A Garota Ocidental
O drama “A Garota Ocidental”, chegou essa semana no cinema contando a história de Zahira (Lina El Arabi), uma jovem paquistanesa de 18 anos, que vive na França e é obrigada pelos pais a escolher entre três homens para casar. O problema é: Zahira não quer se casar sem se apaixonar. A garota conta com a ajuda de seu irmão Amir (Sébastien Houbani) e de sua amiga Aurore (Alice de Lencquesaing). Durante o filme, uma questão ficou martelando na minha cabeça, “o quão importante são as tradições?”.
Para poder entender um pouco melhor a história, fiz uma pequena pesquisa na internet sobre a questão cultural do Paquistão. Tradicionalmente, os pais escolhem com quem seus filhos irão se casar e pessoas de outros países são muito difíceis de serem aceitas como cônjuges. Existem sim, exceções as regras, vi relatos de várias mulheres que foram até o país se casar, do receio de não serem aceitas e de como é a vida delas. Mas no meio desses relatos, também vi a dificuldade de uma paquistanesa em se ver livre dessa tradição para se casar com quem quiser. Casos de violência contra a mulher são comuns. Assim como casamentos de meninas jovens e até mesmo dentro da família, entre primos.
Uma coisa que me chamou atenção no filme, é que quando Zahira é questionada por seus amigos sobre o que está acontecendo, ela usa a seguinte frase: “você não entenderia”. E o que mais me assustou é que eu concordo com ela. Ver de fora o papel que o homem e a mulher têm dentro da cultura deles, pode parecer muitas vezes errada para nós. Quando nos inserimos em uma cultura totalmente diferente da nossa, é muito difícil não haver um choque entre as duas, se colocar no lugar do outro para entender as tradições não é fácil. Principalmente quando elas divergem muito das que estamos acostumados.
“A Garota Ocidental” traz muito disso para a gente nos 98 minutos, mas o que eu acho que é mais importante é que ele traz a resistência. Muitas das mulheres paquistanesas hoje lutam pela liberdade e ele mostra um pouco dessa luta contra as tradições.
O filme é Frances e foi escrito e dirigido por Stephan Streker, jornalista belga que tem mais dois longas na carreira. Uma curiosidade é que “A Garota Ocidental” foi baseado em um fato real e para mim vale muito a pena ser assistido.

 

Distribuidora: Cineart Filmes | Estreia: 22/06/2017 | Gênero: Drama | Duração: 1h38