade e com certeza está na minha lista! Beijo, Ana Elisa =)

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Ei Yana,

      Também gosto bastante de filmes que mostram histórias reais, apesar de alguns serem bem tristes. Espero que tenha assistido e gostado do filme.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • RUDYNALVA
    julho 01, 2017

    Ana!
    Interessante ver como a cultura nos diversos paíse do mundo, podem ser bem diferentes da nossa, principalmente no oriente, não é mesmo?
    Mesmo baseado em fatos reais, para nós é um absurdo aceitar uma situação dessas, principalmente porque menospreza a mulher e nos humilha.
    Desejo um final de semana de luz e paz!
    “Será que você vai saber o quanto penso em você com o meu coração?” (Renato Russo)
    Cheirinhos
    Rudy

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Ei Rudy,

      Como estamos acostumados a "liberdade" é difícil quando observamos essas culturas que obrigam as pessoas a fazerem algo que não querem e desejam. como casar com alguém sem sentimento.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Maria Alves
    julho 01, 2017

    Gosto de historias baseadas em fatos reais e com outras culturas e costumes embora acho algumas estranhas, não concordo com isso de uma mulher não poder escolher seu proprio marido. Deve ter sido uma revolta para a personagem isso.

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Ei Maria,

      A trama mostra muito sobre a luta e a resistência da personagem até o fim. Saber que é uma história real e que isso acontece com frequência que é bem triste não é?

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Gislaine Lopes
    junho 29, 2017

    Oi Ana,
    As tradições são bonitas quando servem para preservar a cultura. Como moro no RS, temos muitas tradições gaúchas que são passadas de geração para geração, isso uni os laços de pais e filhos e conserva muito costumes importantes para a história. Por isso, para mim, quando vejo situações como as que são mostrada em A Garota Ocidental, fico triste de ver o quanto alguns países usam dessas tradições para obrigar as mulheres a fazerem o que não querem, a aceitarem condições de violência e submissão. Não conhecia este filme, mas vou assistir assim que possível.

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Olá Gislaine.

      Realmente as tradições são muito importantes para preservar as culturas, apesar de vermos algumas com o olhar de estranheza, pois não estamos acostumados com elas. É difícil mesmo ver como algumas mulheres ainda são tratadas dentro de algumas culturas, sem voz ;/

      Espero que tenha assistido e gostado do filme.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Carol Campos
    junho 28, 2017

    Choque cultural. É um filme com uma abordagem muito boa, com um enredo bem feito, me passa a impressão de uma mensagem "Não julgue sem antes conhecer", e sim, quero ter a oportunidade de assistir. Gostei da critica, parabéns!

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Olá Carol, realmente é um choque cultural muito grande. Fico feliz que tenha gostado da crítica e espero que tenha assistido e gostado do filme também.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Jessica Borges
    junho 24, 2017

    Olá!!!
    Que resenha legal, se não fosse por ela talvez eu nunca me interessaria em ver este filme.
    Achei a premissa muito interessante, pois muitas muitas vezes não conhecemos (ou não queremos conhecer) outras culturas e acabamos julgando algo que não intendemos por completo. Por isso esse tipo de filme é tão importante. Quero muito assistir! Bjos!

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Olá Jessica, fico feliz que tenha gostado da minha crítica. Espero que tenha conseguido ver o filme e gostado assim como eu.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Ø Väzïø ñä Flø®
    junho 24, 2017

    Puxa, eu sou maluca por histórias que trazem culturas diferentes, ainda mais quando esta cultura é tão complexa e ainda seguida até hoje por muitos países.
    E a gente percebe que não entende nada né? Onde a gente pode se imaginar obrigando uma filha a se casar e viver com alguém sem sentimento? Definir este ou aquele marido?
    É meio que impossível ao nosso entender e me vi no lugar da menina. Tendo que lutar contra o que eu acredito a não poder contrariar toda uma cultura.
    Verei com certeza!!!
    Beijo

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Ei, tudo bem?

      Realmente é bem difícil entender algumas culturas, principalmente porque dentro do que estamos "acostumados" o amor e a liberdade de escolha é fundamental. Espero que tenha assistido e gostado do filme.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Ketherine Gomes
    junho 23, 2017

    Nos colocar no lugar do outro realmente é difícil. Que bom que hoje em dia podemos ver filmes que abordem isso. Enredo maravilhoso, seu vontade de ver ainda mais. Obrigado por me atualizar sempre. Blog esta de parabéns.

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Ei Ketherine, tudo bem?

      É muito bom ver filmes que saiam da nossa zona de conforto e abordem outros tipos de cultura. Fico feliz por ter gostado.

      Obrigada pelo comentário 🙂

  • Herica Lima
    junho 23, 2017

    É bem diferente mesmo a cultura deles e a nossa cultura! Bem interessante para as pessoas que querem ver a diversidade cultural, porém não veria. Estou tão atolada de séries para ver e então acho que não tenho tempo!

    • Ana Elisa Monteiro
      setembro 27, 2017

      Ei Herica, tudo bem?

      Realmente, é enriquecedor para as pessoas que gostam de ver o ponto de vista de diferentes tipos de culturas. Espero que tenha arranjado um tempinho para ver o filme.

      Obrigada pelo comentário 🙂